Paulo Bonamigo
Paulo Bonamigo

A queda de Paulo Bonamigo no Remo rendeu entre os torcedores, muito pela forma como foi veiculada, mas o presidente Fábio Bentes afirmou que o técnico já sabia da decisão e foi informado pelo coordenador de futebol João Galvão.

A informação foi confirmada pelo próprio Bonamigo, nesta terça-feira (21/06). O ex-comandante azulino falou da forma de trabalho que tentou colocar no Leão, das lideranças do grupo e das conversas que teve com as torcidas organizadas do clube, além de afirmar que o time irá conquistar o acesso.

“Agradecer novamente a oportunidade de trabalhar no Remo. Um carinho especial que tenho por esse clube. Feliz que novamente deixei uma marca, pois sabemos que não é fácil trabalhar em um clube no ano seguinte a um descenso. A torcida fica mais impaciente, os recursos não são os mesmos. Sabíamos do desafio, da torcida exigente e de massa que é a do Remo e, dentro do nosso planejamento, com o esforço de todos, era importante resgatar a hegemonia do futebol paraense. É o que levo daqui, mas saio triste, evidente, pelo momento atual do Remo dentro da competição”, disse.

Paulo Bonamigo deu detalhes de como foi a sua demissão, que ocorreu dentro do vestiário, feita pelo coordenador de futebol João Galvão e afirmou que o Leão irá subir para a Série B.

“Fui comunicado pelo coordenador técnico depois do jogo. Até pelo próprio cenário e ambiente, já sabia que tinha uma atmosfera negativa pela minha permanência. Não tenho que reclamar de ninguém. Em relação à saída, é normal. A pressão foi muito grande em cima do treinador, do presidente. A gente sabe do trabalho de todos, da minha parte, do presidente, em fazer um time vencedor e que vai subir, tenho certeza que isso vai acontecer”, comentou.

Para Bonamigo, a eliminação do Remo na Copa do Brasil, para o Cruzeiro (MG), foi um divisor de águas no grupo. O técnico achou injustas as cobranças em cima do time e comissão e afirmou que a situação fez o Leão oscilar.

“O que me entristece é um fator que gera uma instabilidade na equipe. Foi a cobrança que a equipe, principalmente nós da comissão técnica e eu, principalmente, fui cobrado, a forma como fomos eliminados pelo Cruzeiro (MG) na Copa do Brasil. Isso possui influência direta dentro dessa oscilação que o time tem em alguns momentos. Joga bem, cai um pouco jogando fora, perde um pouco a personalidade, mas o que a gente foi cobrado aqui depois do jogo contra o Cruzeiro (MG), no meu ponto de vista, foi de uma forma injusta”, disse.

“Fizemos dois jogos com muita dignidade, vencemos o Cruzeiro (MG) de hoje, que não é a equipe do ano passado. Hoje, para mim, o Cruzeiro (MG), ao lado do Palmeiras (SP), são os clubes que estão jogando o melhor futebol dentro do cenário nacional. Independente de estar na Série B, é uma equipe muito bem organizada. Fomos eliminados nos pênaltis, mas fizemos uma disputa leal, equilibrada. Chegamos a Belém e fomos absurdamente criticados. Isso gerou uma instabilidade dentro do nosso ambiente. Esse é um dos motivos da minha saída”, revelou.

Bonamigo deixou um recado aos críticos de seu trabalho à frente do Remo, citou as conquistas que possui nas passagens pelo clube e afirmou que sai feliz pela história construída no clube ao longo das temporadas.

“Culminou com o último jogo, que foi atípico. Temos maturidade e experiência que se tem uma decisão, um fato novo, para gerar um ambiente diferente e temos que pensar também no clube. Sempre pensei com muito carinho no Remo. Saio feliz, com mais uma conquista, uma marca que queira ou não os mais críticos meus, terão que ficar engolindo esse título paraense com dois acessos na história, que não pode ser apagada”, desabafou.

