Lucas Siqueira
Lucas Siqueira

Em uma competição nacional de futebol, é normal que alguns times viagem mais do que outros. Tudo depende da localização geográfica e logística aérea e terrestre que as equipes precisam percorrer para disputar um jogo.

Para o Clube do Remo, esse está sendo um problema muito grande, uma vez que suas viagens são quase sempre de madrugada, prejudicando o sono dos jogadores e deixando-os mais propícios a lesões.

Durante a Série B, o time percorrerá uma distância de 49.636 quilômetros, que equivale a uma volta pelo planeta Terra de carro. Para a equipe médica azulina, isso pode representar grandes riscos de lesões e quadros de desidratação nos jogadores, prejudicando-os não só fora, como também dentro de campo.

Para o chefe do Departamento Médico do Leão, Dr. Jean Klay, esse está sendo o principal problema enfrentado pelo time no início da Série B. Segundo Jean, uma noite mal dormida pode significar mais de um dia para recuperação plena do atleta.

“Nossa rotina de viagens no Clube do Remo, que geralmente se concentra pela madrugada, com cerca de 2 viagens por semana, tem prejudicado de forma significante a recuperação de nossos atletas”, analisou o médico.

Jean ainda explicou que, do ponto de vista fisiológico, uma noite mal dormida levaria mais ou menos 2 dias para recuperação completa dos jogadores, fazendo com que o treino fique prejudicado e o índice de lesões aumente, principalmente quando se trata de lesões musculares.

Para minimizar esse desgaste, o clube utiliza uma equipe multidisciplinar, com a realização de treinamentos específicos e, em caso de viagens, estratégias como limite do sono após as distâncias percorridas. Porém, nem sempre essas medidas são suficientes para evitar lesões.

“Estamos com 2 jogadores com lesão muscular (Lucas Tocantins e Suéliton), e essa pode ser a causa”, apontou Jean Klay.

Diário Online, 17/06/2021

28 COMENTÁRIOS

  1. Mais um motivo pro Bonamigo fazer rodizio no time, mas o cara é teimoso, e o time considerado titular tá uma merda, principalmente os volantes Lucas e Uchoa, os cara não conseguem dá combate na marcação quando estão sem a bola e com a bola não conseguem saí com rapidez pro ataque e mesmo assim permanece com eles como titular, toma uma atitude Bonamigo, tá complicado desse jeito!!!

    • Das 19 viagens do LEÃO AZUL nessa Série A2, serão 11 vezes ao extremos oposto geográfico nacional. Assim distribuídas:

      Seis delas serão com destinos à região sul do País.

      Duas viagens à Santa Catarina; Avai (5ª rodada) e, Brusque (30ª),
      Três vezes ao Paraná; Coritiba (9ª), Londrina (14ª) e, Operário (35ª).
      E, uma vez ao Rio Grande do Sul; Brasil de Pelotas (21ª).

      Cinco viagens serão para enfrentar equipes Sudestinas;

      Duas vezes ao Rio de Janeiro; Botafogo (3ª) e, Vasco (37ª).
      Duas vezes ao estado de São Paulo, à Campinas; Guarani (25ª) e, Ponte Preta (12ª).
      E, uma ida à Minas Gerais; Cruzeiro (32ª).

      Esses longos deslocamentos exigem uma logística de viagens aéreas bem programada.

      Em decorrência da atual grave situação de saúde pública no Brasil, a malha aérea nacional está reduzida.

      Usando Belém como exemplo, tem-se atualmente, apenas cerca de 26 voos diários partindo do Aeroporto de Val-de-Cães. Com 12 deles saindo entre às 02 e 09 horas e, outros 14 decolando das 12 às 18 horas. Fica difícil evitar os voos na madrugada.

      Partindo destes dados, a Diretoria do LEÃO AZUL deveria estudar a possibilidade de usar voos “fretados”. Com os horários adequados e, sem escalas ou conexões demoradas.

      O leasing de aeronave é uma alternativa economicamente viável. Desde que seja bem gerido.

