Fábio Bentes
Fábio Bentes

A Série C do Campeonato se encaminha para um novo formato a partir deste ano. Após reunião realizada pelos representantes dos clubes, ficou aprovada uma proposta de pontos corridos, todos contra todos, em turno único, com 19 rodadas.

A proposta foi encaminhada à CBF, que deve ser aprovada. O presidente do Remo, Fábio Bentes, falou sobre a reunião e comentou o que os clubes buscam junto à CBF em termos de receitas para a Série C.

“O que ficou discutido é que o ideal seria o formato de pontos corridos, mas que para isso se tornar viável, teria que ter um aporte de recursos de pelo menos 40% do que é feito na Série B, pois é necessário um elenco maior, mais qualificado, com todas as dificuldades de ter pontos corridos”, disse.

“Acredito que não daria certo para esse ano, pois dobraria o custo por conta da logística e sairia de uma situação de 18 jogos (por time) na 1ª fase para 38 jogos. Seria essa a mudança, se fosse aprovado (o formado de) pontos corridos direto, ida e volta”, disse Bentes.

O mandatário azulino afirmou que a reunião foi proveitosa e o que o regulamento aprovado pelos clubes foi algo mais justo para todos, já que a possibilidade de equipes do Norte jogarem no grupo do Sul e Sudeste e teriam que viajar muito mais que os ouros clubes.

“Acho uma boa esse regulamento. Se fosse divisão de grupos, acho que ficaríamos prejudicados, pois iríamos para o grupo do Sul, com Remo, Paysandu e Manaus (AM) enfrentando viagens mais cansativas. Seriam as equipes que mais viajariam. Dessa forma, todo mundo, em tese, terá as mesmas dificuldades e as mesmas facilidades, mas também contando com a sorte de quem terá as melhores condições”, disse.

As equipes também buscam junto à CBF um aporte financeiro. Os clubes querem uma ajuda mais da instituição que gerencia o futebol brasileiro mais robusta. Segundo Fábio Bentes, a intenção é que melhore o valor para cada equipe na Série C, que receberam R$ 400 mil na temporada passada. A intenção é um aumento mais significativo.

“Tem também a discussão que vamos travar com a CBF que é a questão de receitas. A Série C, há 3 anos, não tinha receita nenhuma. Ano retrasado já teve R$ 200 mil, no ano passado foi R$ 400 mil e essa ano estamos brigando para ter R$ 1 milhão a R$ 1,5 milhão. Esse é o pleito, pelo menos melhorar isso”, finalizou.

Ainda não existe data para a provação do novo regulamento por parte da CBF. As mudanças significativas seriam na logística e no aumento de uma data, passando de 18 para 19 rodadas, além de não ter mais grupos por regiões.

Seriam 10 clubes fazendo 10 partidas em casa e outros 10 fazendo apenas 9, seguindo um critério técnico: os 4 clubes que caíram da Série B e mais os 6 melhores da Série C de 2021. Os mandos de jogos seriam definidos através de sorteio.

Na 1ª fase, todos se enfrentariam. Os 8 melhores se classificam para o quadrangular e os 4 piores cairiam para a Série D.

A 2ª fase teria 2 grupos de 4 times, com jogos entre si. Os 2 melhores de cada grupo se classificam para a Série B de 2023. Os melhores de cada chave fazem a final da competição.

O Liberal.com, 07/01/2022

5 COMENTÁRIOS

  1. Os caras conseguiram saí da poça de lama, mas, esqueceram de ser lavar, agora voltaram ao cata cota, bom, só espero que não evolua para cata vaga. Se este ano, o Remo conseguir a vaga para série B, o fenómeno azul, a primeira coisa que deve fazer, é dá banho de sal grosso no baenão, para retirar este espírito de mendigagem que teima em ficar. Não procure facilidade, a regra do jogo já está posta, então se prepare, olha a série B passada, pediram tanto o VAR, achando que seria mais camarada, deu no deu

Comentários