Na derrota para o Ypiranga (RS), em Erechim (RS), Bonamigo contou que chamou alguns dos seus jogadores de confiança, os chamados “líderes do grupo”, para uma conversa. Ele questionou se a equipe ainda estava com ele e citou que já havia conversado 4 vezes com as torcidas organizadas do Remo e que, por isso, se recusou a participar da última conversa, durante o último protesto no Baenão.

“Existem momentos que gosto de trabalhar em cima da lealdade. Até falei após o jogo que perdemos contra o Ypiranga (RS) e falei com alguns líderes do meu time, que tem momentos que gosto de trabalhar com a lealdade, que se o grupo não tivesse mais comigo e falei com os líderes, Vinícius, Brenner, Marlon, (Anderson) Uchôa, que estão a mais tempo comigo, que se sentem que existe possibilidade de troca, temos que pensar no clube e não na comissão técnica, que sou o primeiro a dispor do cargo. O que ouvi dos atletas é que eles iriam dar a vida, que era esse o sentimento”, lembrou.

“Fomos cobrados pela torcida no sábado (19/06) também. Falei que não iria conversar com as torcidas, que já tinha conversado 4 vezes com as organizadas, que não tinha mais argumento para falar, que era vencer, colocar o time para jogar bem”, afirmou Bonamigo.

O ex-técnico do Leão falou do ambiente em que o grupo proporcionou, falou sobre a chegada de um novo técnico e qual o cenário irá encontrar, além de reafirmar que o Remo vai classificar e estará um time pronto para subir à Série B.

“Quando tem esse ambiente interno unido como está nesse momento, o Remo vai continuar unido, independente da minha permanência ou não. É por isso que acredito no acesso. Independente do treinador que venha, ele vai encontrar um ambiente propício. Não vai precisar de muito trabalho. O time está jogando bem e está precisando regular o jogo fora de casa, saber sofrer um pouco mais, uma organização defensiva mais forte. Passando isso, vai obter mais resultados e vai chegar um momento que não terá ‘terra arrasada’. O grupo tem personalidade, está fechado, maduro e pronto, principalmente para a segunda fase, que é a fase decisiva, onde a maturidade será muito importante”, falou.

Bonamigo afirmou que o Remo não lhe deve nada, que existe um acordo dele com o clube e que tudo está sendo resolvido, além de exaltar a administração do presidente Fábio Bentes à frente do Leão.

“Vamos fazer o acordo normal. É muito ‘no fio do bigode’. No Remo sempre trabalhei, não tem contrato, não tem multa absurda. É tudo dentro do que foi combinado. Devemos fazer hoje (terça-feira) o acordo final, o Remo não deve ninguém. Tem que exaltar os membros dessa diretoria, que são extremamente competentes, dedicados, que sempre querem o Remo ganhando, jogando um futebol ofensivo. É preciso ter sempre uma direção por trás para dar suporte nesse trabalho”, finalizou.

O Leão volta a campo na segunda-feira (27/06), a partir das 20h, para enfrentar o Figueirense (SC), no estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis (SC). O jogo é válido pela 12ª rodada da Série C e terá transmissão ao vivo e exclusiva pela DAZN. Clique aqui para fazer sua assinatura agora e ganhe 30 dias grátis.

O Liberal.com, 21/06/2022

12 COMENTÁRIOS

  1. É Bonamigo, é inacreditável alguém como você, experiente ter uma atitude como esta, como pode Elegê quatro gatos pintado como líder, xerifões informais de um grupo de pelo menos trinta e em formação, pelo jeito faltou autoridade de quem de direito e deu no deu. O Remo é isto, muito cacique, pouco índio, o que acontece, os índios se rebelam.

  2. Bonamigo está correto o Leão poderia ter vencido o Cruzeiro, foi provado em campo que Leão e Cruzeiro eram dois Times praticamente nivelados, é natural que coloquemos a perda de não entrarmos na disputa das oitavas de final da Copa do Brasil 2022 ao técnico, porém Bonamigo viu e comandou o Leão numa disputa histórica em que foi provado que o Leão tem time para disputar o Título da série C 2022, agora veremos o Leão com um novo técnico que realmente Bonamigo tinha razão.

