Guilherme Garré
Guilherme Garré

“Não sabemos, foi um acaso, um jogo para se apagar”, disse o meia Guilherme Garré, ainda sem entender como o Remo teve um desempenho tão abaixo do esperado no jogo de ida das quartas de final da Copa Verde.

A derrota por 2 a 1 para o Atlético (AC), no Acre, ainda é lamentada pelo Baenão. O time está juntando os cacos da eliminação na Série C e agora tenta evitar mais uma decepção na temporada.

A apatia em campo, o mau desempenho e, sobretudo, a falta de conexão com a partida não têm sido fácil de se explicar lá pelo Baenão. Para buscar a classificação, Guilherme Garré garante que o time vai trabalhar bastante e sabe que a responsabilidade sobre os jogadores aumentou.

“Agora temos que trabalhar, focar mais e buscar essa classificação, porque é a única coisa que resta para nós. Não tem outro campeonato. Então teremos que continuar firme e forte. Temos tudo para conseguir essa classificação. Já estava muito grande essa responsabilidade. Com certeza aumenta, mas só depende de nós. Temos total capacidade e potencial para reverter essa situação”, avaliou.

Apesar da eliminação na Série C, o meia tentou amenizar a situação dizendo que o time foi melhor do que outras temporadas. Porém, Garré sabe que o momento não é um dos melhores no clube e que o time precisa que o torcedor siga acreditando na equipe dentro da Copa Verde.

“Os últimos anos do Remo não foram muito bons, brigou para não cair. Esse ano foi o contrário. Brigamos até a última rodada para classificar e acho que isso tem que servir de motivação. Não foi um ano perdido, não foi assim. Estamos em um momento delicado por tudo que estamos vivendo, mas o torcedor tem que acreditar igual a gente acredita. Sei que às vezes dentro de campo não está dando certo, mas estamos dando o nosso melhor. Estamos lutando para as coisas acontecerem. Eles acreditando e nós acreditando, tenho certeza que temos tudo para conseguir essa classificação”, salientou.

“Provamos este ano que nos momentos mais difíceis conseguimos ter forças. Eles têm que acreditar até o fim, como nós acreditamos. É o que resta para nós. Temos que dar nosso melhor e conseguir tudo, porque senão acaba o ano para eles e para nós. Não é isso que queremos”, disse Garré.

O jogo contra o Atlético (AC) foi o primeiro do time ao comando de Eudes Pedro. O treinador, que chegou na semana passada, não teve tanto tempo para trabalhar a equipe, segundo o Garré. O meia ressaltou que o técnico tem mostrado trabalho e que só depende dos jogadores para conseguirem um triunfo diante dos acrianos.

“O professor está explicando, passando confiança, conversando com todo mundo, fazendo um bom trabalho pelo tempo que está aqui e só depende de nós mesmo. Agora é trabalhar, ver o que tem para acertar desse último jogo e buscar (a classificação). Não tem outro campeonato, só a Copa Verde. É o que resta para nós. Temos consciência disso, a Série C já acabou, são águas passadas”, apontou.

“Pelo tempo de trabalho do professor Eudes, não deu para colocar a filosofia dele. Mesmo assim ele mostrou o trabalho dele e está nos ajudando. Nesse período até o jogo, ele vai ter tempo para implementar essa filosofia melhor”, finalizou.

Globo Esporte.com, 05/09/2019

4 COMENTÁRIOS

  1. Sem preparo físico fiquemos nos peladeiros de fim de semana!
    Esses caras vivem disso, trabalham o condicionamento físico diariamente para jogar futebol… tem nutricionistas, fisiologistas, médicos, preparador físico e não redem, não correm. Além de preguiçosos, não são profissionais e o pior : não são cobrados por quem tem de fazer as cobranças, isso passam a impressão de que a maior parte dos envolvidos com o futebol do Remo tem rabo preso com os jogadores.
    Onde já se viu o patrão não cobrar produtividade de seus funcionários; ah lembrei-me! O patrão somos nós torcedores…temos de ir ao Baenão e cobrar empenho dos jogadores/comissão técnica e, sobretudo fazer nossos gerentes (presidente e diretores) gerenciarem a produtividade daqueles no produzem o produto final, no caso, um futebol com empenho e vontade de vencer.

  2. O que o clube do remo precisa na minha opinião …1.ter responsabilidade dos jogadores que estao vestindo e jogando num time de massa e apaixonado chamado fenômeno azul.2 ..num time de massa vale e ganhar títulos e jogar com raça e muito amor pelo nosso manto.
    3..se nao tem esse perfil nao venha para o nosso plantel ..FATO ..
    4..porque não temos paciência e saco mais para ver todos os anos ver a mesma porqueira do meio pra frente um time morto caindo pelas tabelas e envergonhado sua imensa torcida chamada de fenômeno azul…espero que seus dirigentes crie vergonha na cara e traga homens atletas para vestir esse manto sagrado com perfis de ganhar títulos e dar alegria para esse nação AZULINA. FATO

Comentários