Márcio Fernandes

O ex-técnico azulino Márcio Fernandes avaliou o trabalho que fez frente ao Remo, falou dos planos que tinha no Leão e comentou sobre o futuro do clube nas mãos da atual diretoria.

Fernandes comandou o Remo em 28 partidas, com 10 vitórias, 13 empates e 5 derrotas, com um aproveitamento de 51% dos pontos disputados.

O treinador de 57 anos comentou sobre os atacantes Cleberson Tiarinha e Higor Felippe, que sequer foram utilizados, além de falar sobre a diretoria, Eduardo Ramos e problemas que culminaram na eliminação.

“Iniciamos bem o campeonato. Alguns treinadores falaram que estávamos jogando o melhor futebol dentro da Série C, mas perdemos peças importantes, como o (Douglas) Packer, Rafael Jansen, (Guilherme) Garré, Djalma e Carlos Alberto. Lógico que isso não serve de desculpa, mas foram peças importantes que poderiam ter ajudado nessa reta final de competição”, disse.

Márcio falou sobre a chegada do meia Eduardo Ramos, “xodó” de parte da torcida. Fernandes disse que o camisa 10 agregou ao grupo, mas que sofreu uma pressão absurda pelo passado dele no clube.

“A chegada do Eduardo foi com o meu aval. Tudo foi decidido em conjunto, sem problemas. Não recebi pressão alguma para escalá-lo. Ele chegou e foi titular devido a dedicação nos treinamentos, foi o melhor da posição e temos que reconhecer o valor do Eduardo. Por tudo que já fez pelo clube, a cobrança foi muito grande nele”, comentou.

“O elenco recebeu a chegada do jogador de forma tranquila, até pelas condições do Eduardo. O jogador não aceita quando dentro de campo ele não corresponde, não se doa. Eduardo possui uma qualidade fantástica, nosso vestiário sempre foi tranquilo. Tanto ele como o Neto Baiano, que chegou na reta final, não tem culpa pela desclassificação. Eles nos ajudaram muito e vão dar muitas alegrias ao clube”, completou.

Márcio resolveu falar sobre não utilizar os atacantes Higor Felippe e Cleberson Tiarinha no decorrer da Série C. Segundo o técnico, a avaliação foi técnica e o clube precisava de uma atenção para a posição de ataque.

“Tiarinha estava se recuperando no clube e surgiu a possibilidade de ser avaliado no (Campeonato) Paraense, mas ele foi inscrito um dia depois (do prazo) e não tive como avaliá-lo. Durante a Série C, chegaram algumas peças e ele era o 5º jogador para a posição. Nos treinos, ele não conseguiu render o esperado e saiu sem atuar. Já com o Higor, foi diferente. A diretoria me chamou, falou que havia uma ‘condição’, que agora não merece entrar em detalhes, e trouxemos o Higor. Ainda é cedo para falarmos do jogador. O Remo é um time que possui uma exigência muito grande e que requer para esse setor uma qualidade acima que o Higor produz. Quem sabe na Copa Verde ele possa ter chances?”, falou.

“Acredito que não era para ser (eliminado na Série C). Fizemos de tudo para conquistá-la, somamos um número de pontos (27) que em outros anos daria para classificar. Na penúltima rodada, perdemos peças importantes como Zotti, Djalma e Gustavo Ramos. Não adianta falar, tentar explicar. Lá na frente vamos entender o que realmente ocorreu”, lamentou.

Márcio comentou também sobre os garotos Hélio Borges, Pingo e Laílson, atletas que receberam oportunidades com o treinador, mas não poupou críticas ao que o clube faz com a base.

“O Remo precisa olhar mais para a base. A estrutura não é a ideal, mas se melhorar a estrutura e der condições de trabalho aos funcionários, a base do clube poderá ser um celeiro muito forte. Hélio, Pingo e Laílson foram atletas que vi que tinham mais condições de adquirir experiência, que têm potencial mas que precisam ser lapidados”, apontou.

“Foi uma passagem (pelo Remo) feliz, conquistamos um dos objetivos (título estadual) e, por muito pouco, não conseguimos o principal deles (acesso à Série B). Dei o meu melhor, trabalhamos no limite mas, infelizmente, não deu. Lá na frente vamos saber os motivos dessa eliminação”, disse.

O treinador comentou a situação do clube e projetou um futuro bom para Remo, se continuar com a atual diretoria.

“O clube precisa de um trabalho a longo prazo, de buscar jogadores, fazer com que eles atuem com um padrão de jogo. É preciso ter paciência no futebol. Terão oscilações, mas é necessário ter algo a longo prazo para colher frutos maiores. Nos últimos anos, o Remo teve uma média de 3 treinadores por temporada, cada um com métodos diferentes, estilos diferentes. Fábio Bentes pegou o clube agora, vejo integridade nele. Muitos jogam contra, mas ele está dando uma nova cara ao Remo e mudando a fama do clube de não pagador. Se ele permanecer por um período maior no Remo, as chances de êxitos são grandes”, finalizou.

