Charles, Jackson, Xaves, Rafael Jansen, Mimica e Fredson
Charles, Jackson, Xaves, Rafael Jansen, Mimica e Fredson

Os azulinos não tem tempo para remoer a derrota no clássico. O time se reapresentou aos treinos logo na manhã desta segunda-feira (10/02) e, durante a tarde, viajou a Sergipe para a estreia na Copa do Brasil.

O zagueiro Mimica conversou com a imprensa antes da atividade, que foi realizada no Baenão, e afirmou que o revés no Re-Pa não abalou o grupo para o importante jogo contra o Freipaulistano (SE).

“Não abala, não. A gente está focado, sabe que nosso objetivos são grandes durante ano. Foi apenas um jogo. Infelizmente perdemos, pequeno detalhe. É o futebol. É erguer a cabeça. Temos a oportunidade de já na quarta-feira (12/02) dar a volta por cima”, avaliou.

“Vamos enfrentar eles (Paysandu) mais na frente ainda. Agora é se preparar para conseguir um bom resultado no próximo jogo”, completou.

Não é que o time não refletiu sobre os erros apresentados contra o rival bicolor, mas a necessidade financeira de avançar na Copa do Brasil e o pouco intervalo de tempo até a partida no Sergipe fazem com os azulinos tenham como principal preocupação no momento o estudo do próximo adversário.

“Perder um clássico é doído, principalmente para nós, que estamos há 7 jogos sem ganhar o nosso rival, mas somos profissionais, temos jogadores maduros e experientes. Temos consciência que quarta-feira (12/02) fará grande diferença para o resto do ano. O foco total já é na quarta-feira”, disse.

“Sabemos da responsabilidade que temos na Copa do Brasil. Ano passado saímos (na 1ª fase) e sabemos que em todos os aspectos, principalmente financeiro, é muito importante para o clube e para nós jogadores”, reforçou Mimica.

O zagueiro, aliás, pode ter grande importância para a comissão técnica nos próximos dias. Como já atuou no futebol de Sergipe há poucos anos, o azulino conhece o treinador e alguns jogadores do Freipaulistano (SE) e essas informações já vêm sendo repassadas ao grupo.

“Tive a oportunidade de jogar no Confiança (SE) por 2 anos e joguei com alguns jogadores que estão lá no Freipaulistano (SE). O próprio treinador, o Betinho, não trabalhei com ele, mas antes de chegar no Confiança (SE), ele estava lá, depois foi interino no Sergipe (SE). Conheço um pouco do trabalho e vou passar para o professor (Rafael Jaques) e para a rapaziada”, falou.

“Agora é estudar o nosso adversário. Não dá tempo de treinar muito, é mais descansar e assistir vídeos do adversário para fazer uma boa partida”, salientou.

Remo e Freipaulistano (SE) se enfrentam na próxima quarta-feira (12/02), às 16h, no estádio Titão, na cidade de Frei Paulo (SE). O Leão precisa somente de um empate para avançar de fase. Caso se classifique, o time paraense fatura quase R$ 1,2 milhões, valor que é a somatória das cotas da 2 primeiras fases – R$ 540 mil e R$ 650 mil, respectivamente.

Globo Esporte.com, 10/02/2020

7 COMENTÁRIOS

  1. É isso aí. O jogo com o Paysandu já é PASSADO. O IMPORTANTE agora é focar nesse jogo de Quarta-feira. É jogar com RAÇA que tudo vai dar CERTO.” FORÇA E FÉ LEÃO…”.

  2. O Remo é um time em formação e precisa jogar mais para ganhar consistência, ficar mais encorpado. O ano de 2020 está só começando. Outros jogos existirão com o Paysandu. O omportante é o resultado final. Prá frente Leão.

  3. Se houver mudança no time tirando o XAVES, RUINAEL E O CHARLES, eu irei acreditar que o LEÃO fará um grande jogo.

Comments are closed.