Remo 0×1 PSC (Charles)
Remo 0×1 PSC (Charles)

O Remo chega ao clássico com a preocupação de manter a linha vitoriosa iniciada com o triunfo sobre o Manaus (AM), domingo (27/09). O resultado pôs fim a 7 jogos sem vencer na temporada.

Neste sábado (03/10), diante do Paysandu, o time de Paulo Bonamigo tem outro desafio: quebrar a série de 10 jogos sem comemorar uma vitória sobre o maior rival.

Bonamigo não era o técnico do Remo no ano passado, mas deve ser informado sobre o ocorrido com Márcio Fernandes no primeiro clássico válido pela Série C.

Certo de que era um jogo como outro qualquer, Márcio encarou o time bicolor sem os devidos cuidados e acabou derrotado por Hélio dos Anjos.

Ganhar o Re-Pa deu forças ao adversário azulino para disparar rumo à classificação para o mata-mata, enquanto o Leão não acertou mais o passo e acabou eliminado na última rodada.

O jogo funcionou como um “divisor de águas”, expressão que Márcio Fernandes repeliu durante a entrevista pós-jogo.

Antes do clássico, o Remo fazia uma campanha positiva, acumulando pontos e se mantendo sempre no G4. Após o revés, o time entrou em viés de baixa e nunca mais foi o mesmo, situação agravada pela perda dos meias Douglas Packer e Carlos Alberto.

Pelas palavras de Bonamigo e Matheus Costa, novo técnico do Paysandu e estreante em Re-Pa, é possível projetar um jogo aberto e ofensivo, embora com as cautelas normais que o clássico exige.

O Leão volta a campo no próximo sábado (03/10), às 19h, para mais um clássico Re-Pa, no Mangueirão. O jogo é válido pela 9ª rodada da Série C, a última do primeiro turno. Esta partida terá transmissão ao vivo e exclusiva pela DAZN. Clique aqui para fazer sua assinatura agora e ganhe 30 dias grátis.

Blog do Gerson Nogueira, 02/10/2020

10 COMENTÁRIOS

  1. Vamos jogar com paciência e inteligência pois estamos dentro do g4 é esperar o desespero do rival listrado

  2. Eita imprensa! Coisa nenhuma! Papo furado esse negócio divisor de águas. O que causou impacto no Remo já passou e foram as duas derrotas no paraense e o empate com o Botafogo em casa. O Bonamigo vai para o segundo jogo, está praticamente fazendo retificações em erros do setor ofensivo, como ele mesmo expôs em uma matéria de jornal. Ainda nem conseguiu impor com maior intensidade a sua filosofia, está no início trabalhando essa parte ofensiva do Remo, que em apenas um jogo já se percebeu boas mudanças. Tem todo o segundo turno e na retrospectiva de outros anos são inúmeros times que engrenam a partir de agora e chegam bem na reta final e sobem. No ano passado começamos melhor. Mas, entendo que, entre muitos fatores, os outros times naturalmente cresceram na competição, o Remo passou a ser muito estudado, elenco sem reservas a altura, contusões. Ainda assim o que colocou de fora mesmo foi a armação no jogo do sul, com o pênalti arranjado. Mas, enfim são coisas que acontecem no futebol. Time que não quiser passar por isso que vença com folga para ter vantagem na tabela. Embora essa situação de folga tem sido difícil na série C, onde pela restrospectiva se observa ser um campeonato muito equilibrado. Os times grandes não tem confirmado favoritismo mesmo porque estão na série C, que é um indicador no mínimo de restruturação após uma queda do clube por motivos diversos. Assim, não se tem condições de investir em elenco da maior qualificação e que seja um rolo compressor vencendo a grande maioria dos jogos com sobra. Além disso tem muitos jogadores não querem jogar a série C. Então, não é p. nenhuma de divisor de águas. Concordo que não é um jogo qualquer, dar porrada no payssandu é muito bom. Afinal é a rivalidade regional. O trabalho está sendo feito, vai continuar e a tendência é melhorar, o Remo está na briga e vai fazer o bom combate. Estamos com boa expectativa. O Remo vai ganhar. Leããão p….!

