Remo 3×0 Manaus-AM (Felipe Gedoz)
Remo 3×0 Manaus-AM (Felipe Gedoz)

Foi uma noite de atuação segura e tranquila do Remo, com destaque acentuado para 2 jogadores – Felipe Gedoz e Neto Pessoa.

O centroavante marcou 2 gols e o meia foi fundamental para a movimentação do ataque azulino. Dos pés de Gedoz nasceram os lances mais inspirados do time enquanto ele esteve em campo. A vitória, folgada, deveu-se em boa parte ao desempenho de ambos.

O Remo começou o jogo acuando o Manaus (AM) em seu próprio campo, expediente que o ex-técnico Felipe Conceição nunca utilizou. Por cerca de 10 minutos, o Leão rondou a área amazonense levando perigo, embora sem acertar chutes a gol.

Somente depois dos 20 minutos, o time amazonense conseguiu passar do meio-campo e chegar com algum perigo em chutes isolados de Daniel Costa. O Remo mantinha a posse de bola e ditava o ritmo, sem afobação.

Aos 33 minutos, Neto Pessoa marcou o primeiro gol do Leão, concluindo boa manobra de todo o ataque. Aos 42 minutos, o camisa 9 chutou cruzado, de forma despretensiosa e a bola entrou no canto direito da trave de Gleibson, que se atrapalhou com o salto de Gedoz para tentar o cabeceio.

Ao contrário da primeira partida, quando o equilíbrio foi mais notório, desta vez o Remo não permitiu que o Manaus (AM) se tranquilizasse no jogo. Em uma demonstração do que pode – e deve – fazer domingo (28/11), diante do Confiança (SE), o time não descuidou da vigilância pelos lados e da marcação forte no meio, bem executada por Lucas Siqueira.

Para o segundo tempo, Eduardo Baptista trocou Lucas Tocantins por Jefferson e Felipe Gedoz por Erick Flores. Aos 28 minutos, Jefferson tabelou com Neto Pessoa na entrada área, driblou dois marcadores e chutou forte. O goleiro rebateu nos pés de Erick Flores, que só fez tocar para as redes.

Cansado, o Manaus (AM) não teve forças para pressionar e chegava esporadicamente em cruzamentos para a área. Em um deles, quase ao final, Daniel Costa mandou bola alta em direção ao gol, mas Vinícius saiu bem e socou para escanteio.

Uma curiosidade – Rafinha, ex-jogador de Eduardo Baptista no Mirassol (SP), entra em todos os jogos possíveis, mas vai mal sempre. Para variar, só conseguiu uma boa jogada, quando fintou 2 adversários dentro da área e abriu espaço para a finalização, mas o chute saiu horroroso.

Além do arremate torto, o meia-atacante se lesionou no lance, sozinho. Foi substituído por Ronald, que imprimiu mais velocidade pelos lados e quase ajudou a ampliar o marcador.

As semifinais nortistas estão definidas para os dias 01/12 e 04/12, entre Remo e Paysandu. Será a 5ª vez que os rivais se enfrentam na etapa decisiva da Copa Verde.

Blog do Gerson Nogueira, 25/11/2021

3 COMENTÁRIOS

  1. “o time não descuidou da vigilância pelos lados e da marcação forte no meio, bem executada por Lucas Siqueira”.
    Gerson Nogueira, vc só pode estar de brincadeira com essa informação. A maior doença do Remo é esse cara, que nem amarelo leva, pois só se arrasta em campo.

  2. Perfeita a análise do Gerson Nogueira e também vi uma melhora no Lucas Siqueira na marcação e parou mais de querer ir no ataque e esquecer de defender ,pois volante o papel principal é de marcação e ele jogava muito adiantado para fazer isso,só o ex treinador Felipe conceição não via isso.

Comentários