PSC 1x1 Remo (Laílson)
PSC 1x1 Remo (Laílson)

No empate com o Paysandu por 1 a 1, pela 7ª rodada do Campeonato Paraense, o Remo foi diferente. O torcedor azulino, acostumado a ver um time reativo e sem criatividade no meio, foi surpreendido por uma equipe que, em vários momentos do jogo, manteve a posse de bola e conseguiu agredir o maior rival.

A mudança de ímpeto da equipe, principalmente em comparação ao último clássico, quando a equipe ainda era comandada por Rafael Jaques, chamou a atenção dos torcedores e do atual técnico, Mazola Júnior.

Em entrevista após o jogo, Mazola ressaltou a entrega do elenco e comemorou o bom desempenho dos atletas. Segundo ele, a atuação de jogadores como Laílson e Eduardo Remos, autor do gol de empate, foram fundamentais para que o Remo tivesse o controle da partida.

“Penso que, metade da cidade, estava achando que o Remo ia tomar uma goleada aqui. Por todas essas circunstâncias, tenho que dar parabéns a todos os meus jogadores, que estavam no caminho certo, trabalhando muito bem. É um grupo bom. Podemos até reclamar de algum ponto técnico, de experiência, mas até o momento não posso falar nada da entrega e do espírito de trabalho dessa rapaziada. Precisamos dar os parabéns a eles. Realmente, eles foram muito bravos e o mérito é todo deles. Fomos quase perfeitos”, avaliou.

Apesar de dominante na primeira etapa, o Remo não conseguiu traduzir o controle de bola em uma vantagem no placar. Quando estava com maior posse e criava mais chances, os azulinos sofreram um gol.

Apesar de estar atrás no placar, o Remo voltou a campo, manteve o desempenho e chegou ao empate. O meia Eduardo Ramos, após amargar alguns jogos no banco de reservas, voltou o time e acertou uma bola cobrança de falta da intermediária, que empatou o jogo. Questionado sobre a jogada, Mazola afirmou que nada foi ensaiado.

“Não adianta você ficar treinando. Posso botar o Eduardo para bater 200 faltas por dia e 400 escanteios, que não vai adiantar de nada. Aquilo ali é o talento do cara, a personalidade do cara. Estou muito contente com ele. Ele até tomou uma durinha também. Se fizesse o segundo, ia cair o Mangueirão, mas ele deu o melhor. Acho que depois do segundo gol, que ele perdeu, depois daquele arranque, já tava com 25 minutos, o risco de uma lesão era muito grande. Por causa disso que tirei ele, mas na minha opinião, Eduardo fez uma partida muito aceitável. Tenho certeza absoluta que, se ele continuar a trabalhar assim, Eduardo Ramos vai ajudar muito nesse ano”, destacou.

“Na somatória toda do jogo, acho que não houve (vantagem do Remo). O resultado é justo”, afirmou Mazola.

Outro ponto destacado pelo técnico azulino foi o desempenho de Laílson. Como o único jogador canhoto em campo, o volante tinha a tarefa de ajudar Lukinha na criação de jogadas pelo lado esquerdo.

Apesar do bom jogo na avaliação de Mazola, Laílson foi expulso no fim da partida, aos 39 minutos, após fazer uma falta na entrada da área. Apesar da expulsão, Mazola disse que ainda é prematuro pensar em possíveis mudanças no elenco.

“Tivemos a expulsão do Laílson. Isso me chamou a atenção: 2 jogos e 2 expulsões. Isso não pode continuar a acontecer. Temos um jogo por semana só, próximo jogo vai ser no sábado (14/03). Temos tempo para preparar a equipe. É lógico que nosso posicionamento, nossa postura, jogando em casa, contra o Independente, o Baenão vai estar cheio, vai ter que ser diferente”, comentou.

Depois do clássico, a equipe azulina volta a campo no próximo sábado (14/03), às 15h30, pela 8ª rodada do Campeonato Paraense. O Remo recebe o Independente, no Baenão, buscando a vitória para carimbar a classificação antecipada para as semifinais.

