Marlon
Marlon

A temporada 2022 para o Clube do Remo será bastante desafiadora. A equipe, que se prepara a partir deste domingo (09/01), no seu começo de pré-temporada na cidade de Parauapebas, já estipulou todas as suas metas para o ano, sendo a principal do seu calendário o retorno imediato à Série B do Campeonato Brasileiro.

Tanto os atletas jovens quanto os mais experientes terão funções além das comuns de ofício para ajudar o Leão na missão. O lateral-esquerdo Marlon será um desses que deverá se desdobrar em campo em mais de uma função, já que o jogador descartou comodismo ao assumir, aos 36 anos, disposição de sobra para efetuar uma nova função, como zagueiro.

Embora já tenha feito o papel durante o seu início de carreira, o controle no miolo de zaga se tornou mais comum e efetivo na temporada anterior, ao jogar boa parte das partidas como um zagueiro central, na reta final da Série B e no decorrer da Copa Verde.

Não por acaso, as contratações atuais do futebol azulino e a formação do elenco o encaixam como membro da defesa, na divisão de vagas para a disputa das competições deste primeiro semestre.

Experiente e sabedor da tarefa que terá pela frente em meio a um Estadual totalmente físico e cobrado pela torcida, o jogador multiuso reiterou o mesmo recado que deixou na reta final da temporada passada após a conquista inédita da Copa Verde.

“Desde o ano passado, vinha jogando nessa função de zagueiro. O professor (Paulo) Bonamigo chegou agora e vai conversar comigo, mas ainda não decidiu em que posição vou jogar, mas é o que sempre falo: estou à disposição do clube. Onde ele optar, vou procurar dar meu máximo para sempre ajudar a equipe do Remo a conquistar as vitórias”, disse.

Acompanhe a seguir os desafios listados pelo jogador e a preferência entre as duas posições como ponto de partida para iniciar a temporada pelo Leão.

Pelo início de temporada em que o Remo vai em busca do acesso e tendo em você como líder e um jogador de múltipla função, acredita que essa é a sua temporada mais desafiadora no Baenão?

É difícil falar, mas é tudo, né? Tudo é desafiador para nós, jogadores. O Remo é a equipe grande do campeonato, todos os times querem jogar contra o Remo e demonstrar o futebol. Temos que estar concentrados para fazer uma grande partida e uma grande temporada. Tinha várias coisas na minha cabeça no ano passado, mas tive uma conversa com várias pessoas e procurei dar continuidade aqui no Remo por mais essa temporada, porque sei que ainda tenho muito a dar ao clube. Então vou procurar me doar bastante para que possa ajudar a equipe tanto dentro quanto fora de campo, como vinha fazendo desde o ano passado. Vou me doar ao máximo para que a gente sempre possa estar dando alegria ao nosso torcedor.

Talvez essa seja a sua primeira temporada em que inicia o ano como opção direta fora da sua função de origem. Como visualiza isso?

Desde o ano passado, vinha jogando nessa função de zagueiro, o professor Bonamigo chegou agora e vai conversar comigo, mas ainda não decidiu em que posição vou jogar, mas é o que sempre falo: estou à disposição do clube. Onde ele optar, vou procurar dar meu máximo para sempre ajudar a equipe do Remo a conquistar as vitórias.

Quais as diferenças entre atuar como zagueiro e como lateral?

Lateral tem aquela função em que você tem que ajudar o meio, ajudar o ataque e a defesa. O zagueiro não. É uma posição em que você fica mais posicionado ali, procurando passar informação para os companheiros, para que possamos estar sempre certinhos ali, não tomando gols. Porque a gente sabe que se não levar gols, lá na frente vamos conseguir fazer.

A preparação de uma função é diferente da outra? Você sente alguma diferença?

A gente tem que estar sempre bem fisicamente, bem psicologicamente. O jogador tem que estar sempre bem preparado. Estou treinando bastante. Onde o professor Bonamigo precisar de mim, vou estar preparado para dar o meu máximo.

No que depender da comissão técnica, o jogador Marlon pode aparecer como duas opções no sistema tático, mas para você, o que é melhor: ser zagueiro ou lateral?

Hoje não tenho escolha. Estou em uma função de zagueiro, mas como falo, o professor Bonamigo me conhece bem como lateral e, por isso, estou à disposição dele e procuro sempre deixar isso bem claro. Estamos procurando conversar no dia a dia e estou deixando ele bem à vontade para ele decidir o que for melhor para eu ajudar nossa equipe.

Diário do Pará, 09/01/2022

1 COMENTÁRIO

Comentários