Cruziero-MG jogou com presença de 30% da capacidade do estádio Mineirão liberada
Cruziero-MG jogou com presença de 30% da capacidade do estádio Mineirão liberada

O Conselho Técnico da Série B havia decidido, por unanimidade, que o público só voltaria aos estádios com a plena concordância de todos os 20 clubes participantes da competição.

Para surpresa quase geral, o Cruzeiro (MG) ganhou o direito de jogar contra o Confiança (SE) tendo a torcida ao seu lado no Mineirão, na sexta-feira (20/08), na abertura da 20ª rodada.

Isso foi possível pela autorização concedida pela Prefeitura de Belo Horizonte (MG). Um privilégio grave, que fere o princípio do equilíbrio técnico da Série B e, mais que isso, representa um precedente perigoso, pois os outros 19 clubes passam a conviver com uma nova realidade, pois são obrigados a jogar com os portões fechados, sem apoio de suas torcidas, contra um adversário que passa a contar com essa força extra.

Quem acompanha futebol sabe bem a diferença que o torcedor pode fazer nos jogos. Botafogo (RJ) e Guarani (SP) reagiram em notas protestando contra a omissão da CBF em relação ao regulamento da competição, ferido gravemente. O Conselho dos Clubes também se manifestou, pedindo o adiamento do jogo cruzeirense, mas a CBF preferiu “lavar as mãos”.

Do jeito que a coisa vai, em breve teremos estádios liberados na marra, sem respeito a protocolos e semeando riscos de contaminação pela Covid-19.

A rigor, o calendário de 2021 já deveria vedar o retorno de público, pois o Brasil é recordista mundial em número de casos e mortes da doença. O exemplo de outros países, citados irresponsavelmente pelos defensores do “liberou geral”, não serve para a situação brasileira.

Aqui, a doença está longe de ser controlada, ao contrário dos países europeus que reabriram seus estádios para cobrança de ingressos.

Mais que um problema específico da Série B, constitui um ato de desdém criminoso atentar contra o bem-estar das pessoas em um cenário agravado pelo surgimento de novas cepas, com ênfase na temível variante Delta.

Em tempo: na partida contra o Confiança (SE), o Cruzeiro (MG) foi empurrado o tempo todo pelos gritos de sua torcida, que ocupava 30% do estádio Mineirão. Com isso, encurralou o time sergipano e intimidou o árbitro, que só marcava falta em cima de jogador cruzeirense.

Pelo visto, a novidade do VAR ficou em segundo plano para a licenciosidade dada ao Cruzeiro (MG), que ganhou um trunfo que os demais 19 times não têm.

Caso não haja uma tomada de atitude, a vantagem dada aos mineiros pode manchar inapelavelmente a edição da Série B.

Blog do Gerson Nogueira, 22/08/2021

14 COMENTÁRIOS

  1. Perfeita e oportuna crítica do Gerson Nogueira!

    O Cruzeiro merece punição no mínimo com perdas de pontos por contrariar regulamento formal do Conselho Técnico dos clubes da série B, mas se forem esperar pela máfia da CBF não dar em nada.

    Com rejeição ao jogo em si, o VARladrão prejudicou o Confiança, pois no lance do pênalti se houve falta foi do atacante cruzeirense no goleiro sergipano. É a máfia da CBF atuando em favor de seus clubes apadrinhados, pelo visto nesse segundo turno o VARladrão vai manipular direto em favor dos clubes do esquema da CBF e que estão nessa série B.

      • Uma entidade que teve três presidentes afastados pelos motivos noticiados na época. Recentemente outro responde processo, se é inocente ou não a justiça vai dizer, e atualmente tem um presidente que sequer se ouve a respeito dele na imprensa, só pode ser avacalhada como o regulamento. Daí a razão da esculhambação que reina. Na caso do VAR, não está servindo para nada, as “garfadas” continuam.

  2. Com esta atitude cruzeirense, a série B pode terminar na Justiça. Tudo que desonestos cartolas querem pra virar a mesa e puxar para a série A , Vasco, Botafogo e o próprio Cruzeiro. Vergonha na Cara é algo que essa turma não tem!

    • A prefeitura de BH já fez isso. Nesta segunda-feira (23/08), o prefeito Alexandre Kalil (ex-presidente do Atlético-MG) determinou a proibição de jogos com torcidas na capital mineira. Os clubes mandantes não conseguiram seguir as regras mínimas de cuidados contra Covid-19 nos jogos pela Libertadores (Atlético-MG) e Série B (Cruzeiro-MG).

    • A CBF talvez seja uma das instituições mais corruptas, desonesta, injusta e parcial deste país

  3. O futebol tem que ter torcida sim seus ignorantes os clubes e o policiamento é que tem que manter as medidas sanitária e os torcedores bom senso e responsabilidade agora me respondam nós coletivos não tem convide
    ? É por isso que pode andar lotado pensem

Comments are closed.