Confira outros trechos da entrevista coletiva com Mazola Júnior:

Análise do jogo

Cumprimos 65%. Devido a todos os problemas que tivemos para a montagem da equipe, acho que conseguimos cumprir 65%. Muito mais na parte tática do que no desenvolvimento na saída, que tínhamos trabalhado. Depois de um jogo desse, com todos os problemas que tivemos, só tenho que dar os parabéns aos meus jogadores. Na parte tática, foi fantástico. Cumprimos à risca. Se não me engano, Vinícius não fez nenhuma defesa no jogo. Tomamos um gol no mérito total do Nícolas, com uma fase iluminada, um gol espetacular. Acho que o Remo, enquanto teve 11 contra 11, o Remo esteve igual, ou até, em parte do primeiro tempo, melhor que o Paysandu. Devido a todos esses problemas, algumas carências na grade do plantel que temos, tivemos que fazer algumas improvisações, alguns riscos. Muitos jogadores que ainda não conheço a reação no jogo, principalmente em um clássico dessa magnitude, em que estávamos com a pressão toda em cima.

Quem mereceu ganhar?

O Paysandu deve uma oportunidade clara na segunda parte, também tivemos com o Eduardo Ramos. Só penso que, é lógico, gostaria de ter vencido, mas penso que para quem achava que o campeonato estava com favas contadas, acho que o Remo mostrou que não vai ser bem assim.

Rendimento dos atacantes no clássico

Não posso, de forma alguma, fazer algum tipo de comentário nesse sentido. Estaria desmoralizando meus atacantes. Volto a dizer, quanto ao trabalho, ao nível de entrega e seriedade que eles estão tendo, não posso, de forma alguma, acusar algum tipo de deficiência técnica, tática ou física. É um trabalho que está apenas iniciando. Jogamos aqui contra uma equipe que está a praticamente um ano trabalhando com o mesmo treinador. Uma equipe que está, ou era, praticamente toda da Série B do Campeonato Brasileiro. Paysandu não tem apostas. Então, perante a todas essas situações e a qualidade do adversário, não posso falar que fomos deficientes ou incapazes na frente.

Construção de jogadas na esquerda e desempenho de Laílson

Nosso tripé do lado direito ficou estabelecido que seria Djalma, Nininho e Jackson. Do lado esquerdo, ficou certo que seria Laílson e Lukinha. O posicionamento foi esse, eles cumpriram. Acho que na primeira parte, Laílson ficou muito inibido e não conseguiu desenvolver a transição por aquele lado. Até porque era o único canhoto que tínhamos. Corrigimos isso no intervalo e acho que, no segundo tempo, ele fez um grande jogo. Fiquei muito satisfeito com a apresentação do Laílson no jogo e digo que ele foi um dos que cumpriu rigorosamente o que foi pedido para ele.

Tabu de 8 jogos sem vencer

Joguei 10 clássicos aqui no Pará e perdi só 1, mas perdi logo o título para o Remo, por saldo de gols. Esse tabu de 8 jogos fica para o torcedor, para vocês da imprensa. Não tenho nem que me preocupar com isso. Vamos trabalhar muito para ajustar esse processo o mais rapidamente possível e ir na semifinal, já muito melhor preparados, melhor trabalhados, do que estamos nesse momento. Vamos deixar esse negócio de tabu para vocês, para o torcedor, porque o importante é vencer esse Re-Pa no momento certo.

Sensação de jogar o clássico do lado azulino

Fazem 6 anos que saí daqui, do nosso maior rival. A sensação é de ver a alegria do torcedor do Remo, que vi hoje. Não ouvi vaia, não ouvi nada. Vi a explosão do torcedor no gol do Edu, vi a explosão do torcedor na segunda parte. O torcedor do Remo, acho que estava um pouco receoso no Mangueirão hoje (domingo), mas tenho certeza de que ele saiu tranquilo, com confiança de que o Remo vai fazer uma grande semifinal e vamos classificar para fazer uma final de campeonato bastante interessante.

