Felipe Conceição
Felipe Conceição

Contratar Felipe Conceição é uma aposta de risco, mas um risco calculado. O Remo entendeu que, dentre as opções existentes no mercado, ele era a melhor alternativa para substituir Paulo Bonamigo, que entregou o cargo após a derrota para o Sampaio Corrêa (MA).

A movimentação da diretoria foi rápida e acertou a contratação de um substituto um dia após ficar sem treinador.

Há temeridade e justificativa na preferência por um técnico de perfil parecido com o de Bonamigo. Felipe é adepto de times programados para exercer domínio com troca de passes e ocupação de espaços. O problema é que os últimos trabalhos dele foram decepcionantes.

Falta bagagem ao jovem treinador. Foi bem no América (MG) e no Red Bull (SP), mas fracassou ao dirigir Guarani (SP) e Cruzeiro (MG). Não conseguiu fazer com que os times jogassem dentro de sua filosofia. É claro que no time campineiro enfrentou problemas de qualidade no elenco. No Cruzeiro (MG), com opções – e problemas extracampo – de sobra, o trabalho não fluiu.

Com pouco mais de 5 anos como profissional, Felipe – que começou no Botafogo (RJ) como jogador e técnico – terá um grande desafio pela frente: reposicionar o Remo na competição. Para isso, vai começar a contar com novos jogadores: Marcos Júnior para o meio e Victor Andrade para o ataque, reforços interessantes que Bonamigo não teve tempo de utilizar.

Além disso, alguns dos titulares lesionados, como o lateral-esquerdo Marlon, o lateral-direito Wellington Silva e o atacante Lucas Tocantins, já estarão em condições de jogo nas próximas semanas.

Há também um esforço da diretoria para buscar um “atacante de peso” e um meia-armador de qualidade. Jogadores com rodagem e prestígio, trunfos para turbinar o trabalho de Felipe Conceição. Tudo, porém, vai depender dos primeiros resultados à frente da equipe.

O Remo encara o vice-líder Coritiba (PR), nesta sexta-feira (02/07), dirigido por João Neto, sem mudanças drásticas na escalação. O meio segue o mesmo, com Anderson Uchôa, Lucas Siqueira, Felipe Gedoz e Erick Flores. No ataque, Dioguinho e Renan Gorne. Se atuar com a segurança defensiva e a intensidade de marcação mostradas contra o Náutico (PE), são razoáveis as chances de êxito.

Depois, o Leão terá quase uma semana de preparação para o jogo com o Vila Nova (GO), em casa. Tempo suficiente para que o treinador, que chega no sábado (03/07), conheça o elenco e comece a desenhar uma nova formação.

Blog do Gerson Nogueira, 02/07/2021

2 COMENTÁRIOS

  1. Nao temos tempo para experiencias,o Remo precisa voltar as vitorias;Deus nos ajude!!

  2. Acho que com afirmação que o Netão fez, ficou bem.mais fácil pro novo treinador, é só tirar o Kelvin, o Lucas Siqueira, os demais jogaram como se fosse uma final, acho que na zaga da pra colocar o Sueliton com Romércio, e colocar o Paulinho Curua como cão de guarda e liberava mais o Uchoua com mais técnica e qualidade no passe, na frente jogava sem jogador de referência no ataque ,dando liberdade para Rafinha, Tocantins e o Erick Flores para sempre pisarem na área como um homem surpresa

Comments are closed.