Gustavo Ramos
Gustavo Ramos

A partir desta segunda-feira (17/12), o novo elenco do Clube do Remo começa a etapa de treinos físicos e com bola após 4 dias de exames médicos e testes físicos. O grupo ainda estará incompleto, pois mais algumas contratações devem ser feitas e os garotos da base que subirão ao elenco principal continuarão treinando no Sub-20, que disputa a Copa São Paulo da categoria em janeiro.

Até aqui, 17 jogadores já foram contratados, entre apostas de serem novas referências e outros que ainda são incógnitas para a torcida. Pelo que é investido na Série C do Campeonato Brasileiro – principal competição do ano para o clube – e as perspectivas de arrecadações e patrocínios, os reforços estão dentro de uma lógica de contenção de despesas.

Oficialmente, o teto de gastos com o elenco é de R$ 250 mil e várias afirmações nesse sentido em muitos momentos confirmam essa intenção.

De acordo com o executivo de futebol Luciano Mancha, todos os contratados, seja o mais conhecido ou o mais novato, estão vindo dentro de um perfil bem claro.

“O primeiro e principal critério é o técnico. Não adianta ter experiência, conhecer nosso futebol, se não tiver qualidade técnica”, disse Mancha.

O meia Eduardo Echeverría é, até agora, a contratação divulgada com maior pompa. Ele teve o nome anunciado no lançamento no novo programa de sócio-torcedor do clube, há duas semanas. Sem renovar com o CSA (AL), que subiu para a Série A, o paraguaio chega com status de nova estrela azulina e a obrigação de corresponder a isso perante a torcida.

O zagueiro Rafael Jensen, de 30 anos, esteve no elenco do Boa Esporte (MG) que caiu para a Série C, mas foi um dos poucos destaques da campanha muito ruim do clube mineiro e chega como principal nome para se juntar a Mimica na zaga azulina.

“Chego para colocar o clube em um patamar melhor, que seria hoje na Série B e, quem sabe, mais na frente, na Série A”, disse o jogador.

O lateral-direito Geovane defendeu o Globo (RN) nas últimas 5 temporadas, sendo eleito por 2 vezes o melhor da posição no Campeonato Potiguar. Em anos anteriores, esteve na mira de clubes da Série B, mas em 2018 não teve sua melhor temporada. O objetivo é voltar a repetir o mesmo desempenho anterior em novos ares.

Ter sucesso em um clube de massa é o objetivo da maioria dos contratados azulinos para a temporada. A maior parte dos jogadores contratados até aqui parece estar em busca de um grande momento em um clube de torcida imensa e boa projeção nacional. Na defesa, o zagueiro Fredson e os laterais Ronaell e Tiago Felix se encaixam nesse perfil.

O mesmo pode ser dito do meia Djalma, de longe a contratação que mais chamou atenção da torcida. Contratado oficialmente como volante, uma das posições onde já atuou, o jogador é muito ligado ao Paysandu por ter começado a carreira profissional por lá, onde foi campeão paraense, da Copa Verde e conquistou 2 acessos para a Série B.

Há 2 anos fora da Curuzu, Djalma é uma aposta do técnico João Neto, que vê no atleta de 28 anos alguém que pode atuar em várias partes do campo mantendo uma boa qualidade.

Sua ida ao Baenão é uma grande oportunidade para uma carreira que parecia na descendente e ele terá pouco mais de 3 meses para provar que pode ficar, pois seu contrato vai só até o fim do Campeonato Paraense, mas com possibilidade de renovação.

Além de Djalma, o meio-campo azulino está recheado de contratados, como o volante Róbson e os meias Diogo Sodré, Samuel e Wallacer. Aos 32 anos, o carioca Wallacer esteve no Criciúma (SC) nesta Série B, mas pouco jogou. A ida para a Série C é visto como uma tentativa de ter mais oportunidades em campo.

Samuel se encaixa quase no mesmo perfil de Djalma. Ele começou nas categorias de base do próprio Clube do Remo, mas não teve espaço e rodou por outros clubes até conseguir a uma segunda chance. Assim como algumas apostas desse momento, Samuel tem contrato até o fim do Campeonato Paraense, quando será avaliada sua performance e possível renovação até o fim do ano.

Entre os jogadores que foram contratados, a maioria é desconhecida pela maior parte da torcida. Isso não quer dizer que não tenham qualidade, tampouco que sejam uma garantia que vão surpreender pelo lado bom.

O goleiro Thiago veio, por exemplo, para ser o terceiro goleiro, já que é um atleta bem mais jovem que Vinícius e Evandro Gigante, ambos acima dos 30 anos. O que não quer dizer que não possa jogar algumas partidas.

O volante Welton defendeu o Paraense na Segundinha e foi chamado para um contrato de 3 meses. O jogador veio da base do Paysandu, onde não teve maiores chances.

O atacante pernambucano Alex Sandro saiu da base do Cruzeiro (MG) para rodar por alguns clubes até chegar ao Remo. No Baenão, o jogador tem a certeza que terá mais visibilidade.

“Quando apareceu a proposta do Remo, não pensei duas vezes. O Remo é um time grande, com uma torcida maravilhosa. Estou feliz pela oportunidade em vestir a camisa do Remo”, comentou Alex Sandro, quando teve o nome confirmado como novo contratado.

O zagueiro Henrique teve seu melhor momento com a camisa do Sampaio Corrêa (MA), mas a passagem pelo Oeste (SP) foi frustrante tecnicamente.

Gustavo Ramos tem uma situação curiosa. O começo do ano para o atacante de 22 anos foi dos sonhos, com o gol pela Aparecidense (GO) que despachou o Botafogo (RJ) na 1ª fase da Copa do Brasil, mas depois veio a vida real. Se conseguir marcar gols pelo Leão, pode ganhar um passaporte para voos mais altos.

Diário do Pará, 16/12/2018

2 COMENTÁRIOS

  1. Se deus quiser o ano de 2019 vai ser o ano do clube do remo e do fenômeno azul bem vindos a todos os contratados

  2. Estamos confiante nessa diretoria, e nós jogadores contratados .Presidente com novas mentalidades de trabalho . Eu confio nesse grupo.

Comments are closed.