João Victor
João Victor

O Tribunal Regional do Trabalho (TRT8) condenou o Remo a pagar mais de R$ 370 mil ao lateral-esquerdo João Victor, que passou pelo clube no primeiro semestre da temporada 2016. Sem render o esperado, o jogador perdeu espaço com a saída do técnico Leston Júnior e foi dispensado mesmo em tratamento de uma lesão no púbis.

João Victor acionou a Justiça ainda em novembro de 2016, alegando que o clube deveria pagar os salários até o final do contrato, já que a dispensa antecipada aconteceu em junho, além de férias proporcionais, 13º e FGTS não depositado corretamente no período em que esteve no Baenão.

Ainda nas alegações dos advogados de João Victor que foram acatadas pelo TRT estavam outros agravantes. Por conta da lesão, o jogador teria que ter seu vínculo automaticamente renovado por 12 meses e, tampouco, poderia ser dispensado, uma vez que possuía estabilidade provisória.

“João Victor teve uma grave lesão no púbis quando estava no clube. Quando o Remo o demitiu, ele ainda estava em tratamento. Por isso, entramos com uma ação cobrando as indenizações pelas lesões e o seguro obrigatório que ele está contido no artigo 45 da Lei Pelé. A outra indenização é da estabilidade provisória, pois o Remo não poderia ter demitido o jogador por conta da lesão e ainda tinha obrigação de renovar o contrato dele por 12 meses”, completou Filipe Rino, advogado de João Victor.

Ainda de acordo com Rino, depois que deixou o Remo, João Victor teve que abandonar o futebol. O jogador segue realizando tratamento médico na região do púbis, que é o músculo da arrancada, essencial para a prática do futebol.

“Ele faz tratamento até hoje. Teve que encerrar a carreira por conta dessa lesão. Muito difícil ele retornar. Ele esta há quase 2 anos sem atuar”, finalizou.

O advogado do Remo, Pietro Alves Pimenta, informou que o Remo vai recorrer da sentença.

“Fomos intimados da sentença pelo Diário Oficial na data de ontem (quinta-feira). Iremos analisar com bastante cuidado a decisão para interpor os recursos cabíveis, no prazo legal”, disse.

Globo Esporte.com, 15/03/2019

3 COMENTÁRIOS

  1. Eu não entendo nada dessa área jurídica, más que tal um membro da torcida remista entra co um pedido na justiça contra os dirigentes do clube nessa época para ressarcir o clube num eventual prejuízo em relação a esse jogador . só assim esse dirigentes atuais vão ter mais cautela ao contratar esse pernas de pau que vem só roubar o Remo.

  2. Putz…o clube do remo virou um. Verdadeiro pão de santo Antonio….ajuda aos aleijados…só com condenação milionária ….que vai pagar essa conta será que é o torcedor que vai ser chamado….

  3. É brincadeira da diretoria passada,bando de amadores,eles deveriam pagar essa indenização ao inves do clube,irresponssáveis devem alguém estar ganhando algo com essa indenização,o setor juridico não sabiam que não podiam dispensar esse lateral ruim que estava contudído???muito estranho isso,é somente burrice mesmo????

Comentários