Diego Tavares e Muriqui
Diego Tavares e Muriqui

O Campeonato Paraense começa com o jogo entre Remo e Independente, no Baenão, mas é público e notório que os times ainda buscam alcançar maior entrosamento.

Os grandes da capital sofrem mais que as equipes emergentes, pois remontaram seus elencos e trouxeram muitas caras novas. É previsível a dificuldade que ambos enfrentarão para adquirir um nível de organização aceitável.

Sob o comando de Marcelo Cabo, o Remo fez 2 amistosos nas últimas semanas. Foi o máximo que conseguiu fazer em termos de pré-temporada. Nos jogos, comportamentos diferentes.

No primeiro, diante do Tesla, equipe amadora da periferia de Belém, uma goleada de 4 a 0. A excessiva facilidade não permitiu avaliar a evolução do time. Veio o segundo amistoso, contra o Caeté, e o empate em 1 a 1 deixou claro que falta muito ainda para que o Leão seja considerado um time pronto.

Sem jogadores importantes no setor de meio-campo, como Anderson Uchôa e Paulinho Curuá, a equipe sofreu bastante no primeiro tempo. Levou um gol e podia ter tomado outros, evitados pelo goleiro Vinícius.

A igualdade só foi obtida no segundo tempo, em cabeceio perfeito do atacante Muriqui, veterano que dá um toque de qualidade ao time. Aos 36 anos, passou por vários clubes e acumulou experiência, que agora usa para encontrar o melhor posicionamento na área, além de abrir caminho para os companheiros.

Como a equipe ainda não conta com um setor de construção azeitado, Muriqui adquire importância maior como principal peça ofensiva. Há quem defenda até que ele passe a jogar um pouco mais recuado, para que possa municiar os companheiros, visto que a área de criação por enquanto inexiste no Remo.

O tripé de meio-campo que deve atuar contra o Independente deve ser formado pelos volantes Pingo, Richard Franco e Pablo Roberto. Apesar de ter qualificação para ser o homem da transição, Pablo tem sofrido com a sobrecarga, pois precisa ajudar na cobertura da defesa e transitar até a intermediária adversária. Contra o aplicado Caeté, time que tem o mesmo perfil do Independente, essa dupla função não foi bem executada.

O problema da utilização de Muriqui mais próximo da meia é que o Remo perde pegada nas ações de área. Os demais atacantes do elenco são especialistas em jogar pelos lados – Fabinho, Diego Tavares, Jean Silva e Pedro Vitor.

A saída seria recorrer aos meninos da base, sendo que Kanu, centroavante do time Sub-20, deve ser o reserva imediato de Muriqui. É improvável, porém, que Marcelo Cabo abra mão das qualidades de Muriqui como definidor de jogadas, já que marcou 3 gols nos 2 amistosos e caiu nas graças do exigente torcedor azulino.

Blog do Gerson Nogueira, 20/01/2023

ATUALIZAÇÃO – 20/01/2023
O STJD determinou a suspensão do Parazão por tempo indeterminado. Saiba mais clicando aqui.

2 COMENTÁRIOS

  1. Porém, o treinador deveria colocar o mais rápido possível os garotos da base para jogar, principalmente o Guty para que eles não percam a forma.

  2. Tem q ter calma para não queimar ós garotos,não é assim não, eles não vão resolver os problemas do time e serão MUITO COBRADOS por isso!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor informe seu comentário!
Por favor informe seu nome aqui