Felipe Conceição
Felipe Conceição

O Remo estacionou nos 38 pontos e parece travado, sem conseguir avançar rumo à faixa dos 40, que dará maior tranquilidade para consolidar a pontuação mínima necessária à permanência na Série B. Pelas mãos do técnico Felipe Conceição, a campanha é positiva, o time saiu do limbo para se posicionar no bloco intermediário.

Não há dúvida, a conquista da meta estabelecida desde o começo do campeonato está próxima. O clube se planejou para ficar na Série B, de preferência, sem sustos ou aperreios. O problema é que, a cada rodada sem evolução na tabela, surgem as aflições naturais geradas pelo equilíbrio da competição.

É cada vez menor a distância para os times que estão na parte inferior da classificação. Há 4 rodadas, o Remo mantinha folga de 11 pontos em relação ao primeiro da zona de rebaixamento. Atualmente, essa diferença caiu para 8 pontos – o Londrina (PR), em 17º lugar, tem 30 pontos.

A distância ainda é confortável, mas não há mais limite para vacilos. Por uma questão prática: caso não pontue nesta sexta-feira (15/10), diante do Brusque (SC), o time paranaense pode alcançar 33 pontos e a vantagem cairá para 5.

Os riscos existem, embora ainda controlados. O Remo terá ainda 4 jogos em casa, com apoio do Fenômeno Azul, para garantir os 44 pontos apontados como necessários para a permanência. A linha de corte pode até ser mais baixa, 43 ou 42 pontos.

No Baenão, o Leão terá pela frente Ponte Preta (SP), Londrina (PR), Goiás (GO) e Confiança (SE). É perfeitamente possível que o time consiga pelo menos 10 pontos nesses 4 confrontos, além de outros bons resultados que podem ser obtidos fora de casa.

É justamente a performance do Remo como visitante que desperta críticas pelo excesso de relaxamento no começo das partidas, fato mencionado aqui a respeito dos jogos com Guarani (SP), Sampaio Corrêa (MA) e Vila Nova (GO).

A volta de titulares indiscutíveis, como o volante Anderson Uchôa, podem calibrar ainda mais a campanha no chamado último quarto da competição, que são os 9 jogos finais. Além disso, já para o confronto contra os catarinenses, Felipe Conceição volta a ter opções na defesa, podendo escolher entre Kevem, Rafael Jansen e Marlon, além do jovem Edu, que ainda nem estreou.

O retorno de peças importantes vem na hora certa, pois a partir de terça-feira (19/10) o Leão inicia campanha na Copa Verde. Para o primeiro jogo, contra o Galvez (AC), o time terá que ser mesclado, para não comprometer a campanha na Série B.

Blog do Gerson Nogueira, 14/10/2021

2 COMENTÁRIOS

  1. São pontos que perdemos no detalhe que nos tiram de uma melhor colocação na tabela.
    Aquele gol amador tomado contra o Vila Nova; a falta do gol do Lucas Siqueira contra o Coritiba embaixo da trave; O relaxamento contra o Sampaio Corrêa (pelo menos garantimos empate nesse); O Jogo contra o Botafogo em Belém; O Jogo contra o Operário quando eles estavam com menos um desde o primeiro tempo (ainda fizemos a proeza de perder); O jogo contra o Londrina que era o então lanterna (mas o Londrina estava evoluindo então não foi tão ruim assim);
    Foram 17 pontos que eram possíveis (até mesmo prováveis pelas condições que foram os jogos) e que o Remo desperdiçou… Claro que ganhamos outros pontos improváveis também, como a vitória contra o Náutico no último lance do jogo.
    O Remo estaria, com mais esses 17 pontos, com 55 pontos e seria o líder da série B

  2. O Duelo Brusque X Leão será decidido nos detalhes caso contrário ficará no empate, ao Brusque cabe evitar os erros que tendem a ser muitos pela situação de estar disputando com Londrina e Vitória uma das vagas fora do Z4, ao Leão cabe administrar sua boa vantagem e golear o Brusque para aumentar os gols a favor, minha aposta é Brusque 0 X 3 Leão. Acredito que o leão deva jogar para vencer o empate será consequência do duelo.

Comentários