Castanhal 0×1 Remo (Gustavo Ermel, Charles e Gelson)
Castanhal 0×1 Remo (Gustavo Ermel, Charles e Gelson)

O técnico Mazola Júnior acumula mais um problema no setor ofensivo para os próximos jogos da temporada. Um exame realizado na manhã desta sexta-feira (14/08) detectou uma lesão grau 1 na coxa esquerda do atacante Gustavo Ermel.

De acordo com o boletim médico divulgado pelo Remo, o tempo de recuperação da contusão é de 10 dias e o atleta já iniciou o tratamento.

Gustavo Ermel foi substituído aos 45 minutos do primeiro tempo do jogo diante do Castanhal, realizado na última quinta-feira (13/08), pela semifinal do Campeonato Paraense. Pelo tempo de recuperação, deve ficar de fora do confronto de volta diante do Japiim e dos embates contra Ferroviário (CE) e Imperatriz (MA), ambos pela Série C. Titular do Remo, o jogador fez 9 jogos e marcou 3 gols em 2020.

Esse é mais um problema ofensivo para o técnico Mazola Júnior, que também já não vinha contando com o atacante Zé Carlos, que está em tratamento no DM azulino depois de reclamar de dores no joelho esquerdo, além de Tcharlles, recém-contratado que realiza fortalecimento muscular e ainda não estreou pelo Leão.

Globo Esporte.com, 14/08/2020


O jogo entre Remo e Ferroviário (CE) será no domingo (16/08), a partir das 18h, no estádio Mangueirão, em Belém, valendo pela 2ª rodada da Série C. Esta partida terá transmissão ao vivo e exclusiva pela DAZN. Clique aqui para fazer sua assinatura agora e ganhe 30 dias grátis.

11 COMENTÁRIOS

  1. Considerando que o critério de contratação não está considerando a idade, o que concordo pois bons jogadores sabem fazer de suas experiências vantagens, considerando, que esse Walace, é muito ruim, longe de ser um Grabriel Lima, por exemplo, que veio da base e prestava, seria bom o Remo pensar em mais atacante. Acho que se trouxeram o Zê Carlos, com 37 anos, pelo seu bom currículo, porque não pensar no Aleilson, com 34, também pelo bom currículo e por está com uma maior movimentação que o Zê Carlos, pelo que se viu nos jogos do Paragominas. Acho que o Aleilson bem preparado seria uma boa opção para se ter no plantel. Com certeza, melhor que esse Walace,. Jogador novo que, da base, entra com a disposição que teve contra o Castanhal dificilmente dará certo. Jogador sem força, sem garra, sem coragem, sem vontade, sem tudo. Muito ruim! Foi esse que passou pela base do Palmeiras? Se foi, parece que o futebol que tinha É que justificou sua ida foi esquecido ou esse episódio o envaideceu tanto que ele desaprendeu.

    • Wallace foi artilheiro em todas as categorias de base, subiu esse ano para o profissional, em jogos amistosos desse ano ele entrou fez gols decisivos para o Remo. Não teve uma única chance de ter entrado como titular no profissional. Aí o garoto é ruim? Idem o Hélio.

      Meninos da base não prestavam quando jogavam no Remo, mas quando saem do clube se destacam.

      Já os jogadores contratados de fora, normalmente caros, tem inúmeras chances de jogar porque o esquema com empresário, diretor e treinador manda na parada, mesmo que o cara seja ruim como Xaves, Zé Carlos, Neguete e outros.

      Os moleques da base lutam por uma chance de jogar, comumente entram na podre e durante o jogo, parece que é para queimar o menino. Lucas, Ronald, Pingo, Warlen, David Lima, Wallace e Hélio são bons jogadores crias da base.