Globo Esporte.com, 08/03/2020

12 COMENTÁRIOS

  1. Ontem ficou classimo que LUKINHA, LAILSON e NININHO são jogadores de série D, são muito fracos tecnicamente. Graças a Deus que a pereba do xaves também não fez merda. É inacreditável que o Jansen que é zagueiro de ofício joga mais que qualquer lateral do atual elenco (tendo na LD quanto na LE). Ao meu ver o melhor REMO com essas amebas que tem no plantel seria jogando no 4–4-2 sem centro avante já quê geovanne e jackson também não inspiram confiança.
    Vai com Vinicius, Jansen, mímica, fredson e Dudu mandai. O meio campo com djalma, Gelson, paker e Eduardo Ramos. O ataque veloz com wesley e Ermel. E é rezar muito pro nosso leão varar o tricampeonato.

  2. Remo tem que começar a resolver os problemas do time e de quebra fazer os ajustes para a série C. Nininho não tem condições nem.de ser reserva! Todos os lances de perigo contra o Remo são pelo lado dele. É melhor dispensar e com o valor que ele recebe, juntar mais grana e pagar um lateral que venha pra ser titular absoluto. Mímica já não é mais o mesmo também. Está muito fraco na marcação e não consegue nem acompanhar mais, por isso já fez pênalti, já foi expulso e vive pegando cartões. Desse jeito, quando a gente mais precisar ele vai ser expulso. Além desses, mais um camisa 10 e um atacante velocista. Todos jogadores com melhor qualidade, que cheguem pra assumir a titularidade. Aí sim, o Remo já poderá COMEÇAR a série C.

    • Queria muito que o Remo trocar de pra série C o Gabigol só B. Henrique pro ataque.
      Trouxesse o Dedé do Cruzeiro pra zaga e o Diego do Flamengo pra fazer p segundo volante.
      Eu queria Muito o Renato Augusto que está vindo da China pra fazer esse maior campo. Mas sei que ele não ia se adaptar aos gramados pesados.
      Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk pelo amor de deuszinhoducéu.
      O Remo está buma série C. E a mucura tbm. Ninguém tem dinheiro pra para trazer craques. É confiar no técnico, fazer do Baenão um caldeirão e torcer pra tudo dar certo.

  3. O Remo deveria tentar repatriar o Jhonathan e o Gabriel Lima e resolver a questão do lateral Rony.

  4. Concordo nininho muito lento desligado essa turminha falam tanto em tabu nem esse de sete existe o remo em 1926 meteu sete a zero na mucura em 1939 sete a dois aonde está o tabu

  5. Se continuar insistindo com esse Nininho, o remo não ganha mais nada, será que presidente n vê isso ?,

    Vai ser preciso a torcida expulsar esse cara de la 😕

    • Porque tem jogador que prefere ganhar 2 mil no VR pra morar no RJ e tentar se destacar e conseguir alguma coisa lá, do que vir pra Belém mesmo ganhando 10 mil.
      Porque tem jogador que é craque jogando em time sem torcida, mas não rende nada quando tem 5 mil (nem vamos citar 20-30 mil) fazendo pressão em um estádio lotado.
      A lista é extensa, mas vamos parar só nesses 2 exemplos, ok?

  6. Acho que no RexPa 90% das jogadas do adversário foram nas costas dos laterais do Remo, mas gostei de ver o Remo jogar, mesmo com as ausências o time se comportou bem na maior parte do jogo. Podemos melhorar bastante, temos um técnico que merece o nosso respeito, melhor de tudo, recuperamos a confiança, isso sim foi o mais importante!

  7. Eu não consigo aceitar que o Hélio, que ficou um ano no Palmeiras jogando de lateral, seja pior que o Nininho! Na minha opinião, com uma perna só ele não perderia aquele lance que o Nininho perdeu no gol da mucura fedorenta.

Comments are closed.