Soares
Soares

A rodada decisiva da fase de classificação da Série C flagra o Remo de novo em situação de desespero, exatamente como ocorreu na Série B 2021. O torcedor ainda nem assimilou direito o golpe sofrido com o rebaixamento e já mergulha em outro turbilhão de emoções.

A partida deste sábado (13/08), às 17h, contra o Botafogo (SP), em Ribeirão Preto (SP), vale a manutenção do sonho do acesso. A rigor, o Remo depende dele mesmo, mas é aí que mora o perigo!

Ao longo da temporada, desde o Parazão, o Leão esteve sempre abaixo das expectativas. Conquistou o Estadual com uma campanha cheia de altos e baixos, mas não conquistou a confiança plena da torcida. Havia a sensação de que poderia render mais do que entregava.

Muitas das queixas sobre a performance se dirigiam ao técnico Paulo Bonamigo, repatriado após ter sido dispensado no começo da Série B.

Pela indiscutível competência e a identificação que tem com o clube, Bonamigo foi escolhido para ser o responsável pela reestruturação do elenco, visando disputar a Série C tendo o acesso como foco. O trabalho no começo da temporada 2022 foi marcado por desconfianças por parte do torcedor, ainda agastado com as circunstâncias da queda.

Bonamigo teve que enfrentar esse obstáculo e não foi bem sucedido, apesar do título. Mantido para a Série C, iniciou a competição com resultados razoáveis, mas com um time sempre muito questionado.

Os reforços que chegaram não deram o necessário ganho técnico que a competição exigia. Rodrigo Pimpão, Fernandinho, Renan Castro e Netto entraram em ação desde o primeiro jogo, contra o Vitória (BA). Nas rodadas seguintes, foram perdendo espaço ou sendo mantidos à força, casos de Pimpão e Fernandinho.

Os maus passos atingiram o ponto culminante com as derrotas para Volta Redonda (RJ) e Altos (PI), este em uma inacreditável virada dentro do Baenão.

Bonamigo saiu de cena e a diretoria trouxe o semi-desconhecido Gerson Gusmão, de passagens vitoriosas no Operário (PR) e no Botafogo (PB).

Poucas mudanças foram observadas após a troca de comando. Várias influências de Bonamigo seguiram vivas na nova gestão, para desespero do torcedor, como a lentidão na troca de passes, a ausência de jogadas para o trio de ataque e a assustadora falta de vibração.

Gusmão parecia hesitar em modificar o modelo de jogo. No Re-Pa, foi tímido em excesso e perdeu grande chance com ajuda e tanto de Vinícius, que falhou nos 2 gols sofridos, de igualar a pontuação do maior rival. Faltou ousadia para explorar melhor o fator campo e a presença maciça da torcida.

Essa imagem amedrontada passou a acompanhar o treinador. No confronto contra o Atlético (CE), então lanterna da competição, a insegurança tática e a falta de comprometimento do time falaram mais alto e o Remo sofreu uma derrota tão inesperada quanto frustrante dentro da campanha.

Junto com o empate no clássico, as derrotas para piauienses e cearenses respondem pela enrascada em que o Remo se meteu nas últimas rodadas. Para piorar, o time foi incapaz de superar a marcação da Aparecidense (GO) e deixou escapar a oportunidade de se tranquilizar na tabela de classificação.

O jogo na última rodada será disputado sob angústia e pressão. O Leão terá que se apresentar melhor do que tem mostrado na competição, com o adendo de que não poderá cometer erros defensivos. O meia Soares deve ser o articulador de uma equipe que tem obrigação de vencer para se classificar e, além disso, precisa ainda torcer contra Botafogo (PB), Aparecidense (GO) e Vitória (BA).

O Leão volta a campo neste sábado (13/08), a partir das 17h, para enfrentar o Botafogo (SP), no estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto (SP). O jogo é válido pela 19ª rodada da Série C e terá transmissão ao vivo e exclusiva pela DAZN. Clique aqui para fazer sua assinatura agora e ganhe 30 dias grátis.

Blog do Gerson Nogueira, 12/08/2022

3 COMENTÁRIOS

  1. O Remo não conseguiu ter padrão tático, raça, vontade de vencer em 18 jogos, vai ter agora no último jogo. Deixem de enganar os torcedores. Não basta ter dinheiro, tem que ter competência, Sr. Presidente. Pela segunda vez consecutiva o Sr. falhou: rebaixamento e não classificação para a segunda fase da atual serie C. Vergonha.

  2. Esse atleta deixou muito boa impressao para mim!!!De repente seria o nossa Camisa 10 nato,tão carente desde a saída do ER33.

  3. Único q arriscou chutes de fora da área,UNICO,eita timeco nojento,um dos piores dos últimos anos!

Comments are closed.