Remo 2×0 Paysandu (Neto Pessoa)
Remo 2×0 Paysandu (Neto Pessoa)

As semifinais da Copa Verde consagraram um jogador. Neto Pessoa, autor de 4 gols nos 2 jogos entre Remo e Paysandu. O fato é mais impressionante porque há muito tempo um jogador não fazia tantos gols em clássicos disputados consecutivamente. No Pará, como se sabe, centroavante só se estabelece quando faz gol em Re-Pa.

O último a realizar tal feito havia sido o bicolor Moisés, em 2010. Na decisão do primeiro turno do Campeonato Paraense daquele ano, ele fez 2 gols em cada um dos jogos entre os rivais – na vitória por 4 a 2 na ida, e no empate em 3 a 3 na volta.

Os gols guardam ainda uma incrível coincidência. Foram 2 com bola rolando e 2 em cobranças de pênaltis. As 2 penalidades sofridas pelo próprio Neto Pessoa. Ágil, antenado com o jogo e oportunista, o camisa 9 mostrou na Copa Verde qualidades que não ficaram evidentes na Série B.

Pode-se dizer que o desnível técnico entre as competições ajudou bastante nos números obtidos por Neto Pessoa, mas é justo reconhecer que os gols foram assinalados no clássico maior do futebol paraense, historicamente marcado pelo equilíbrio entre os rivais.

Uma explicação mais plausível para o súbito sucesso do artilheiro foi a mudança imposta por Eduardo Baptista no modelo de jogo praticado pelo Remo. Com Felipe Conceição, o Remo era propositivo e explorava a troca de passes como maneira de se impor aos adversários.

Nem sempre funcionou, mas era assim que Conceição fazia o Remo jogar. Baptista chegou e modificou por completo o funcionamento do setor ofensivo. O camisa 9 voltou a ser, de fato, referência no ataque. Com isso, o time dedicou mais atenção e cruzamentos em direção ao centroavante.

O jogo de sábado (04/12) evidenciou isso. As jogadas que resultaram em gols surgiram de cruzamentos vindos do lado esquerdo. O primeiro, aos 16 minutos, em cobrança de falta bem executada por Marlon que, aliás, havia saído do time nos últimos da Série B sem maiores explicações.

A bola veio para o centro da defesa bicolor, passou pela dupla de zaga formada por Yan e Victor Salinas e chegou ao endereço certo: na cabeça de Neto Pessoa, que quase nem saiu do chão para testar de cima para baixo, sem defesa para Victor Souza.

O segundo gol veio de outro lance originado da esquerda, com Ronald, em grande atuação, cruzando na medida para a chegada do artilheiro em velocidade. Quando ia finalizar, Neto foi puxado por Salinas e sofreu o pênalti, mais ou menos nas mesmas circunstâncias do clássico de quarta-feira (01/12), na Curuzu, quando o autor da falta foi Yan.

É bom destacar que, nos dois casos, tanto com Marlon quanto com Ronald, o Remo teve em seu favor dois especialistas em cruzar com precisão. Experiente, Marlon é também muito eficiente nos tiros diretos. Ronald é velocista e tem alta média de acerto em cruzamentos.

O desempenho nos clássicos credencia Neto Pessoa junto ao torcedor remista, carente desde a rápida passagem de Salatiel, em 2020. Dependendo do desempenho na difícil decisão contra o Vila Nova (GO), torna-se candidato a ídolo e a permanecer no elenco para 2022.

Blog do Gerson Nogueira, 06/12/2021

10 COMENTÁRIOS

  1. Tem que ganhar titulo ai sim,mas e bom jogador a diretoria tem logo que acertar com ele para o ano

  2. Calma GERSON NOGUEIRA, não coloque esperança na cabeça dos torcedores, quando ele ficar 3 jogos sem marcar (que é normal), os torcedores vão pedir pra demitirem ele, isso nem sabemos se ele vai ficar para a próxima temporada, já tem times de olho nele!

  3. Ele deve permanecer independente do jogo contra o Vitória, quem deve sair é Siqueira, Gedoz, Mateus Oliveira, Neto Moura…

  4. O Remo não joga contra o Vitória sr Azul da cor do mar , o adversário será o Vila Nova e concordo com vc , o Remo tem q acertar a renovação de contrato com ele antes q seja tarde, bom jogador é oportunista e habilidoso e sabe fazer gol na mucura fedorenta .

  5. Diretoria lerda, ajam logo para garantir a permanência do Neto Pessoa, nosso artilheiro. Por causa da lerdeza dos senhores passamos quase toda a série B sem um fazedor de gol. Por isso o Remo fez apenas ridículos 31 gols e tomou 42, o que contribuiu decisivamente para o nosso humilhante rebaixamento.

  6. Time do Paysandu não serve de parâmetro para dizer se ele tem ou não cheiro de gol. Pois é um time ruim, elenco ruim, os times da série B possuíam melhores defensores, e o Neto ficava preso a marcação.
    Mas o que sempre disse: como o Gedoz não prestou para conduzir esse meio campo, a bola não chegava no ataque.
    Para a série C é um bom atacante.

    • Por um motivo que a gente ainda não descobriu, o modelo de jogo adotado até a semana passada (Série B) foi alterado para a Copa Verde, o que influenciou diretamente no rendimento do Neto Pessoa.
      No Brasileirão, infelizmente, o time não jogava em função do 9. Por que não mudou antes? Um dia a gente descobre…

      • Exatamente, muito toque horizontal e pouca verticalidade. Os atacantes ficavam no banco e os meias e volantes no campo.
        Esse era o conceição!
        Mas se nosso camisa 10 fosse pró ativo, alimentaria o ataque.
        Concordo quando diziam que jogar série B com o Gedoz seria um suicídio. Acertaram!

  7. O NP9 não é nenhum CR7 obviamente. Mas, está encaminhado-se para terminar a temporada 2021 como o ARTILHEIRO DO LEÃO.

    Em apenas 13 jogos, já marcou 10 GOLS. Sendo 1 na B e, 9 na C.V., onde 4 desses gols foram nos mucurento, 1° critério que conta a seu favor, em caso de empate.

  8. Não tenho nenhuma ilusão quanto ao Neto Pessoa, pra mim um jogador comum, agora, que ele é o melhor centroavante entre todos que jogaram este ano no Remo, eu não tenho a menor dúvida.

Comments are closed.