O Liberal.com, 28/08/2019

23 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns Marcio Fernandes, vc tirou leite de pedra! Será bem vindo numa próxima oportunidade

    • Vc realmente, fez um excelente trabalho…obrigada, pelo Parazao!!!
      Lamento pela saida!!!

  2. verdade ,tirou leite de pedra, mas realmente fez um bom trabalho. foi profissional e acima de tudo dedicado. respeitou o clube e sua torcida. Quem sabe não retorna um dia com o Remo mais estruturado.Boa sorte em seu seguimento .

  3. Não é um tecnico ruim, o seu maior erro foi olhar e tratar o clássico regional como uma partida comum, quando todos nós sabemos que é uma competição à parte.
    Todo preparo e planejamento vão para o ralo quando se é derrotado em um clássico.
    Para o fenômeno azul, a glória do Remo não está tanto em vencer muitas competições, mais em sempre derrotar, derrotar sempre seu maior rival e freguês: a mucura listradinha.
    Mesmo eliminados, se não tivéssemos perdido nenhum clássico, a dor seria menor.

    • Concordo com suas considerações. Esse é o pensamento em geral da torcida. Mas aponto que esse pensamento tacanho, não nos deixa crescermos como clube.

  4. Márcio Fernandes tentou explicar os motivos da desclassificação, porém, deixou alguma coisa no ar, “lá na frente vamos saber o motivo da eliminação”. Qual sera???

    • Pois é! Entendi que teve alguma coisa. Talvez não no Remo. Parecia que diretoria e comissão técnica estavam afinadas. O comentário dele sobre o presidente também remete a esse bom entrosamento. Mas, ele diz também que muitos jogam contra. Talvez se refira ao ambiente dentro do Remo. Muita gente sabe que no Remo tem aqueles sujeitos, as vezes ex atletas, obsoletos que se acham donos e que quando não estão na gestão ou não chamados a participar, ficam conspirando contra e não saem de lá futricando. Querem está participando , opinando sobre vindas de jogadores, indicando, etc… No ambiente externo a imprensa aqui no Pará é toda payssandu. Os que se dizem ou se suspeita que simpatizam com o Remo são vinculados ou empregados em grupos cuja liderança é payssandu e por conseguinte dependem. A federação, essa então, nunca saiu da mão do ex presidente que foi lá para CBF, os atuais são um nada. Se for isso! A conspiração anti-Remo no estado. Isso os mais atentos ja sabem. Não desmerecendo o Grande Remista, o Marechal da Vitória, Manoel Ribeiro, o qual e sempre a favor, que não mede esforços para assumir o Remo nas dificuldades, quando outros fogem, o resultado das urnas foram os melhores indicadores aos do contra de que mais importante aos Remistas é o Remo. Não votei em Fábio Bentes, não o conhecia. Mas, aprovo sua gestão porque percebo que está sendo benéfica ao Remo e o Remo, para mim é o mais importante..

      • Perfeito, amigo. Eu votei no Fábio. Temos que continuar com gestores nesta linha por um tenpo, pra sairmos desse buraco.

  5. Precisamos de um técnico vibrante, valente, mordido, que não aceite a derrota passivamente, que passe espírito de guerra, que mecha com o brio de seus comandados, que os faça entender que a instituição Clube do Remo e a torcida fenômeno azul não podem ser envergonhados por qualquer timeco que não tem torcida e nem tradição no cenário nacional, nem muito menos por essa mucura fedorento.

    • Um treinador que diz que RE X PA é um jogo como outro qualquer não merece vestir nossa camisa, e não entende o espírito do futebol paraense !! Ainda por cima, blasfema ao dizer que ER foi o melhor da posição ! Sacanagem com Garré e até mesmo com o Zotti que em seus piores dias ainda mostrou mais brio que a ameba.

  6. Concordo com o amigo acima.
    Não é fácil lidar com situações adversas como de não poder contratar com mais qualidade por falta de recursos.
    Acho que ele fez o que pôde com o que tinha.
    Se errou paciência. Todos erram.
    Mas acredito que foi muito honesto em seu trabalho no Remo.
    Ninguém pôe time em campo pra não vencer.
    O problema que não maioria das vezes a culpa é do treinador

  7. O que seria mesmo esse “lá na frente vamos saber”???.
    Acho que ele como grande profissional não irá sair atirando em respeito ao nosso presidente.
    Mas algumas coisas devem ter ocorrido internamente.
    Mas assim mesmo, muito boa sorte a você Márcio.

  8. Melhor treinador que o Remo já teve nos últimos tempos, infelizmente sofreu com falta de opões e perda de jogadores, a torcida aqui é muito imediatista futebol como disse aí o próprio professor é a longo prazo.. São José entre os classificados é a prova disso jogam juntos a 3 anos com o mesmo treinador mas lá não tem torcida pra pressionar diretoria, aqui a torcida precisa começar a entender o futebol e incentivar o clube pra um dia sairmos dessa.

