Remo 2×1 Vasco-RJ (Kevem)
Remo 2×1 Vasco-RJ (Kevem)

Neste returno da Série B do Campeonato Brasileiro, durante as 3 primeiras partidas do Clube do Remo pela reta decisiva da competição, um fator extracampo chamou atenção: a interferência do árbitro de vídeo (VAR). A tecnologia acabou sendo protagonista em determinados momentos, mas em meio à inovação em prol da justiça no esporte, alguns atletas souberam se manter firmes no gramado e serem decisivos nos jogos com ou sem a presença do mecanismo a favor do Leão.

O zagueiro Kevem é um deles. Titular absoluto na zaga remista, o jogador é um dos responsáveis pelo bom desempenho do time na competição, especialmente contra as equipes de peso, ao ter se portado como jogador experiente, apesar dos seus 21 anos de idade.

Participativo e com foco no sistema coletivo de jogo, o defensor é uma vitrine neste momento positivo vivido pelos azulinos, também, para os atletas oriundos das categorias de base da equipe, servindo como inspiração.

Regular sob o comando do técnico Felipe Conceição, o jogador voltará a ser opção direta para o duelo contra o Vitória (BA), na sexta-feira (10/09), no estádio Barradão, em Salvador (BA), após ter desfalcado o time contra o Botafogo (RJ), suspenso pelo 3º cartão amarelo.

Pronto para seguir proporcionando o melhor a serviço da equipe rumo a uma caminhada de sucesso, o zagueiro destacou a preparação para voltar em grande ritmo em um ano especial.

“É uma temporada muito importante não só para mim, mas para todo o clube. Uma Série B de alto nível e estamos demonstrando que somos fortes também. Espero continuar fazendo meu papel ao lado dos companheiros para ir longe e representar bem essa camisa”, disse.

Confira abaixo o desejo e os planos do zagueiro no decorrer desta Série B, que ainda tem muita coisa para ser exibida pela frente.

Como você encara esse momento vivido no profissional do Clube do Remo?

É um momento de realização. Jogar pelo clube em que sou formado e poder estar ajudando é um sonho para todo jogador. Fico muito feliz pelo meu momento e espero evoluir cada vez mais.

Você iniciou a Série B sob olhares de desconfiança, mas contornou essa situação e agora é titular absoluto. O que isso representa?

Quando se vem da base, sempre vai existir uma desconfiança pelo fato do atleta ser jovem, ainda mais na posição de zagueiro, mas quando a gente tem consciência da nossa capacidade e nos esforçamos com muita dedicação nos treinamentos, a confiança de todos vem naturalmente.

Por ser cria das categorias de base do Leão, esse momento se torna ainda mais simbólico?

Com certeza. Como falei, é um momento de realização e poder fazer parte disso é algo histórico. Vamos atrás de coisas melhores não só para mim, mas para o próprio clube.

Ao jogar sua primeira Série B e logo como titular, na edição mais disputada em anos, o que tem sido fundamental para manter postura e regularidade em campo?

De fato, essa Série B é a mais difícil dos últimos anos, mas também temos capacidade de disputá-la. Mesmo com equipes de grande nome no cenário nacional, conseguimos vitórias importantes, aquela contra o Vasco (RJ) foi um exemplo. Individualmente falando, sempre dou meu máximo nos treinamentos, para poder agregar cada vez mais. O resultado dentro de campo vem com o esforço de todos. Sabemos da nossa força e do nosso potencial na competição, sempre entramos em campo para vencer.

Pelo lado coletivo, o que falta para o Remo engrenar de vez na competição?

Creio que já estamos evoluindo a cada jogo. Nos últimos 5 confrontos (antes do Botafogo-RJ), perdemos apenas 1, em um jogo com 2 gols de pênaltis do adversário. A oscilação na competição é normal, e claro que sabemos que podemos evoluir ainda mais, mas estamos, sim, conseguindo pontos importantes.

Por ser cria da base e natural da terra, você entende bem o significado da Série B para o torcedor azulino. Como projeta a campanha do Remo no returno?

É um returno de muita luta e garra para conseguir os objetivos. Ainda temos chances de disputar o acesso, só dependemos de nós. É hora de olhar para a parte de cima da tabela e ir em busca dos resultados. O torcedor pode ter certeza que lutaremos por isso.

Diário do Pará, 05/09/2021

7 COMENTÁRIOS

  1. A esperança de um grande time está na base. Mãos o time precisa urgente de um centro avante.

  2. Temos é que nos espertar,o pessoal do Z4 está se aproximando,tem q acender a luz amarela(ATENÇÃO).

  3. O Remo perdeu para o Botafogo por causa do mortinho do Rafinha Potita que perdeu a bola no meio campo e gerou um contra-ataque fatal , culminando com o gol adversário.
    Conceição insiste nesse Rafinha Coveiro: enterra os times de Série B há dois anos rebaixando os clubes que defendeu. Esse rapaz deve estar abalado com a morte do pai dele.
    Rafinha é lento, ruim na marcação sem bola, sem inteligência… mas atrapalha do que ajuda o coletivo em campo.
    Prefiro o Fazendinha do que esse Rafinha Potita. Tantos talentos na Série D melhores do que esse Rafinha…
    O mal do Felipe Conceição é ser teimoso e investir em jogador que nada tem de bom a dar ao Remo.

  4. REMO 100% a série D terminou para 32 times…será que não tenha pelo menos 3 jogadores que possam reforçar o time nessa série B?

  5. Toda falta q gedoz bate,nem nas maos do goleiro adversario a bola chega,pq insistir??Os caras nem treinar,acho que treinam!!!

  6. Remo 100%, pode me dizer quantos jogos o Remo ganhou com Ruimfinha e Lucas Siqueira em Campo?
    Dessa vez o Ruimfinha se superou. Entregou a bola para o entregue Botafogo no segundo tempo.
    Esse rapaz deve ter cláusula contratual que obriga a ser escalado.
    Confio em nosso treinador, mas ele precisa rever alguns conceitos.

Comments are closed.