Echeverría
Echeverría

A banda Skank disse, em forma de canção, uma das maiores verdades do futebol: “O meio-campo é lugar dos craques”, trecho da música “É uma partida de futebol”. De fato, a zona central sempre recebe atenção extra na composição de um elenco, por ser a área em campo responsável pela mobilidade, seja para o ataque ou para a defesa.

No grupo remista, ainda é precoce a análise dos jogadores que brigarão por uma vaga naquele pedaço de campo, já que só um jogo foi realizado até então (amistoso contra o Castanhal), mas dá para, pelo menos, traçar um perfil do que o técnico Netão tem mãos para trabalhar.

As características de jogo dos atletas de meio-campo são distintas. Apenas Diogo Sodré e Wallacer, por exemplo, atuam como meias de criação. O primeiro, aliás, atuou na partida amistosa no empate em 1 a 1 contra o Castanhal, ainda de forma discreta enquanto esteve em campo.

Por outro lado, Samuel e Echeverría já transitam com mais frequência pelo setor ofensivo, com ambos alternando na função de meia-atacante. Por sinal, o paraense jogou como terceiro atacante em boa parte do amistoso.

Netão também pode escolher por reforçar o setor defensivo, com Djalma e Dedeco como volantes, mas em vez de optar pelo chutão, eles teriam liberdade para sair jogando. O treinador azulino disse, após o teste contra o Castanhal, que terá uma dor de cabeça boa para a composição da zona central do time.

“Agora que a gente precisa trabalhar mais focado mesmo. As novas peças vão treinar para valer e vamos chegar um pouco mais perto daquilo que a gente deseja. Wallacer e Echeverría vão estar mais preparados, o restante também, no ataque, defesa. Vamos preparar o time”, comentou.

Empolgado em ser o diferencial na equipe, Wallacer já disse que possui as qualidades necessárias para fazer o jogo fluir a favor do Leão, caso seja acionado pela comissão técnica.

“Sou um meia de qualidade, que joga como um 10. Não tenho vaidade nenhuma e vim para ajudar. Sei a responsabilidade que é assumir a 10, ainda mais em um clube tradicional e grande como é o Remo”, destacou.

Perfil dos jogadores de meio-campo do Remo:

Defensivos

A depender do adversário ou da postura, no caso da famosa “retranca”, Netão conta com Djalma e Dedeco, que transitam entre a defesa e o ataque com facilidade. Ambos percorrem as duas extremidades do campo, a depender do papel definido.

Criadores

No elenco, apenas Diogo Sodré e Wallacer contam com características de articulação no plantel remista. O segundo consegue se destacar por ser mais móvel, mas no geral, ambos se enquadram no papel de organizadores.

Ofensivos

Quando se trata de jogadores que apoiam mais o ataque, servindo constantemente de opção para um contra-ataque ou jogadas individuais, Echeverría e Samuel poderão atuar mais avançados. O paraguaio, inclusive, disse que seu estilo é abrir espaço para chutar, além da raça para buscar o mano a mano.

Diário do Pará, 09/01/2019

Comentários