Felipe Gedoz
Felipe Gedoz

Espera-se para segunda-feira (29/03), o fim do período de “lockdown” na Região Metropolitana de Belém, com sinal verde para o recomeço do Parazão. Diante dessa expectativa, o que está planejado na Federação Paraense de Futebol?

A entidade vai ouvir os clubes e se embasar em avaliações de fisiologistas para dar prazo a times que ficaram defasados, pelo impacto nos treinos, como nos casos de Tuna, Carajás e Tapajós, que se limitaram a atividades em “home office”.

O fato é que nem todos estarão aptos para volta imediata. A Tuna está seguindo somente nesta quinta-feira (25/03) para Salinas. Como Remo e Paysandu já estão em treinos normais em Castanhal, não haverá problema o Re-Pa, previsto para a rodada de retorno do Parazão.

Porém, a FPF vai consultar os clubes sobre a melhor data para o clássico, que poderá ser no dia 04/04, em clima de Páscoa, ou mesmo antes, dependendo da tabela da 2ª fase da Copa do Brasil, que poderá acionar azulinos ou bicolores, ou ambos, no dia 07/04.

Campeonato voltará com muitas estreias

No jogo contra o Tapajós, o Castanhal terá a estreia do técnico Cacaio, que deixou o Bragantino. Glauco Almeida, que era seu auxiliar, está como interino e deve comandar o Tubarão contra o Independente.

Em relação aos jogadores, são muitos “na agulha” para estrear. No Remo, a expectativa é pela estreia do centroavante Edson Cariús. No Paysandu, os volantes Jhonnatan, Paulinho e Bruno Paulista, os atacantes Robinho e Laércio. No Águia, o meia paraguaio Echeverría. Estes são apenas os principais dos novos nomes do Parazão.

Patrocínio

Funtelpa e Banpará pagam aos clubes, no próximo dia 30/03, a última parcela do patrocínio no Campeonato Paraense. O dinheiro será destinado à FPF, que fará o repasse da verba muito esperada nessa escassez financeira imposta pela pandemia.

O Remo, mais uma vez, não verá a cor do dinheiro, que irá direto para a Justiça do Trabalho, dentro do plano de pagamento da dívida trabalhista negociado com o TRT, em 2015, pelos conselheiros Milton Campos, Ângelo Carrascosa e Domingos Sávio.

Esse bloqueio vai terminar em 2022, quando está prevista a quitação de todos os débitos trabalhistas do Leão.

Coluna de Carlos Ferreira, O Liberal, 25/03/2021

6 COMENTÁRIOS

  1. O Remo tem tanta receita bloqueada que só uma torcida apaixonada mesmo pode ter sutentado ele em anos de Serie C e garantindo um acesso.

    Meritos também da diretoria que sobe se virar com pouco e sem contrair dívidas novas, pois antigamente, mesmo com pagamentos a justiça e bloqueios, o montante devido a causas trabalhistas não saia da faixa dos 13 a 15 milhões, porque novas dívidas eram criadas.

    Agora estamos na casa dos inéditos 3,2 milhões podendo serem quitadas ano que vem.

    Ainda há dividas referentes a impostos com o governo federal na casa dos 6 milhões (segundo informações de torcedores), porem essas não causam bloqueios e seraão quitadas logo, se Clube pagar regulamentas parcelas do Profut.

    Depois disso viram os titulos regionais e nacionais, o tão sonhado CT, melhorias continuas no estádio.

    Desde que mantenham pessoas de competência e bom carater na gestão do Clube como vemos agora.

  2. NA VERDADE O LEÃO QUERIDÃO PRECISA SER TRI CAMPEÃO PRA ULTRAPASSAR A MUCURA EM TÍTULOS ESTADUAIS. COM RELAÇÃO À SÉRIE B, EU QUERO SER CAMPEÃO E NÃO APENAS PERMANECER.

    • O ST Nação Azul está suspenso no momento, mas em breve será reativado com novos planos e promoções, visando a temporada 2021. Fique ligado!

Comments are closed.