Kelvin – Foto: Samara Miranda (Clube do Remo)
Kelvin – Foto: Samara Miranda (Clube do Remo)

O atacante Kelvin não conseguiu uma sequência como titular desde que chegou ao Baenão. Entretanto, no mar de irregularidade que vem sendo a temporada azulina desde então, apenas o goleiro Marcelo Rangel e o meia Jaderson podem ser apontados como titulares absolutos.

Aos poucos, o jogador tem conseguido mais minutos em campo e com atuações que vêm melhorando com o tempo. O atacante lembrou que chegou no final da pré-temporada dos companheiros e não pôde fazer o mesmo trabalho, tendo que se condicionar fisicamente durante as partidas. Atualmente, ele disse estar pronto para jogar de igual para igual com os companheiros e ajudar mais o time.

‘Quando cheguei aqui, estava fora de ritmo e a rapaziada já tinha chegado há tempos e vinha treinando. Aqui não é um lugar fácil para se adaptar. É muito quente, o clima é outro. Demorei um pouco para me adaptar, para encaixar meu jogo dentro da equipe. Depois que consegui isso, pude ajudar meus companheiros com assistências e fazendo bons jogos. Acho que é o processo normal do jogador. Estou me sentindo bem fisicamente há muito tempo, tecnicamente também”, explicou o jogador.

Kelvin sabe que esse é um processo a longo prazo, que é no dia a dia de treinos e nas partidas que ele tem que provar que merece uma vaga na equipe principal. O jogador afirmou estar satisfeito com seu atual estágio, pronto para conseguir mais tempo de campo.

“Estamos aqui para fazer nosso trabalho da melhor forma. Fico feliz com as oportunidades que ele (técnico Gustavo Morínigo) vem me dando. Claro que tem jogos que as coisas não dão certo, como alguns jogos passados, que a gente não teve vitórias, mas procuro sempre dar meu melhor. É isso, estou feliz. Quero continuar fazendo o meu trabalho aqui no clube para ajudar meus companheiros”, falou.

Com 3 gols em 4 jogos nesta Série C, o time azulino como um todo tem deixado a desejar no quesito “objetividade”. Para Kelvin, o time tem que aproveitar as oportunidades de gol quando elas aparecem para que as coisas melhorem dentro de campo, porque, inevitavelmente, os adversários terão oportunidades também.

“É para isso que a gente tem uma boa defesa, um bom goleiro também, sempre preparado para sofrer um pouco também. A gente tem que saber sofrer dentro do jogo, porque vão ter essas chances do adversário. Também temos que fazer nossa parte lá na frente, que são os gols”, afirmou o atacante, que defende o setor de criação do Leão das críticas de que o time cria pouco.

“Temos esses jogadores. Nosso camisa 10 é o Matheus Anjos. Também temos nossos volantes ali que vêm jogando bem, Jaderson e (Giovanni) Pavani, também tem o Adsson, que estreou agora nesse jogo. Enfim, tem outros que já jogaram também”, comentou.

O Leão volta a campo neste domingo (19/05), a partir das 16h30, para enfrentar o Tombense (MG), no Baenão. O jogo é válido pela 5ª rodada da Série C e terá transmissão ao vivo pela DAZN. Clique aqui para fazer sua assinatura agora.

Diário do Pará, 16/05/2024

8 COMENTÁRIOS

  1. Esse ai sempre foi louco! Assisto essa rapaz desde quando era promessa do Porto. Ele vem jogando no Remo igualzinho o que jogava no Porto, Palmeiras, Sao Paulo e etc…. Louco, louco

    Queria muito estar errado, mas ja sabia que nao daria certo.

  2. Ao longo de vários jogos apenas uma assistência. Futebol fraco sem consistência. Reflexo das péssimas contratações dessa diretoria omissa e fraca. Como torcedor do remo assim de tudo, torço para a virada de página e melhora desse jogador (que não tem culpa a alguma de sua contratação e deve ser respeitado como profissional) mas já sabemos no que vai dar. Jogadores simples (pra ser educado) e temos muitos iguais aki ou até que poderiam entregar mais que ele e que seriam muito mais baratos. Mas aí quem tem um pouco mais de discernimento sabe que sempre tem alguém ga hando com esse tipo de contratação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor informe seu comentário!
Por favor informe seu nome aqui