Marcelo Cabo
Marcelo Cabo

O Remo empatou o segundo amistoso seguido pelo mesmo placar – 1 a 1. Dessa vez, o Leão enfrentou o Bragantino, sábado (21/01), no Baenão. Richard Franco abriu o placar para os azulinos, mas Moisés empatou no final da partida.

Esse amistoso serviu para substituir a partida de estreia do Leão no Parazão, já que o campeonato foi suspenso pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). O técnico Marcelo Cabo afirmou que a equipe evoluiu em relação ao amistoso contra o Caeté.

“Enxerguei uma evolução da equipe em relação ao sábado passado. Entendi que a equipe evoluiu bastante neste jogo-treino. Vi evoluções individuais e coletivas. Estamos em construção. Construímos uma nova equipe. Estamos construindo situações e sistemas de jogo. Usei novamente 3 sistemas de jogo. Jogo-treino é para isso, serve para testar o que está dando certo e potencializar. Serve para corrigir o que não está dando certo”, disse.

Entretanto, a satisfação com o amistoso parou por aí. Apesar da evolução, Marcelo Cabo não gostou do resultado da partida e avaliou que o Remo teve condições de sair de campo com a vitória, que isso vai servir de aprendizado.

“Claro, você joga em casa e tem que vencer. É um jogo-treino, mas poderíamos ter feito 2 ou 3 gols. Criamos situações e tomamos um gol de lateral, em uma desatenção coletiva. Você estar ganhando de 1 a 0 em casa, com 45 minutos do segundo tempo e mais 5 de acréscimo, você tem que ter a bola e controlar o jogo. Essas situações nos chateia, mas serve para corrigir para o início do campeonato”, apontou.

Cabo também lamentou as ausências do lateral-esquerdo Leonan e do volante Anderson Uchôa, jogadores poupados pelo Departamento Médico azulino por estarem sentindo dores musculares. Na coletiva, o treinador disse que eles representam quase metade da força técnica da equipe, mas que tem trabalhado para encontrar alternativas para os setores desfalcados.

“Vou ser realista: eles fazem muita (falta). São referências do elenco, que dispensam comentários. Além de serem tecnicamente importantes, são atletas que têm o DNA do clube, lideranças. Perdemos 40% tecnicamente sem eles, mas afinal, o treinador é feito para isso, trazer soluções em momentos de dificuldades”, encerrou.

Ainda sem data para a estreia do Parazão, o Remo segue se preparando para o início oficial da temporada 2023. O primeiro desafio do Leão no Campeonato Paraense será contra o Independente, no Baenão.

Globo Esporte.com, 22/01/2023

5 COMENTÁRIOS

  1. Time ruim, jogadores péssimos! Mais um ano de estresse com o Remo. Ainda vai ter nego dizendo que é falta de entrosamento. Estão de brincadeira? olOs caras vive pra jogar bola e alguns nem se quer demonstram fundamentos do futebol.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor informe seu comentário!
Por favor informe seu nome aqui