Fábio Bentes e João Galvão
Fábio Bentes e João Galvão

Depois de muitas cabeçadas e erros em cascata, o Remo decidiu investir para 2022 em um profissional para a gestão do futebol com vivência e conhecimento da cena regional, como João Galvão. Ao que parece, a coincidência foi produto do mero acaso, mas é fato que o clube entendeu a necessidade de ter um olhar caseiro sobre as decisões envolvendo o futebol.

João Galvão atuou como jogador pelo Remo por curto período, nos anos 80, mas compensa essa pequena ligação de campo com a vivência experimentada durante mais de uma década no Águia de Marabá, onde foi técnico, supervisor, coordenador, gerente e diretor, algumas vezes simultaneamente, desempenhando com competência essas tarefas e aprendendo – na prática – a fazer o que a necessidade impunha.

No Remo, terá a oportunidade de atuar como elo entre comissão técnica e direção, mas será figura de grande utilidade na observação de jogadores, como acontecia no Águia. Graças ao talento para descobrir joias escondidas em clubes sem tradição, ele trouxe para o futebol paraense vários atletas de qualidade. O maior exemplo é Keno, hoje no Atlético (MG).

A capacidade de trabalho sempre foi muito elogiada por todos, inclusive concorrentes, mas Galvão estava disposto a se aposentar. Desistiu da ideia ao receber o convite do presidente Fábio Bentes para reforçar a gestão do futebol remista. Era a chance que ele esperava há anos para atuar em um clube de grande porte. A hora chegou e ele está preparado para a missão!

Blog do Gerson Nogueira, 20/12/2021

9 COMENTÁRIOS

  1. Boa sorte João Galvão. Você merece essa oportunidade pela seriedade e competência em seu trabalho no futebol.

    • JG, seja bem vindo, mas lembre-se e não faça valer o ditado popular que o peixe morre pela boca, a propaganda ajuda quando apoiado em fatos verdadeiros, então, mostre que é tudo isso e você não precisará explicar muito.

  2. O clube do remo poderia trazer 4 bons jogadores do Caeté: os dois laterais, o camisa 10 (Antony) e o número 5 (Jari)

  3. Um dos últimos “olheiros” do futebol paraense que tantos talentos foram garimpados!
    Boa iniciativa da Diretoria remista.
    Boa trabalho, Galvão!

  4. Desse jeito, com tantos “olheiros” indicando joias para o LEÃO AZUL, nem precisava trazer o JOÃO BOCÃO GALVÃO.

    Mas, ainda bem que ele desistiu da ideia de aposentadoria. Tá muito novo ainda, tem muito com o que contribuir para o sucesso do Clube do Remo.

  5. Presidente fraco só capa não acredito nele pode ter certeza com essa diretoria o Remo não volta a ser grande anotem a mucura está em melhor caminho e age nos bastidores

Comments are closed.