      • Respeito sua opinião! Gostaria de perguntar onde andam o Heliton e o Felipe Mamão? Acho que ser jogador de futebol é uma profissão difícil. Muitos garotos bons de bola querem ter sucesso.. Mas, considerando o número que tenta e o número que vence e se dá bem, são poucos. São incontáveis os casos em que jogadores que se destacaram na base não apresentam o mesmo rendimento no profissional. Não concordo que jogador da base mereça preferência. O jogador para jogar tem que ter a oportunidade e demonstrar que é bom. Outra situação comum é essa de não ir bem em um clube, as vezes o que o formou, e ir bem em outro. Isso é comum no futebol e são inúmeros os casos também. Não vejo porque lamentar isso. Estava mal no clube, tem que sair para melhora do clube e do atleta também. Agora tem casos também que o sujeito é todo formado no clube e quando o jogador se firma no profissional, não acaba nem um campeonato regional e já se manda procurando melhoras. Até concordo pois todos querem melhoras, e daí não quer ser saber se está em pleno campeonato, se vai desfalcar, não quer saber de nada. Daí ninguém fala disso, o Clube é sempre vilão na situação. Também são inúmeros os casos em que isso acontece. Eu sou Remista e quero que surjam muitos jogadores da base que beneficiem o Remo e por conseguinte se dêem bem também. Mas, acho que por vezes endeusam muito jogadores da base que ainda nem tem trajetória que justifique e as vezes até estragam o jovem que não se esforça como deveria porque já se acha um grande craque e não se entusiasmam mais em jogar no Remo, ou no clube que o formou pois já pensam em contratos milionários. Uma subida se faz indo degrau por degrau. Vi um depoimento do Josué, campeão mundial pelo São Paulo, na Dazn, onde ele explica sobre o passo a passo de sua trajetória. Torço por todos da base. Torço por um Remo forte com bons jogadores da base e bons jogadores vindos de fora indistintamente sem predomínio de um grupo ou de outro, o que importa serão os bons desempenhos e resultados. É minha opinião. Mas, respeito a sua, reitero.

        • Caro irmão azulino Jamil, o respeito é mútuo, só divergimos um pouco.

          Não vejo endeusamento aos moleques da base, pelo contrário o torcedor é bem exigente com os garotos. O que se ver é a pouca importância à eles no próprio Remo, algo que parece proposital para o esquema com empresários. O clube perdeu recentemente o moleque Rony que poderia estar jogando na lateral direita, exemplo de descaso. O menino Ronald apesar de ter mostrado futebol não tem tido sequência de jogos, etc.

          Os meninos precisam de um tempo no processo de transição da saída da base para o profissional, porém jogam o peso da responsabilidade nas costas dos garotos os exigindo como se já fossem veteranos. Aí os moleques entram no podre e jogam como se fossem sua única chance. Já os estrangeiros tem inúmeras oportunidades. Isso é uma grande sacanagem.

          Não é justo julgar a base citando só Felipe Mamão (34 anos) e Helinton (31 anos), apesar de Heliton tem sido por 5 anos o cara da mucura.

          Cametazinho, Jonnathan, Betinho, Reys, Raul (melhor zagueiro do campeonato português), Alex Ruan, Tsunami, João Victor, Gustavo, Gabriel Lima, Rony (Palmeiras) … representam de forma mais justa a base do Remo. Já pensou esses caras jogando juntos pelo Remo hoje? Possivelmente seria um time melhor que o atual.

          Um forte abraço e saudações azulinas

  2. Muuuuuuito fácil resolver o problema no ataque do Remo. Olhem aí Quadrado, Pecel, Joao Leonardo, Paulo Rangel, todos dando sopa, mas o Remo insiste em trazer jogadores de fora pior que os nossos! Até quando o remo continuará com as mesmas remisses de sempre?!?!?! FORA KILA!!!!!!!

  3. É muita irresponsabilidade da comissão técnica, pois a prioridade deveria ser a série C, não tinha necessidade de jogar com titulares contra o Castanhal, jogadores importante como Vinícius, ER e Ermel deviam ter sido poupados.

    O Ermel é o único atacante de qualidade do time, se contundiu e não jogará contra o Ferroviário-CE, jogo importantíssimo.

    A diretoria deveria mandar embora as ruindades como Zé Carlos e Xaves, contratar dois jogadores de qualidade como centroavante João Victor e o atacante Gabriel Lima.

    Tem jogadores daqui como Quadrado e Pecel que são melhores que porcarias velhas do atual plantel. Se a questão é dinheiro, por que não dar oportunidade para os locais em vez de trazer desqualificados de fora?

  4. Talvez, o Remo venha dar “passos certos por caminhos tortos”. Essa sequência de contusões nos atacantes preferidos pelo Mazola Jr poderá levar o treinador a se obrigar (muito a contra-gosto) a escalar alguém que veio da base do clube. A hora dos moleques está chegando.

    • Tcharlles não é “bichado”, ele chegou com a musculatura cansada, pois não estava recebendo os cuidados necessários no seu antigo clube. Logo que fez os primeiros testes no NASP foram detectados índices acima do tolerável e foi feito um trabalho preventivo. Se ele chegasse jogando, provavelmente se lesionaria no primeiro jogo e ficaria bem mais tempo no DM.
      Amigos, o trabalho do NASP é único no Norte do Brasil!

  5. ALÔ TORCIDA AZULINA, VAMOS FAZER MANIFESTAÇÃO NAS REDES SOCIAIS PELA PERMANÊNCIA DE FÁBIO BENTES PARA UM MANDATO NO COMANDO DO LEÃO AZUL. #FICA FÁBIO BENTES FORA MAGNATA.

Comments are closed.