Goiás-GO 1×1 Remo (Lucas Tocantins e Renan Gorne)
Goiás-GO 1×1 Remo (Lucas Tocantins e Renan Gorne)

O Remo não conseguiu vencer, mas mostrou avanços do empate diante do Goiás (GO). Uma atuação centrada e bem organizada, com consciência tática e acerto de passes. Foi superior no primeiro tempo e caiu um pouco na etapa final, sucumbindo ao já habitual erro na saída de bola. Ainda assim, teve forças para buscar o gol nos minutos finais, garantindo um bom resultado.

Um dos pontos a destacar foi a distribuição em campo, com ênfase no papel executado por Anderson Uchôa e Erick Flores no meio-campo e a participação intensa de Victor Andrade no ataque. O trio esteve ausente contra o Operário (PR) e retornou em grande estilo contra os goianos, provando sua utilidade para o modelo de jogo proposto por Felipe Conceição.

A inversão de papéis entre Victor e Gedoz funcionou bem, embora sem a necessária contundência ofensiva. Ficou faltando, em alguns momentos, ousar mais nas finalizações. Victor e Flores foram os mais agudos.

Do lado goiano, Nicolas arriscou uma vez, mas o time parecia intimidado e surpreso com a boa esquematização tática do Remo.

O segundo tempo trouxe um Remo mais conservador, menos intenso e preso ao próprio campo. Em consequência, o Goiás (GO) subiu de produção e passou a atacar com mais insistência. Em um cochilo na saída de bola com Wellington Silva, nasceu o lance do gol de Nicolas, aos 17 minutos.

A jogada errada na lateral-direita pegou de surpresa os zagueiros Romércio e Rafael Jansen. São falhas que não podem se tornar rotineiras no mais disputado campeonato do país. Quem ambiciona alcançar um nível de regularidade que garanta alta competitividade tem que cuidar dos detalhes, principalmente nas zonas próximas à sua área.

Felipe Conceição fez trocas que ajudaram o Remo a sair da postura recuada. Lucas Tocantins, Renan Gorne, Rafinha e Arthur entraram e o time azulino voltou a manobrar no ataque, mas nem tudo fluiu como deveria. Faltou priorizar as jogadas com Tocantins, que recebeu apenas duas bolas.

Uma delas, na reta final do jogo, permitiu ao atacante dar um giro no marcador e entrar na área. Quando o goleiro Tadeu chegou para dividir, Tocantins deu um toque na bola e recebeu a falta. O penal foi marcado corretamente e convertido por Renan Gorne.

Uma atuação de bom nível, que deixa no ar a impressão de que o time pode evoluir a partir de atitudes mais confiantes. O desafio é manter a constância e ser intenso em todos os jogos.

Blog do Gerson Nogueira, 12/08/2021

4 COMENTÁRIOS

  1. Perfeita análise do Gerson Nogueira, tem que ter mais atenção e não pode ter mais vacilos que resultam gols bobos ao adversário.

    O Remo também melhorar muito o aproveitamento de faltas em, seu favor, próximas da grande área.

    Sem dúvidas a fórmula é jogar com intensidade e atenção o tempo inteiro. O esquema tático está muito bom, é uma questão de evoluir cada vez mais e vencer bem.

  2. O Remo precisa manter esse ritmo,se assim for,com certeza terminara bem colocado na tabela de classificacao.

  3. Um time que pensa grande, não deve jogar de maneira covarde. O Remo jogou buscando o ataque e teve um bom resultado, todavia, ainda necessita aproveitar melhor as chances que aparecem no decorrer do jogo. O Remo vai jogar bem contra o Vasco e buscar a vitória no Baenão. Jamais deve se acovardar. Luta e intensidade é o segredo para vencer.Avante Leão.

  4. Que sejam treinadas jogadas quando houver faltas, pq quem disse que Gedoz é batedor de faltas?

Comments are closed.