João Nasser Neto (Netão)
João Nasser Neto (Netão)

Nesta segunda-feira (06/08) à noite, no estádio Cornélio de Barros, em Salgueiro (PE), o Clube do Remo dará o seu principal passo na busca pela permanência na Série C do Campeonato Brasileiro para 2019.

Diante do Salgueiro (PE), pela l7ª rodada da fase classificatória, em caso de uma vitória simples, combinada com uma derrota da Juazeirense (BA) para o Santa Cruz (PE), neste domingo (05/08), os azulinos irão erradicar de uma vez por todas O fantasma do rebaixamento, algo que vinha sido dado como iminente até 3 rodadas atrás.

Caso o cenário se confirme nesta rodada, um nome em especial é apontado como o principal causador pela sobrevivência azulina em mais uma edição de Série C: o treinador João Nasser Simão Neto, ou popularmente, Netão, que vem sendo chamado pela torcida de “homem da virada”.

Melhor campanha dentre os treinadores que passaram pelo Remo na atual edição do Brasileirão, em apenas 5 jogos Netão conquistou mais que toda a pontuação que o time somou em 13 rodadas: foram 10 de 18 pontos.

Pela sua metodologia moderna de visualizar o futebol, além de cativar e extrair o melhor do grupo, o nome do atual treinador foi solicitado por muitos, logo após a demissão de Givanildo Oliveira, com quem Netão diz ter aprendido bastante. Contudo, apesar do desejo da diretoria por outro nome, o técnico diz que o seu momento à frente da comissão técnica precisava ser esse, até para mostrar suas qualidades mediante as adversidades.

“Nada é por acaso, as coisas acontecem no seu tempo certo. Sempre respeitei a decisão de todos, nunca forcei. Eu poderia ter remediado, mas esse é o momento pelo qual me preparei a vida toda e ainda tenho muito a ajudar”, destacou Netão.

Um dos fatores que encorajam o treinador a buscar capacitação para fazer um bom trabalho, é justamente por sua ligação com o clube. Dos 38 anos de vida, 30 foram dedicados ao Leão, onde iniciou com 8 anos, no futsal do time.

Foi no salão o primeiro contato com a atual função. Começando a trajetória profissional aos 21 anos, Netão trabalhou com todas as categorias de base do futsal até chegar ao futebol de campo, em 2010, quando assumiu a base, onde conquistou mais de 80 títulos entre regionais e nacionais.

Em 2014, o treinador teve o primeiro contato com o profissional de campo. Atuando como analista de desempenho, Netão foi auxiliar de Cacaio, em 2015, na campanha do acesso a Série C.

Embora esteja debutando somente nessa temporada, Netão garante ter experiência para ser o diferencial a beira dos gramados.

“Me dediquei muito, fiz todas as etapas, não pedi ajuda. Estudo muito, procuro sempre ficar atualizado, porque acredito em mim”, disse.

Questionado sobre ser o principal pilar nessa retomada azulina na Série C, feito que faz o grupo acreditar até em uma improvável classificação, humildemente, Netão aponta todos como peças fundamentais.

“Me coloco no lugar de cada um. Estou técnico, mas sou um membro da equipe, como eles, que busca o mesmo objetivo. Se não fossem eles, isso também não estaria acontecendo. Vamos mirar em tudo o que for possível”, ponderou.

Inspiração e bons exemplos na formação do treinador

Mesmo que divida com os jogadores os louros pela ascensão azulina na tabela, o fato é que Netão tem sido o grande responsável pela mudança de postura do time nesta reta final de Série C.

O atual grupo, que antes contou com 3 treinadores na supervisão e na liderança, não rendeu tão bem como tem rendido com o atual comandante. Parte da evolução tática e técnica do elenco azulino é fruto da didática e exercícios realizados pelo treinador, que utiliza bastante do perfil teórico para assimilar as estratégias em campo.

Nesse ponto, entra um fator curioso: fã do trabalho de Marcelo Bielsa, treinador argentino considerado visionário, o técnico remista diz que utiliza o ídolo como base.

De acordo com Netão, a forma como o “hermano” analisa o futebol e consegue administrar o bom desenvolvimento em campo sem contar com peças extravagantes, é o que espelha a sua carreira, sobretudo nesse momento de decisões no Remo.

“Bielsa é um profissional inteligente com as propostas que o futebol pede, em montar o jogo conforme as necessidades. É o treinador que me espelho, porque ele sabe sair das dificuldades, com um time arrumado e sem um medalhão. Acho que hoje isso está em falta”, explicou Netão.

“Temos que ampliar sempre, gosto do (técnico espanhol Pepe) Guardiola ofensivamente, do (português José) Mourinho e da escola italiana na defesa”, completou.

Ao final da temporada oficial azulina, João Neto, que planeja seguir como treinador do Clube do Remo para 2019, já se planeja para virar o ano com ainda mais moral. Estudioso, Netão adiantou que irá fazer estágios em São Paulo e Rio de Janeiro, além de buscar a licença de treinador via CBF.

“Não é porque a oportunidade apareceu que tem que parar. Quando as coisas esfriarem, vou fazer o curso de licença para treinador e aproveitar para aprender no Corinthians (SP) e no Flamengo (RJ), que são duas boas escolas, para me adaptar sempre”, comentou.

Netão acredita que as portas estão abertas

Pelo desempenho positivo à frente da comissão técnica, sobretudo por ter assumido o Remo em um momento delicado na Série C, com poucas perspectivas positivas, o nome de Netão é o preferido da torcida e dos próprios jogadores para iniciar um trabalho completo na próxima temporada. Contudo, como o Leão passará por mudanças internas ao final desse ano, com troca de administração em virtude das eleições para presidente, o assunto “renovação” é algo que ainda não passou pela cabeça do profissional, embora o seu desejo seja o de permanecer.

“Não escondo a vontade. Todos sabem que quero (ficar), mas estou tranquilo, fazendo a minha parte. Na verdade, estou me preparando para o mercado. O que acontecer daqui para frente vai ser algo positivo, porque estou construindo isso”, avaliou Netão.

Apesar do cartão de visitas produtivo, o treinador sabe que a escolha por valores regionais sempre acaba sendo preteridas na decisão final. Porém, acredita que o bom trabalho fala por si só. Além disso, com o bom momento, Netão crê que as coisas irão melhorar para os valores da região.

“Procuro não me concentrar nisso, mas no que a gente procura fazer para ganhar espaço. Sei que as escolhas são difíceis, mas quem sabe teremos oportunidades agora, poder abrir essa porta. Estou trabalhando para isso”, concluiu.

Diário do Pará, 05/08/2018

8 COMENTÁRIOS

  1. Eu só quero ver quando acabar a serie C, mesmo que o Remo não permaneça, claro que isso não vai acontecer, se vão tirar o Netão e interromper o trabalho que ela está começando.

  2. Eu não acreditava nele, mas hoje, felizmente vejo que estava errado. Obrigado netao! Sábado estarei no mangueirao. Vamos Leão!!!!!

  3. Salve a prata da casa: Netao, Jaime e Gabriel Lima. Esses livraram o Remo do rebaixamento.

    • E o Vinícius? E o Nininho? E o Vacaria? E o Mimica? E o Rodriguinho? O Dedeco? Será que esses caras não devem ser reconhecidos também?

Comments are closed.