    • O Remo não pode empatar muito menos perder pra mucura pitiu, ja são 10 jogos sem vencer o GAYsandu e é a primeira vez que eles chegam a um tabuzinho como este, eles jamais chegarão aos 33.

  3. Concordo plenamente com o Gerson dessa vez, quem ressuscitou o rival o ano passado foi o Remo sim, porque estava com 5 pontos à frente e “poderia perder. Não foi por falta de aviso…agora só espero que não se repita.

    • Eu não concordo com esse negócio de divisor de águas. É possível que o payssandu tenha se motivado quando ganhou o Remo, também tinha trocado treinador, salvo engano, não sei se fizeram contratações. Mas, não vejo que o Remo caiu de produção porque perdeu aquele jogo. Ocorre, na minha opinião, que fazemos uma análise exclusiva do Remo e não nos importamos com outros times na competição. Acho que naquela altura do campeonato além de problemas que o Remo teve com contusões, afastamento de jogadores, o campeonato caminhou para um equilíbrio a partir do crescimento dos adversários que também contratam e reforçam seus times, trocam treinadores, melhoram o entrosamento, melhoram sua condição física. O Remo no primeiro turno saiu na frente porque veio com uma base, inclusive treinador, do estadual. O segundo turno foi equilibrado, tanto que os quatro classificados terminaram com a mesma pontuação 28 pontos e o Remo ficou em quinto com 27, Volta Redonda em sexto com 25. Acho que essa imprensa cria essa situação, essa energia, para negativizar ou por sensacionalismo. Isso é o que penso. Respeito quem não pensa assim. Nesse o momento a situação do Remo é de crescimento, após a oportuna sacudida em tempo hábil feita pela gestão. Só penso no melhor que novo o trabalho pode proporcionar como já indicou em um pequeno tempo e já na única partida dirigida pelo Bonamigo. É isso aí!

      • Tu isso que você falou, dos outros times crescerem, de contusões e contrações, tudo é verdade e normal. Ano passado eu insisti muito no perigo de perder aquela partida, porque senti que uma derrota teria um efeito psicológico muito ruim naquele momento porque o Remo já vinha caindo de produção, já era um time previsível, embora ainda se mantivesse no G4, achei o técnico, jogadores e até torcedores muito relaxados, inclusive dizendo, como está na reportagem, que seria um jogo normal (um técnico não pode dizer diante de um clássico) foi algo que soou como soberba (devido à gordura de 5 pontos naquele momento) ou displicência. E eu, como não vejo só do “meu” lado, acho que isso serviu de motivação pro outro lado, principalmente com um técnico novo…e o resultado em si poderia ser normal, o Remo ainda ficou em vantagem de pontuação, o problema é que o time já estava caindo e serviu sobretudo para que outro lado crescesse. Imagina o Remo ganhando e abrindo 8 pontos de vantagem? Eles além de não nos alcançarem, ainda brigariam para não serem rebaixados.

  4. Não existe divisor de nada. A partida será jogada, assim como serão jogadas as outras nove do returno. Cada uma delas vale os mesmos três pontos. O somatório desses pontos é o que importa, lá no final da primeira fase.
    Quem conseguir manter a melhor regularidade em toda a competição, sorrirá no final.
    O jogo é o nosso “clássico regional”, mas, só vale três pontos.
    Vamos pra dentro LEÃO! Vai dar LEÃO AZUL!

  5. Hoje o Remo está em crescimento, embora a diferença de pontuação seja menor e se eles ganharem, mesmo eles ficando um ponto à frente, acho que dá pra brigar, porque como disse, o Remo tende a crescer mais, com a mudança de técnico e novas contrações. Mas é claro, uma vitória deixaria a vantagem de 5 pontos e sinceramente, com essa vantagem, seria muita moleza chegar no último jogo com eles e ainda ficar atrás…portanto, acho hj o cenário diferente, mas os jogadores precisam entender e incorporar o jogo de sábado, às vezes vc acha que tem grande vantagem e relaxa, mas agora não existe. Sobram motivos para uma vitória, seja de qualquer placar. Espero que o jogadores estejam num dia bom.

Comments are closed.