Ytalo – Foto: Thiago Gomes (O Liberal)
Ytalo – Foto: Thiago Gomes (O Liberal)

A vitória sobre o lanterna da Série C tirou um peso incalculável das costas do elenco azulino, sobretudo daqueles que têm por ofício a obrigação de fazer gols. No domingo (12/05), a atuação de Ytalo foi premiada com o único gol da partida, fato que deixou o atleta em estado de graça, sobretudo após os problemas musculares que tornaram a sua estada no Remo uma grande incógnita na cabeça do torcedor.

Cerca de um mês e meio após marcar seu último gol, o atacante voltou a balançar as redes e ajudou o time a deixar a angustiante zona de rebaixamento.

“Todos acompanharam aqui, principalmente lá no começo, quando voltei da lesão da panturrilha e não estive bem para poder ajudar na fase final dos dois campeonatos (Parazão e Copa Verde), mas graças a Deus consegui trabalhar. Machuquei a posterior (coxa), depois voltei mais forte. Acho que esse jogo foi o único onde realmente joguei sem dor. Só tenho a agradecer a Deus por ter a premiação de fazer o gol no final. A gente tem que agora colocar o pé no chão, trabalhar bastante para poder estar jogando bem e convencendo nas vitórias”, avaliou.

“A gente chegou mais leve, né? A carga estava pesada, acho que se não me engano, eram 7 jogos sem vitória. A gente trabalhou durante a semana também e voltei essa semana. A parte física não está boa ainda, espero melhorar para poder ajudar por mais tempo minha equipe. Treinamos uma parte onde poderíamos jogar Ribamar e eu, até mais um centroavante (Kanu). Então, graças a Deus, deu certo. Comecei a jogar dali, saí da área, estava mais atrás dos volantes deles e fui feliz. O pessoal até brinca de ‘gol fácil’, mas é uma questão de posicionamento. Ribamar também ajudou puxando um marcador. O importante é fazer o melhor para o Remo e lutar pelo acesso”, afirmou.

A vitória mudou completamente o panorama classificatório. De vice-lanterna, o time passou para a 13ª posição, com os primeiros 3 pontos conquistados.

O Leão volta a campo neste domingo (19/05), a partir das 16h30, para enfrentar o Tombense (MG), no Baenão. O jogo é válido pela 5ª rodada da Série C e terá transmissão ao vivo pela DAZN. Clique aqui para fazer sua assinatura agora.

O adversário, no entanto, será um desafio e tanto, por estar atualmente na 3ª posição, com 9 pontos. Será a chance para o atacante, que não marcava desde a semifinal do Parazão, contra a Tuna, mostrar que está recuperado e pronto para levar o time ao grande objetivo da temporada.

“A informação sobre eles ainda é pouca, até porque o jogo acabou ontem (domingo), mas já assisti alguns jogos, alguns vídeos e alguns momentos quando estou em casa assistindo jogos. A equipe é qualificada e está na parte de cima. Acho que essa é a virada de chave que a gente precisa, ganhar e encostar neles, para que a gente possa estar brigando na parte de cima, não na parte de baixo. Vamos fazer de tudo para que a gente possa melhorar também o desempenho dentro de campo, durante a semana, para que a gente possa convencer e vencer o jogo”, concluiu.

O Liberal.com, 13/05/2024

4 COMENTÁRIOS

  1. Eu já falei o q eu acho sobre como deveria ser o Remo: um time de uma defesa solida, um meio campo com 3 volantes, dois de marcação pesada ( Vigia e Curua), , outro com um pouco mais de tecnica ( Jaderson) e o quarto homem no meio sendo de ligação q estaria liberado para servir o meia atacante e o centroavante. O time seria um time marcador ao máximo para qdo roubar a bola sair em contra-ataques…..Na minha visão, esse desenho ( 4x4x2), com entrega dos jogadores é o melhor para o Remo…mas….não é a visão do Moribundonigo, aliais nem sei direito como ele enxerga o futebol…e olha q ele é um tecnico paraguaio q historicamente é um País q preza pelo setor defensivo forte. Enfim, vou me limitar a somente torcer, pq se todo conselho fosse bom, se vendia….

  2. Como diz o nosso centravoso: A carga estava pesada.
    Pelo visto não está mais. O Remo conseguiu vencer o poderosíssimo time do Floresta. Dá pra comparar o time do Remo com uma árvore: a folha (salarial) é muito alta; as raízes (a base) é muito fraca porque é sempre esquecida; o caule (não tem caule) deveria ser o meio bem ativo; os galhos (laterais e atacantes de beirada) estão fracos; os frutos apodreceram e a árvore se tornou uma planta sem seiva(sangue). Nós os remistas devemos recorrer a quem quando olhamos tanto incompetência??? É apenas uma pergunta.

    • Gostei dos paradigmas, Renato Rolim. A desmistificação, infelizmente, pode não ocorrer. Afinal nosso técnico é um paraguaio. Será o paradigma daquele cavalo?

      • Infelizmente nem esse Paradigma pode ser usado Cláudio…..pq aquele Cavalo saia ( disparava ) muito …mto….na frente no início das competicoes, diferentemente desse agora. Talvez o Paradigma mias correto seria com a qualidade ( veracidade) do produto ( copia)…só q nesse caso, pagando bem caro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor informe seu comentário!
Por favor informe seu nome aqui