Fenômeno Azul (Baenão)
Fenômeno Azul (Baenão)

Neste sábado (03/04), o Remo vai lançar seu novo programa de sócio-torcedor Nação Azul. Após uma mudança na gestão do departamento, o sócio azulino será administrado pelo representante comercial Alessandro Silva, que também integra o Conselho Deliberativo do clube.

Atualmente, cerca de 1.170 azulinos estão em dia com o pagamento das mensalidades do programa.

O novo gestor contou que o projeto é todo voltado para o retorno do Remo à Série B do Brasileirão. Alessandro Silva vem trabalhando com a meta de conseguir 10 mil associados para estarem nas arquibancadas do Baenão durante a competição, caso seja liberado pela autoridades sanitárias e pela CBF.

“Esse sócio-torcedor de 2021 é completamente atípico, onde tem diversas variáveis que nos prejudicam de fazer um negócio bem mais elaborado. Não temos a certeza da liberação dos jogos com público, a certeza de que vamos ter a carga total (de liberação de público) do Baenão, pois só vamos poder usar o Baenão na Série B, já que o Mangueirão está em reforma”, disse.

“Graças a Deus, o Baenão está pronto, mas temos uma limitação de capacidade, com pouco mais de 14 mil disponíveis. Vamos usar cerca de 10 mil (lugares) para o sócio-torcedor. O restante é para gratuidades, que são obrigatórias por lei”, comentou Alessandro.

“Esse é o grande mote do sócio-torcedor Nação Azul em 2021, com Série B no Baenão. Provavelmente, teremos pouca e quase nenhuma carga de ingresso disponível no dia dos jogos. Nosso grande mote de campanha é o Baenão. Quem quiser ver jogos do Remo vai ter que ser sócio-torcedor ou contar com a sorte de conseguir comprar ingresso”, contou.

Apesar de ter o retorno do público ao estádio como peça central da campanha, o diretor do Nação Azul ressaltou que está atento ao ritmo da pandemia é que os torcedores poderão usufruir de uma rede de benefícios, mesmo com a impossibilidade de estarem nas arquibancadas do Baenão.

“Eles (sócios) só poderão ter acesso aos jogos quando for liberado. Enquanto não tiver liberação, ninguém poderá assistir aos jogos. Assim como hoje (os sócios) estão pagando sem poder assistir. Existem mais de 1.100 sócios ativos que seguem pagando até hoje sem ter acesso ao estádio. Se a gente conseguir, e Deus permitir, vacinar a população, ter controle sanitário e condições de liberar o estádio, estes sócios-torcedores serão agraciados com jogos importantes com preço bem acessível. Caso contrário, é um risco que todos estão assumindo. Não existe devolução de dinheiro ou contrapartida. Existe a rede de benefícios, descontos em lojas e parceiros que é uma forma de compensação do investimento”, lembrou.

Quanto aos preços que serão comercializados, Alessandro diz que não terá muita diferença no que estava sendo praticado na última temporada.

“Quanto aos valores, não posso passar nada. O marketing está trabalhando em cima disso. Os preços (dos planos) serão acessíveis, muito próximos dos que foram praticados em 2020, quando tínhamos só Parazão e Série C. Agora vamos ter 3 a 4 jogos por mês e o sócio-torcedor bem acessível”, finalizou.

Roma News, 01/04/2021

10 COMENTÁRIOS

  1. Na minha opinião é prematuro falar em retorno de público aos estádios com essas mortes diárias no mundo todo.
    Então sensato seria fazer um plano de sócio torcedor acessível ao público, com preços simbólicos. Se houvesse um retorno de público excelente, se a demanda foi maior que o número máximo liberado no estádio, faz um revezamento de expectadores nos jogos, pois, sabemos que o Internacional, Flamengo e outros clubes do Brasil possui excelente números de sócios torcedores e onde jogam não chega a ser metade do número de sócios.
    Daí crivava sorteios semanais, quinzenais ou mensais de produtos oficiais e licenciados do clube, dos patrocinadores do clube ( trigolino, draft e outros), café da manhã com a delegação, ver jogos do LEÃO em Belém, viajar com a delegação em jogos fora do estado, presentear os sócios nos dias de seus respectivos aniversários entre outros, esse plano poderia ser por um ano, até td isso passar definitivamente (pandemia).
    Creio que seria mais vantajoso pra direção azulina.
    Também não podemos esquecer que ainda tem os volcher do jogo em lumes, onde nos torcedores que compramos nossos produtos estamos aguardando esse jogo.

  2. Remo 100%, veja meu caso: paguei o ST meio pro final de 2020, um ano no cartão. Com o lançamento do novo, como fica? E outra.. a empresa que geria saiu, o Remo está recebendo esses valores ainda sendo debitados no cartão?

    • Seu plano não será cancelado, fique tranquilo. As cobranças no cartão são repassadas ao clube de uma vez, quem recebe as parcelas é a administradora.

      • Sim, o plano não será cancelado, beleza.

        Mas, quando for ser renovado, terá direito ao desconto promocional que está programado somente até 13/4?

        Será que vão respeitar os ST antigos?

    • Grande parte dos ST paga anuidade no cartão de crédito, daí o clube recebe tudo no começo da temporada e depois fica sem receita o resto do ano. Esse aporte financeiro é importante, pois nosso começo de ano sempre é deficitário.

  3. Pois é…pensam que o torcedor do Remo está defecando dinheiro mesmo!!! É muito provável que nos jogos só seja liberada a entrada dos torcedores depois da Vacinação de cerca de 70% da população brasileira, isso de acordo com a mídia!! E isso só ocorrerá, na melhor das hipóteses, nos meses de novembro e dezembro deste ano! Então parem de que querer enrolar os apaixonados torcedores remistas e façam o Leão Azul começar a andar com as próprias pernas! Como passar para a 3a fase da Copa do Brasil e recuperar o 1,7 milhão que perdeu pra um time sem divisão na Copa Verde!!!

  4. Na minha avaliação, o markenting jamais teria que falar em quantidade mínima de torcedores na arquibancada neste momento.
    Mas que fosse mais incisivo em captar o maior número de sócios como o Vasco fez, o valor deveria ser menor, logo teríamos uma adimplência muito mais significativa.
    Exemplo: um valor entre 20 ou 40 reais, fica bem acessível, ou, um plano família.
    Muito mais sócios poderiam aderir e até mesmo aqueles torcedores que não são do Estado.
    O que fico mais chateado, é que, tem torcedor que paga plano do flamengo, Vasco, Corinthians e etc… Sem nem conhecer os estádios e não paga um do time do remo, impressionante.
    Como diz a música Belém Pará Brasil, ” o que é bom, vem lá de fora”.
    Pensando dessa forma, como podemos querer nosso Clube competitivo em uma série B, onde precisamos de investimento?
    Se cada torcedor do clube contribuísse com pelo menos 5 reais por jogo. O Remo já estaria na série A.

  5. Pensemos fora da caixa.
    E se nós mesmos transmitíssemos nossos jogos tanto aqui como fora. E fosse cobrado um valor mensal por torcedor.
    Será que não ultrapassariamos os 600 mil mensais pagos pela sport TV?
    Com certeza, sim.

Comments are closed.