  9. Também gostei do trabalho desse treinador. Com um time limitado, principalmente no ataque, com Alex Sandro,esse o pior, Emerson Carioca, Danilo Bala e Gustavo Ramos, voluntarioso, mas sem personalidade para atuar no Remo, Marcão, centro-avante totalmente se ritmo de jogo, estava parado e não retornou, fora o dispensado que nem lembro do nome, lembrei! Mário Sérgio, não dava para conseguir chegar. Fora jogadores como Ramirez, acho que 35 anos, Eduardo Ramos, que ainda considero o maestro, Zotte, 37 anos, Neto Baiano, 35 anos, que são de excelente nível técnico, mas de condição física sofrível e que, na reta final, não conseguiram render o esperado. Então o muito do que se fez e chegou foi mérito do treinador, desconsiderando, nessa análise, a gestão do clube que foi e está sendo boa. Lembrando que as contratações, as boas e ruins, foram o que se podia fazer, eu acho.Também acredito que é necessário investir em um bom treinador por um tempo maior a fim de que se faça um trabalho de médio e longo prazo. Essa falta de paciência da torcida, que tem suas razões, inflamada pela imprensa que só detona o Remo, mal intencionada, que possui lado, e que forma opinião de torcedores que não percebem isso, dificulta a recuperação do Remo. Isso sem contar com os crônicos dentro do Remo que se dizem Remistas, mas estão lá dentro torcendo contra, para poder voltar e continuar se beneficiando e aparecendo as custas do Remo. Então, é de fato muito difícil. Mas, gosto dessa gestão e acredito que com o avanço desse projeto administrativo, bons frutos virão, com o reconhecimento de todos e chances de efetivo e profícuo crescimento do Remo. Acho o mandato de 2 anos, pouco para quem quer fazer e muito para quem não faz nada.

    • Jamil, nos poupe dessa sua análise sem pé nem cabeça, comentários longos para explicar o que todos já sabem e para de babar o ovo do teu “MAESTRO” que não tem sangue na veia, e se tiver já está ralo de tanto destilado !!! Da próxima vez é melhor ficar calado pq tá ficando feio !!

      • O espaço é público. Acho interessante e parabenizo a pessoa que disponibiliza esse espaço para torcedores colocarem sua opinião. Quanto a esse ou aquele jogador a opinião é pessoas. Se você não gosta de um de outro é direito seu como é meu o direito de gostar ou não e me manifestar.Deve existir um revisor do espaço que admite ou retira comentários ofensivos. Quanto a ficar calado. Quem deve ficar é você que não preparo para participar de espaços democráticos. Precisa aprimorar, caso tenha, sua educação para exercer seu direito e respeitar o de outros.

      • Vai te educar e aprender a respeitar as opiniões e direitos pessoas cidadão. Vou ficar calado sim. Sempre entendi que esse espaço tinha para evitar manifestações de pessoas despreparadas como você. Em outras vezes até agradeci aos administradores do espaço. Mas, como permitiram uma manifestação mal educada como a sua vou me retirar sim. Ainda respondi para você em igual teor. Mas, não publicaram. Entrando permitiram sua manifestação grosseira e mal educada. Me calo sim. Compartilhar espaço com pessoas como você não é para mim .

  10. Gente, creio que ninguém pode dizer que o Márcio Fernandes foi desonesto ou coisa parecida, porém, depois de não ter conseguido o objetivo maior e já fora do comando técnico, fica fácil apontar motivos ocultos oara o insucesso. Boa sorte, Márcio Fernandes.

    • O Márcio Fernandes fez um bom trabalho no meu leão, boa sorte treinador vc deixou as portas abertas pra uma próxima oportunidade

  11. amigos remistas tenho uma analise sobre treinador para o Remo.tecnico para comandar o nosso leao tem quer fazer igual o luxemburgo no vasco chegou sacudiu os jogadores efetivou jogadores da base mostrou para eles q jogam num time grande precisam se doar.Hj o vacso vive uma cituacao igual a do remo sem dinheiro para grandes contratacoes mas tem camisa.vamos copiar coisas boas que deram certo em outras equipes parem de trazer tanto jogador sem condicoes de vestir essa camisa que ja foi um dia de aguinaldo belterra argel landu q vestiam a camisa e se transformavam em campo.botem jogadores paraense nesse time para mesclar com os di fora eles sabem o que e jogar no remo.antigamente o maior rival tinha o time na 1 divisao e o remo metie a peia nao queria nem saber eram maioria jogadores do para

  12. O Imperatriz tá no mata mata muita sacanagem por isso va com Deus MF….nunca foi tão fácil classificar…tchau pra ti MF.

Comments are closed.