  3. Pelo visto o Bonamigo continua em Nárnia. Perdeu 4 jogos de 5 fora de casa, perdeu pro Altos que estava na porta da zona. O Remo foi o ÚNICO time que o Brasil de pelotas venceu…Pelo amor de Deus, dizer que o time tá pronto pro acesso, maduro e que deve aprender a sofrer, blá-blá-blá. Time pronto pra subir está no G4, Bonamigo. Vê se aprende que futebol é RESULTADOS. Jogar a série C com folha de 1 milhão era OBRIGAÇÃO estar entre os 4 e com folga. Leve seus medalhões junto, Marlon, Flores e cia, os intocáveis.

    • Então você esta muito desligado da serie C amigo para dizer que o Remo foi o único time que o Brasil de Pelotas venceu, SE ATUALIZE AMIGO ANTES DE AFIRMAR. Nessa Mesma Rodada que o Remo perdeu para o Altos, o Brasil de pelos Venceu o Ferroviário por 3×1 dentro de casa.

  4. Fomos campeões Paraense,não foi em vão, ele tem identificação com nossa TORCIDA,quer queiram quer não,e aqueles que detonam BONAMIGO,não deve ser considerado Remista;aqui tem muitos infiltrados e vejo que certos comentários são puramente para DENEGRIR,SACANEAR,MENOSPREZAR O CLUBE;Vamos ter cuidado com esses passa fome,lisos que vem tumultuar,jogar uns contra os outros aqui!!!!VAI PROCURAR TUA RURMA,e opinião aqui vai ser respeitada,ninguém aqui é o dono da razão e nem tu bicolete CALOTEIRA E REI DA MARACUTAIA.

  5. É muita covardia daqueles que culpam o Bonamigo pela desclassificação na CB contra o Cruzeiro em jogo em BH, inclusive insinuando que se o treinador tivesse colocado o Ronald o Remo não perderia naquele jogo, uma pura suposição. Em vez de fantasiar, esses injustos críticos deveriam ser mais realistas e focarem nas verdadeiras causas que levaram à essa derrocada.

    A realidade é que o a estratégia do Remo foi adequada jogando com a vantagem e fechadinho contra um adversário bem superior, o time foi muito bem no coletivo e perdeu a vaga por falha individual, especificamente:

    – O gol de escanteio da vitoria da raposa teria sido evitado se Curuá, em vez jogar a bola para linha de fundo, tivesse dado chutão para o meio de campo ou para a lateral;
    – Seria o gol do empate do Remo se o Erick Flores tivesse cabeceado no gol em lance na pequena área com o goleiro cruzeirense já batido;
    – Um dos gols de pênaltis do Cruzeiro seria defendido se o Vinícius tivesse ido firme na bola e empurrado pra frente em vez de a espalmar, que acabou subindo e entrando no gol;
    – Um dos 4 batedores do Remo que perdeu pênalti tivesse observado que o forte do goleiro da raposa é o seu lado esquerdo, e na cobrança ter chutado forte na direito ou no meio do gol;
    – Uchôa experiente devia ter assumido a responsabilidade e pedido para bater o pênalti decisivo no lugar do imaturo Lailson.

    Essas quatro falhas acima são fatos e não suposição, e bastaria um deles ter sido realizado com capricho individual do jogador para o Remo ter saído vitorioso com mais 3 milhões na mão.

    O Bonamigo tem comportamento de nobreza, é remista de coração, já fez uma bela história no Remo e por isso está no seleto grupo dos grandes ídolos do clube, é um profissional merecedor de todo respeito e admiração dos verdadeiros remistas.

    Ao coach Bonamigo um muito obrigado! Que seja muito feliz em sua nova missão profissional e fase de vida.