  2. Começou às desculpas, todos os times terão as mesmas diculdades, e as desculpas pelos péssimos jogos pelo time , não é cansaço e sim falta de jogadores à altura pra defender o clube do Remo.

  3. Não é a primeira vez na historia do Remo que participa da série B, ja participou em tempos passados e não houve nenhuma queixa a respeito das longas viagens a que o médico está se referindo. Todos os times da série B viajam de norte a sul e de sul a norte e os médicos das outras equipes não reclamam das viagens e nem colocam a culpa nelas pelos fracos desempenham de suas equipes, agora o médico do Remo tá colocando a culpa nas viagens pelo fraco desempenho na competição

    A culpa do fraco desempenho do Remo na competição é o fato de ter um plantel de péssima qualidade técnica, jogadores de baixo nivel técnico a nivel de série D pela incompetência dos diretores de futebol que conhecem o mercado da bola.

  4. O Bonamigo tem que parar de inventar, não temos jogadores pra suportar o 4 3 3, as peças não se encaixam, tem que escalar o time no 4 4 2.
    Sugestão, Vinicius, Ennes, Romercio, Keven e Igor Fernandes. Arthur, Kiss, Lucas Siqueira e Gedoz. Dioguinho e Carius, ideal pra essa perdida contra o Avaí, fora de casa.

  5. Está cada vez mais difícil acreditar no trabalho do Bonamigo. Não muda o esquema tático do 443! Oh, tecnicozinho teimoso!

    Na limitação do elenco, povoa o meio campo e sai em bloco no 352, pois assim ganha a disputa de bola e sai em bloco para o ataque.

  6. Lucas tocantis pode até ser por isso, agora o Suélinton? chegou agora! Inventa outra Dr Jean Klay.

  7. Viagens não é desculpa!,todos os Times da Série B vão fazer longas Viagens!,isso não pode ser levado em Consideração, o que falta é Raça, Garra,Amor a Camisa,Comprometimento e um novo Esquema 4.3.3,funciona,mais quando se tem Elenco ou Jogadores à Altura, e no momento, o Clube do Remo não tem!

  8. Papo Furado, mimimimi!
    Nunca vi um pedreiro machucado por dormir mal, e olha que os cara pegam verdadeiramente pesado o dia todo… se alimentam mal, não tem acompanhamento de fisiologista, nutricionista, médico pra isso e médico pra aquilo.
    Falta é empenho e GANA de vencer, SANGUE NOS OLHOS!

    Os Jogadores têm de se espelhar na torcida Azulina que não desiste nunca, NUNCA!

  9. A Série B deveria ter dois grupos de 16 times para diminuir esse transtorno das grandes viagens. Esse formato de liga é complicado para os times situados nos extremos. Mas o que me deixa pasmo é o amadorismo da diretoria do Remo que sabia o que iria enfrentar e não se preparou adequadamente, contratando jogadores velhos e de baixa qualidade técnica e física.

  10. É muito cansativo um clube do norte fazer dois jogos semanais com viagens, praticamente não dá tempo para treinar, todos treinadores de clubes do Pará em campeonato brasileiro reclamam isso há anos.

    A CBF deveria fazer uma tabela sempre com jogos semanais, então fazendo duas rodadas fora e duas em casa quando tiver dois jogos na mesma semana. Assim aliviaria muito as longas viagens.

  11. A Diretoria do Clube do deveria fazer um leasing de um avião e, fechar uma parceria com a AZUL LINHAS AÉREAS, para a gestão do equipamento.

    Assim, o time Remista poderia viajar em horários adequados, sem escalas ou conexões. Otimizando a logística de viagens.

    Nos dias em que o LEÃO AZUL não fosse usar, o avião ficaria a serviço da AZUL.

    A aquisição de uma aeronave pode parecer uma loucura, mas, é plenamente plausível.
    O leasing seria pago com a receita gerada pelo próprio equipamento, operado pela companhia aérea, em suas rotas regulares.

    Alô Fábio Bentes, avalia essa possibilidade!

