Hélio Borges
Hélio Borges

Hélio Borges, jovem revelação das divisões de base do Leão, ganhou chance na Copa Verde. Contra o Sobradinho (DF), foi decisivo. Anotou o segundo gol, ajudando a construir o placar que permitiu a vitória azulina. Por ausência de opções, foi lançado no Re-Pa da Série C, não conseguindo reeditar o bom papel do jogo anterior.

Outro que foi lembrado por Márcio Fernandes na hora do aperreio foi o volante Pingo, sem exibir o mesmo desempenho de Hélio na Copa Verde. O volante Lailson entrou contra o Atlético (AC) na primeira partida da segunda fase. Não brilhou, mas foi um dos poucos a se salvar das críticas da torcida após a derrota em Rio Branco (AC).

Como o Remo tem cada vez menos material humano para a sequência da Copa Verde, é provável que o trio volte a ser escalado por Eudes Pedro. O jogo da volta contra o time acriano, no próximo domingo (15/09), no estádio Baenão, pode abrir possibilidades, principalmente para Hélio e Lailson.

Nesses momentos, quando as necessidades propiciam chances aos esquecidos, é o momento ideal para que os jovens talentos caseiros mostrem seu valor.

Atualmente no Atlhetico (PR), o garoto Rony despontou no Remo em momento de extrema dificuldade para composição do ataque. Em situação normal, talvez não tivesse sido aproveitado.

O dito popular diz que a ocasião faz o ladrão. No caso dos jovens boleiros azulinos, o aperreio gera a oportunidade. Que estejam atentos a essa chance!

Blog do Gerson Nogueira, 08/09/2019

6 COMENTÁRIOS

  1. Essa base do Remo é muito fraca, para aparecer um jogador como o Rony e de 100 em 100 anos. O Remo tem que fazer uma renovação na base também e acabar com esses jogadores oriundos de parentela de ex-jogadores ou de pessoas que de alguma forma estão ligados ao futebol. Queremos uma base de garotos que realmente joguem bola e não de garotos apadrinhados de membros da diretoria, cartolas ou empresários do ramo futebolístico.

    • Não é nem isso caro amigo azulino. Leão a estrutura da base e muito fraca, nova administração do remo não deve somente se preocupar com o time de futebol profissional. Mas em si o Club por inteiro, pois o remo e bom em várias modalidades com títulos importante e o problema e a estrutura e atenção que não são dada direito. Mesmo que não foi esse ano que subimos. Tivemos uma fase sem atraso no salário, fortunas deixadas sendo pagas, baenão reaberto e outras coisas. Devemos ver que esse ano lutamos pra ficar no g4 e não para sair da zona de rebaixamento.

      Observação: Remo não subiu, mais esse ano foi um diferencial para esse club na qual estava nas ruínas de milhões de dívidas acumuladas e com os roubos de diretorias passadas. Remo tem muito ainda que organizar, então e um pouco mais de paciência e acreditar nessa nova fase que o leão caminha.

  2. Ovídio, concordo com você! Já levei um moleque muito bom de bola numa peneira do Remo, foram escolhidos uma penca de apadrinhados e aqueles que jogam bola foram dispensados, é tudo carta marcada.

    Thiago, o Pedro é uma oposta interessante e de baixo custo, com entrada em vários clubes formadores de jogadores.
    Temos de ter mais paciência com treinador e dar tempo dele implementar a filosofia de trabalho.

  3. O Remo terminou o paraense jogando um péssimo futebol,me surpreendeu com a chegada do Marcio a mudança que ocorreu se tivessemos mais garra,menos erros infantis e tivessemos tbm sorte teriamos classificado sem dinheiro veio o que deu pra trazer ,porem foi feito um trabalho muito bom na administração pela atual diretoria é só prosseguir e falar para os demais remistas tipo ex-presidentes e ex-diretores e outros pararem de perturbar e de fazer futrica pow …..se não quizerem ajudar não atrapalhem porra….

  4. Esse Lailson é muito ruim, matou em todos os jogos que entrou, fraco, sem garra e sem técnica, Roni e ameixa precisou de uma oportunidade para mostrar serviço essas pragas ainda não fizeram nada em três jogos

Comentários