Gustavo Ramos, Mimica, Echeverría e João Nasser Neto (Netão)
Gustavo Ramos, Mimica, Echeverría e João Nasser Neto (Netão)

A partir das 19h30 desta quarta-feira (13/02), o Remo encara o Serra (ES), no estádio Robertão, no município de Serra (ES), em jogo único, válido pela 1ª fase da Copa do Brasil. Para passar de fase, os azulinos precisam apenas de um empate. Já o time capixaba joga por apenas um resultado: a vitória. Quem passar, pegará o Vasco (RJ).

Além da questão histórica envolvida e da necessidade de passar de fase, tem um aspecto financeiro que obriga o Leão a priorizar essa competição. A cota fixa da Copa do Brasil, em caso de obtenção de vaga à segunda fase, é de R$ 625 mil. Como o Remo tem dívidas trabalhistas que precisam ser amortizadas, a classificação trará um reforço de caixa enorme.

O treinador João Nasser Neto sabe da necessidade de o Remo passar de fase. Por isso, poupou vários jogadores no último confronto pelo Campeonato Paraense, contra o Independente, em Tucuruí, no sábado (09/02).

A questão positiva foi que vários jogadores “reservas” se destacaram a ponto de lutar por vaga na equipe titular. Tanto é que o atacante Gustavo, autor de dois golaços contra o Galo Elétrico, deve jogar como terceiro atacante, em companhia de Henrique e tendo David Batista centralizado.

O ponto forte da equipe azulina também é o sistema defensivo, formado por um goleiro seguro e laterais que priorizam a marcação, além de uma dupla de zaga competitiva.

O problema é que haverá uma quebra na sequência de Mimica e Rafael Jensen pelo fato do último estar lesionado. Porém, entra Vacaria, trazendo sua experiência.

Os números do sistema defensivo são excelentes. O Leão não sofreu nenhum gol no Parazão. Se mantiver esta escrita na partida válida pela Copa do Brasil, passará para a 2ª fase com tranquilidade e terá pela frente um duelo que promete ser histórico contra o Vasco (RJ).

O Serra (ES), por outro lado, vive um momento delicado. Embora tenha conquistado o título de campeão estadual do Espírito Santo em 2018, é apenas o 7º colocado este ano e foi derrotado no último jogo pelo Atlético (ES), dentro de casa, com gol do ex-remista Flávio Caça-Rato. O adversário azulino precisa mostrar resultado para não comprometer o trabalho do técnico Cleiton Marcelino.

O Liberal, 13/02/2019

3 COMENTÁRIOS

  1. Eu não conhecia o potencial do Serra, pelo que vi foi uma grande zebra. O Leão tem muito mais Time, aconteceu que o Serra jogou um primeiro tempo avançado o Leão parecia Jogar muito na defesa, o Serra fez o seu Gol. No segundo Tempo mesmo com apenas 10 jogadores o Leão mudou de postura foi pra frente, criou muitas oportunidades poderia ter feito dois não fez nenhum. O técnico do Serra disse que estudou muito o estilo de Jogo do Leão, será que o Netão não estudou o estilo do Serra. São coisas do futebol. Em 4 Duelos oficiais o Netão venceu três e perdeu um, tem 75% de aproveitamento, um bom rendimento, podemos afirmar que o Leão está vivo com um bom rendimento, pra mim o técnico do Serra não é superior ao Netão, foi uma Zebra, pra mim o Netão perdeu o Duelo por que houve a expulsão, podemos até dizer que jogar recuado no primeiro tempo e não explorar os contra-ataques foi o que levou o Serra a vitória pelo escore mínimo, pra mim o que prejudicou a vitória do Leão foi a expulsão não prevista pelo Netão, quem poderia imaginar aquela expulsão. Somente o Netão pode explicar se ele previa uma expulsão naquele duelo.

Comentários