    • Rafael continue postando este seu comentário, pois achei bem plausível..
      Vamos repetir e opoiar esta ideia !

  12. Independente do desempenho/limitacao do time ou mesmo teimosia do Bonamigo (como alguns dizem), somos o unico representante do Norte do Brasil. TODOS os times terao que vir somente UMA vez pra ca, enquanto a gente tera que nos deslocar, a maioria para o sul/sudeste (outro extremo do pais) quase a metade dos nossos jogos. Nao precisa pensar muito para perceber que nos do Norte ja comecamos a competicao com esta desvantagens.
    O CBF teria SIM como minimizar esta situacao, mas a verdade que o Remo ou times do Norte pouco interessam para esta instituicao.
    Nao vejo essa situacao como desculpa, mas considerando nosso atual plantel, isso eh mais um fator que prejudica.

  13. Carlos Jares o bom Pedreiro geralmente começa a descansar ou dormir entre 21:30 e 22:30 e despertar entre 5:30 e 6:30 e na nossa região quando acorda ele toma um café preto ou café com leite com cuscuz ele almoça arroz com feijão magro acompanhado com carne assada de brasa ou franco assado de brasa ou peixe assado de brasa ou dois ovos fritos geralmente ele ainda rebate com um copão de açaí com farinha de mandioca ou tapioca e no jantar ele toma uma canja de galinha ou uma sopa de carne e por dia toma em média 3 litros de água. Carlos Jares observe que o nosso bom Pedreiro dorme bem e se alimenta com os nutrientes necessário ao bom funcionamento de um corpo que trabalha duro. Com certeza a maioria da classe média Brasileira quando acorda toma café preto ou com leite acompanhado com pão com manteiga salame e queijo e almoça feijoada gorda com arroz acompanhado de ovos fritos ou frango guisado com refrigerante e no jantar come pizza com refrigerante ou repete o almoço e por dia toma em média 2 litro de água. Carlos Jares pergunte ao nutricionista qual a alimentação mais correta a do Pedreiro do Norte do Brasil ou a da classe média.

  14. Carlos Jares, você deve ser um grande Torcedor do nosso querido Leão. Veja que o nosso Pedreiro tem condições financeiras de bancar sua alimentação. Eles estão variando: o café da manhã sem leite e com cuscuz de milharina fica por porção em torno de R$1,50 e R$ 2,00 café com leite. O feijão magro com arroz fica em torno de R$ 3,00 por porção, e no almoço variando 15 dias com ovos ou frango, 5 dias com carne e 10 dias com peixe fica em média diária de R$ 5,00 por porção, no jantar variando 20 dias canja e 10 dias sopa de carne fica em média por mês R$ 3,00 por porção, considerando-se R$ 20,00 o litro do açaí , fica em R$400,00 o consumo de açaí por mês. Vamos somar o gasto por mês para uma família de um casal com dois filhos ( média de filhos de uma família): R$ 240,00 para café da manha, R$ 960,00 para o almoço, R$ 400,00 para o açaí e R$ 360,00 para o jantar. O Total fica em R$ 1.960,00 por mês. Como a diária de um Pedreiro está em torno de R$ 80,00 por dia, então ele fatura em torno de R$ 2.400,00 por mês. Conclusão muitos Pedreiros estão tomando pouco açaí porque o litro do açaí deveria ser em torno de R$ 12,00 e não de R$ 20,00, a solução seria a assembleia estadual do Pará solicitar o aprovo de uma lei que em cada posse ou propriedade de terra no interior fosse plantado pelo menos 600 pés de açaí por hectare ou 100 touceiras com três pés de açaí por touceira. O nosso açaí está caro porque estamos fazendo mal uso da terra. Na verdade eu estou providenciando o meu pequeno açaizal com 500 touceira de três pés cada, eu cálculo que o açaí poderá chegar a R$40,00 o litro que é o valor de comercializado fora da Região Norte por isso quem não tiver açaizal não vai poder tomar açaí todos os dias. O açaí será alimento do pobre que tiver açaizal e isto só será possível na região Norte do Brasil.

Comments are closed.