Marcão
Marcão

O zagueiro Marcão foi titular durante a maior parte da temporada, mas as negociações para a renovação de contrato emperraram nos valores solicitados pelo jogador e ele está praticamente descartado dos planos do Remo para 2020.

O jogador tem vínculo com o Marítimo (Portugal) e passou a temporada apenas emprestado ao Leão, que chegou a oferecer um aumento de quase 70%, mas Marcão pediu um valor ainda maior.

O diretor de futebol do Remo, Dirson Medeiros, não falou em números, mas admitiu que o zagueiro está cada vez mais distante de um novo contrato.

“Ele quer um aumento que a gente não pode pagar, é uma situação complicada com o Marítimo (Portugal). A gente “largou de mão”. Se ele quiser voltar atrás e aceitar o salário que a gente propôs, ele volta. Caso contrário, ele vai procurar o que é melhor para ele”, explicou.

Marcão foi anunciado pelo Remo em fevereiro, após a grave lesão de Mimica. O zagueiro estreou em março e logo se firmou no time titular. Ele participou de 27 dos 39 jogos do Leão no ano e balançou as redes 3 vezes, todas elas pela Série C do Brasileirão.

Seu principal parceiro de zaga foi Fredson, que já renovou para o ano que vem, assim como Mimica e Rafael Jansen, que também têm vínculo até o final de 2020.

Sem Marcão, o clube deve ir ao mercado para ter pelo menos mais uma opção com experiência para a posição durante o Campeonato Paraense.

Globo Esporte.com, 18/11/2019

7 COMENTÁRIOS

  1. Já vai tarde , zagueiro passarão demais , quer ganhar o que não vale ! Pode ir, seja feliz !

  2. O jogador conseguiu colocar o time na serie B? Não, então não merece aumento. Se conseguisse subir com o time para serie B poderia merecer um aumento até pq as receitas da serie B são maiores tb, mas como não conseguiu então o salario tb não deve aumentar. Simples assim, isso deve valer para todos.

  3. Faz-me rir passarela…entregou gols decisivos aos adversários e quer aumento….sai dai sua híngua!

  4. Deus é pai! Esse quase me mata com as saídas de bola totalmente desnecessárias. Sinceramente, já vai tarde!

Comments are closed.