Lucas
Lucas

De uns anos para cá, o Remo conseguiu revelar bons valores no futebol. A base azulina, mesmo sem muitos recursos e com grandes dificuldades, tem conseguido “pinçar” jogadores que estão dando retorno financeiro ao clube, como nos casos do lateral-direito Gustavo (hoje no Cruzeiro-MG) e do atacante Hélio (no Palmeiras-SP).

Entretanto, a última joia que o clube revelou não saiu do Leão como o esperado.

O goleiro Lucas, de apenas 16 anos, deixou o Remo na última semana. O garoto, que chegou a treinar em 2018 entre os profissionais, disse que deixou o Remo de uma forma não muito amigável, saindo do vestiário momentos antes de uma partida do time Sub-20 pelo Campeonato Paraense.

“Tenho um empresário (Jean), que cuida da minha carreira. O Remo quis assinar comigo no valor de R$ 1.000 e os diretores ficaram chateados por ter alguém me assessorando. No semana do amistoso entre Remo e Tuna, fui comunicado que não jogaria a Copa São Paulo, mas continuei treinando. No dia do jogo do Sub-20, estava no vestiário e fui informado pelos próprios jogadores que não poderia ficar, já que era ordem da diretoria”, disse.

Lucas comentou ainda que não esperava passar por isso, já que é o clube que ele torce e queria seguir carreira. O jogador confirmou que está de saída para algum clube do Sudeste e que viaja nesta semana, mas ainda não não quis informar o seu destino.

“Falei com a minha mãe e chegamos a conclusão que não daria mais para continuar. Chorei bastante, mas sei que tenho potencial e as portas irão se abrir. Essa semana irei viajar, meu empresário já acertou com um clube, mas ainda não posso revelar para onde irei e o clube onde irei atuar”, comentou.

Perguntado se ficou alguma mágoa do Remo, Lucas disse que encarou a situação com espanto, mas que espera um dia retornar ao clube que o revelou, além de fazer com que o Remo ganhe um percentual em transações futuras.

“Fica uma sensação de vazio e ao mesmo tempo é impactante, mas tenho consciência que o Remo me ajudou. Conversamos, eu, minha mãe e meu empresário, e ficou decidido que 20% de futuras negociações serão destinados ao Remo”, frisou.

O diretor de futebol profissional e também da base, Paulinho Araújo, rebateu as acusações de Lucas e disse que o Remo fez de tudo para ficar com o atleta.

“Não demos ordem alguma para tirar qualquer atleta do vestiário. Ficamos meses pedindo para o atleta trazer sua carteira de trabalho, mas o mesmo nunca trouxe. Perguntamos o motivo dele não trazer o documento e ele disse que tinha um empresário e que era para acertar tudo com ele. Chamamos o empresário e não tivemos resposta. Trabalhamos com prazos para enviar para a organização da Copa São Paulo e, como o Lucas não trouxe seu documento, preferimos deixá-lo de fora, já que ele não estava mais com a cabeça no Remo, até que isso se resolvesse. Ele preferiu ‘ir na corda’ de empresários”, disse.

Portal ORM, 08/10/2018

Comentários