Márcio Fernandes
Márcio Fernandes

A derrota sofrida na semana passada, para o São José (RS), em consequência de uma péssima exibição, não caiu bem pelas bandas do Baenão, algo prontamente reconhecido pela comissão técnica e jogadores do Clube do Remo.

O revés, por sua vez, que encerrou a sequência invicta da equipe, não diminuiu a boa campanha azulina nesta fase de grupos da Série C, em que ocupa a vice-liderança do seu chaveamento com os mesmos 15 pontos do Juventude (RS), primeiro colocado.

Com o apetite de retornar à ponta da tabela, o Leão irá para o compromisso da 9ª rodada, a última do primeiro turno, com o objetivo de se manter na ponta e vencer o seu oponente histórico pela primeira vez em 2019.

Imponente na temporada passada, quando conquistou 4 vitórias seguidas no rival nos confrontos diretos, os azulinos ainda não conseguiram repetir o feito em 2019. Em 2 jogos diante do Paysandu, o Leão saiu de campo com uma derrota e um empate, ambos válidos pela fase classificatória do Parazão.

Como o time bicolor não chegou às finais do Estadual, o Remo teve sua revanche adiada para a Série C, fato que serve como um ingrediente a mais, como pontuaram os jogadores azulinos, que almejam que o resultado final, desta vez, seja o oposto.

“Clássico é diferente e Re-Pa ainda é mais difícil. Estamos bem na competição e estávamos preparados para isso (derrota). Bola para frente que estamos vivos para continuar bem na competição e com uma boa vitória na próxima rodada”, disse o goleiro Vinícius.

Caso o Remo conquiste o resultado positivo, será atrelado às modificações feitas do último Re-Pa até o momento, já que a equipe, embora com certa base, traz 7 alterações significativas no time titular, além do engajamento tático-técnico elaborado pela comissão técnica, o que permitiu ao time dar uma arrancada no certame.

Apesar de estar em um momento melhor que o adversário, a equipe segue ciente de que em clássico não há favorito, mas que espera continuar com os ventos favoráveis no campeonato.

“O resultado não apaga o que construímos até agora. Vai ser mais uma partida difícil, como em toda a competição. Temos que estar preparados para tudo e voltar a pontuar, que é o mais importante, independente de quem formos enfrentar”, completou o volante azulino Ramires.

As mudanças no Leão desde o último Re-Pa:

Escalações

No último clássico – Vinícius; Geovane, Marcão, Kevem e Rafael Jensen; Diogo Sodré, Dedeco, Douglas Packer e Djalma; Gustavo Ramos e Mário Sérgio. Técnico: Márcio Fernandes.

Atualmente – Vinícius; Rafael Jensen, Marcão, Fredson e Daniel Vançan; Ramires, Yuri, Douglas Packer e Carlos Alberto; Gustavo Ramos e Emerson Carioca. Técnico: Márcio Fernandes.

Defesa

O setor sofreu mudanças, tanto de entradas quanto de posicionamento neste comparativo. Vinícius, intocável, continuou na função, assim como o zagueiro Marcão. Contudo, Fredson assumiu a dupla de zaga, pois Rafael Jensen continuou improvisado, agora na ala-direita, já que Daniel Vançan assumiu o lado esquerdo. A composição permitiu ao Remo ter a segunda melhor defesa da Série C.

Meio-campo

Da escalação anterior, somente Douglas Packer permanece no meio de campo. A reformulação no setor, aliás, foi fundamental para a evolução do rendimento do time, pela segurança dos volantes Yuri e Ramires e distribuição nas jogadas ofensivas com Carlos Alberto.

Ataque

Gustavo Ramos segue intacto no ataque, mas agora na companhia de Emerson Carioca, já que Mário Sérgio aparece como 4ª opção para a função. Mesmo com aproveitamento ainda aquém dos atacantes, a estratégia adotada permitiu aos jogadores serem mais participativos nas jogadas de gols, já que o Remo possui um bom saldo de bolas na rede na competição nacional.

Identidade

No último Re-Pa, Márcio Fernandes comandava o Remo apenas pela 3ª vez e pouco conseguiu transmitir da sua filosofia de jogo aos atletas. Agora, com mais de 3 meses na função, o comandante criou um time mais dinâmico e efetivo em campo.

Diário do Pará, 17/06/2019

6 COMENTÁRIOS

  1. Na minha opinião o Márcio Fernandes devia começar de cara com o novo centro avante Marcão, colocaria o Emerson carioca , se precisasse, só no segundo tempo, aí talvez ele se desperta mais…bola pra frente meu LEÃO

    • Já treinou assim no coletivo, mas tem que esperar sair o nome no BID, senão não adianta nada.

Comments are closed.