    • Culpar pela desclassificação pode ser exagero, até porque o Cruzeiro jogou muito melhor e teve diversas chances, porém, muito pela maneira como o Remo se comportou. O Ronald era a substituição natural naquela posição pela esquerda, por que colocar o Lailson? Este errou todas as jogadas que se envolveu, desperdiçou pelo menos 2 contra-ataques, justamente o “forte” do Ronald. Vendo um jogador atabalhoado como o Lailson, qual a justificativa dele bater pênalti? Também acho que o Uchôa deveria bater no lugar dele, antes dele pelo menos, e era dever do técnico decidir isso, não do jogador. E todas as 4 questões que você colocou, também são suposições, tanto é que vieram precedidas de “se”. Então se ele tivesse colocado o Ronald, não é mais suposição se se o Curuá tivesse chutado a bola seja lá para onde fosse.
      Não se deve confundir a pessoa do Bonamigo, “gente boa, de caráter, remista”, com ele como treinador. Não é criticar a pessoa, mas o trabalho dele que não deu certo, nem na série B do ano passado, e nem nesse ano. E vida que segue. Deve-se ter respeito por ele e por todos. Inclusive é com respeito que faço essas observações. Nós torcedores sempre achamos isso ou aqui, mas quem decide são eles os dirigentes que contratam, pagam, estruturam, os treinadores, preparadores etc e os jogadores. Especular, infelizmente cabe a nós.

      • Gilmessi77, não podes garantir que o Ronald faria gol no lance do contra-ataque se estivesse no lugar do Lailson, isso nada mais é que uma suposição.

        Mas a ruindade do Lailson até fez algo que prestou na partida, foi quem cruzou a bola na cabeça do Erick Flores que perdeu gol feito ao errar o alvo.

        As 4 erros capitais individuais que eu mencionei seriam efetivos, sim, para a classificação do Remo com a merecida atenção e realização acertiva, pois todos são fatos ocorridos e não meras suposições.

        Eu também fiquei muito chateado com a perda da vaga na CB, dos 3 milhões, mas o fato é que o Remo perdeu a vaga porque jogadores cometeram erros em lances decisivos que não poderiam ter errado.

        Portanto, é injustiça culpar o Bonamigo com suposição (o Ronald…) e isentar os jogadores negligentes.

        • Jamais disse que o Ronald faria gol se entrasse, mas que era a substituição “natural” . O maior culpado é o Bonamigo sim, ele era o treinador, ele quem escalou o Lailson e o destacou para bater o pênalti. Senão , o que ele fazia ali? O resto é interpretação de texto.

          • Na hora da verdade quem decide são os jogadores em campo e nesses momentos é que se vê quem é quem. Com o goleiro no chão e o gol escancarado, bastava cabecear certo no gol, mas o Erick Flores jogou pra fora, erro de execução. O Marlon e Leonan tem chutes muito fortes, mas nos pênaltis praticamente jogaram a bola na mão do goleiro do Cruzeiro, erros de execução, nesse momento tem que fazer como o Fredson no pênalti decisivo na CV, ser firme, dar chute forte, mais alto e no meio do gol, sem frescura. Já o Vinícius foi mão de quiabo em cobrança, defenderia ser firme como se espera em defesa de cobranças de pênalti, etc.

            Dizer que o Bonamigo deveria ter colocado o Ronald não passa de uma tentativa de culpar o treinador pela desclassificação na CB, pois isso não garante nada, inclusive o menino Ronald em vários jogos e não resolveu, como contra o Goiás em Belém na série B.

            Se o Remo tivesse levado um goleada do Cruzeiro com o time perdido em campo, aí sim seria responsabilidade do treinador, mas não foi o caso, pois naquele dia o time foi guerreiro contra um adversário muito superior e só não levou a vaga por muito pouco e por falhas individuais em momentos decisivos.

            Portanto, é covardia da imprensa e injustiça de torcedores que culpam o Bonamigo pela desclassificação do Remo na CB.

Comentários