Manoel Ribeiro está com “consciência tranquila” antes de reunião do Condel

10/10/2017
Manoel Ribeiro

O Conselho Deliberativo (Condel) do Remo se reúne na noite desta terça-feira (10/10) para avaliar as contas da gestão do presidente Manoel Ribeiro. O Condel irá colocar em discussão o parecer técnico do Conselho Fiscal (Confis), que teria reprovado a aplicação das verbas no clube, o que pode iniciar um processo para o afastamento do mandatário. Entretanto, ele afirmou que desconhece a desaprovação do balancete azulino e que não teria motivos para deixar o cargo.

“A notícia que vejo é totalmente infundada. A reunião que o Conselho vai ter amanhã (terça-feira) é exatamente de prestação de contas e ainda do primeiro quadrimestre, ou seja, de janeiro a abril. Estamos quase no final do segundo, mas até aqui o Conselho Deliberativo, apesar de já ter sido levado as contas totais, não se manifestou. Esse problema, se tem irregularidade ou não, é o Confis que vai dizer. Vamos aguardar o que o Confis vai falar na reunião e, se tiver irregularidade, vamos sanear aquelas que eles disserem”, comentou.

“A reunião normalmente teria que ter. A apresentação das contas tem que ser julgada pelo Conselho Deliberativo. Se houver alguma irregularidade, o Conselho vai devolver para eu sanear ou vai tomar a providencia que achar conveniente. Acredito que nenhuma dessas coisas acontecerá. Não sei de irregularidade nas contas e nem acredito que o Conselho tome qualquer iniciativa de afastamento”, completou Ribeiro.

O “Marechal” sofre pressão, principalmente, dos torcedores para deixar a presidência do Remo. Porém, ele já disse que não irá abdicar do cargo, o que só poderia acontecer caso fosse constatada alguma irregularidade no comando remista. Ribeiro se disse tranquilo quanto às acusações.

“Consciência completamente tranquila. Trabalho para o Remo, não faço o Remo trabalhar para mim. Estou no Remo desde 1955, portanto, há 62 anos. Então, não é agora, depois de ter sido 4 vezes presidente do Remo e do Conselho, que iria cometer irregularidade. Muitas pessoas que fazem esporte no Pará, principalmente, a imprensa esportiva, falam essas coisas, mas não sabem o que estão dizendo. Acredito que nada disso vai acontecer”, finalizou.

Globo Esporte.com, 09/10/2017

One Comment

  1. Cesar

    10 de outubro de 2017 at 15:15

    Não pagou nem os jogadores de 2015 que subiram e fizeram um bom ano imagine os deste ano!