Sede Social do Clube do Remo – Foto: Caio Maia (O Liberal)
Sede Social do Clube do Remo – Foto: Caio Maia (O Liberal)

Em meio à crise climática sofrida pelo Rio Grande do Sul, times demonstraram solidariedade e apoiaram a paralisação do Campeonato Brasileiro. Um deles foi o Clube do Remo, que divulgou um comunicado neste domingo (12/05) se mostrando favorável à pausa no futebol brasileiro.

No sábado (11/05), a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) encaminhou um ofício aos clubes que disputam o Campeonato Brasileiro filiados às Federações Estaduais para que eles se posicionem sobre a possível paralisação, solicitada pelo Ministério do Esporte.

No Pará, os azulinos foram, até o momento, a única equipe a se manifestar sobre o tema. A Série C do Brasileirão, competição que o Remo disputa, tem 3 equipes gaúchas – Ypiranga (RS), de Erechim (RS); São José (RS), de Porto Alegre (RS); e o Caxias (RS), de Caxias do Sul (RS). Os jogos destas equipes pelo torneio estão adiados por tempo indeterminado.

O Leão também anunciou que está com um posto de arrecadação de doações para as vítimas das enchentes em sua sede social, na avenida Nazaré, em Belém. Torcedores podem doar alimentos, roupas, ração para animais, produtos de higiene, cobertores e lençóis.

Leia o comunicado do Remo na íntegra:

Acompanhamos a triste situação do Rio Grande do Sul. Por se tratar de uma causa humanitária, não tem como deixar de lado a solidariedade e colocar o futebol a frente de tudo isso. Com relação ao posicionamento do clube, o Remo é favorável a paralisação do futebol brasileiro, inicialmente, por um período de 15 dias, para que os prejuízos possam ser amenizados e as atenções se dobrem ao povo gaúcho. O Remo, inclusive, está com um posto na Sede Social, em Nazaré, para arrecadação de donativos que nos próximos dias serão enviados aos mais necessitados.

O Leão volta a campo neste domingo (19/05), a partir das 16h30, para enfrentar o Tombense (MG), no Baenão. O jogo é válido pela 5ª rodada da Série C e terá transmissão ao vivo pela DAZN. Clique aqui para fazer sua assinatura agora.

O Liberal.com, 12/05/2024

8 COMENTÁRIOS

  1. A endinheirada CBF e os clubes ricos continuam só pensando no dinheiro. Já devia ter parado todos os campeonatos nacionais, pelo menos até que seja contornada essa terrível situação que os nossos irmãos gauchos estão vivendo.

  2. É impressionante, o Remo, como todos os outros clubes que querem a paralização, devem está com o bolso cheio de dimdim, será?. Os cartolas do Remo, populismo novamente, querem ser os policamente corretos. Se der BO, tem um alib. O que a turma do sul querem é recurso de alguma forma, se os que não estão em risco, pararem também, quem vai produzir o que a turma de la precisa, O futebol tem que ajudar o futebol com recurso proprio o máximo, não ficar pendurado no estado tambem, e olha que o Remo ja tem um gancho. Pelo visto a turma Tonhão/Bentes, começaram a vê uma saida para seca de dindin, e olha que são considerados os CEO’s dos CEO’s. Monte um time pelo menos rasoalve, para não passar perengue com times de menor porte, os recursos apareceram, sem precisar rodar a sacolinha, andar com as proprias pernas.

      • Correto, mas, parar só piora, acho, vao engordar, ficar sem retimo e outras coisas mais. Pelo visto, o Remo esta vendo na tragédia do RGS, uma maneira de justificar sua propria tragédia, se ocorrer. Isto não é outra covid, que coisa. Não conheço outro ente que continua se beneficiando da covid até hoje, ah tem, a rurma do show.

      • Arrumar a casa com esse técnico está cada vez mto difícil 100% seria melhor, se houver paralisação, contratar outro técnico q teria um tempo aí sim de botar a casa em ordem

  3. JÁ ESTÁ PARALISADO

    O setor futebolístico da instituição Clube do Remo já está paralisada há mais de duas décadas, uma crise insolúvel. São gestores amadores incompetentes e até corruptos que parasitam, se locupletam e “arrastam o nome e a glória e tradição do clube, na lama!”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor informe seu comentário!
Por favor informe seu nome aqui