Bira
Bira

Faleceu, nesta segunda-feira (14/09), o ex-atacante Bira, um dos maiores ídolos da história do Clube do Remo. A equipe paraense divulgou uma mensagem nas redes sociais, onde lamenta o falecimento do ex-jogador amapaense.

Ubiratan do Espírito Santo, conhecido no futebol como “Bira”, vinha enfrentando, nos últimos anos, uma batalha contra um câncer de fígado. Em junho, Remo e Ypiranga (AP) se uniram em uma campanha para ajudar o ex-atleta em uma ação que pedia a colaboração dos torcedores para arrecadar recursos para o tratamento, que envolvia remédios e idas a Porto Alegre (RS) para a realização de exames. Lá, Bira construiu uma história de sucesso no Internacional (RS).

O atacante vestiu o manto azulino em 1977, 1978, 1979 e 1985. É o 5º maior artilheiro do clube, com 115 gols marcados; e o maior goleador da história do Campeonato Paraense, tendo balançado das redes 67 vezes só em jogos do Estadual. Em maio, foi eleito o melhor centroavante do “Remo de todos os tempos”.

Veloz e habilidoso, Bira chegou ao Leão após uma passagem apagada pelo rival Paysandu. Sua missão foi justamente substituir o ídolo Alcino, contratado pelo Grêmio (RS).

No Baenão, o jogador ainda passou alguns meses na reserva até consolidar a titularidade sob o comando do técnico Joubert Meira. Para ilustrar o seu poder de decisão, o centroavante marcou todos os gols do Remo na vitória por 5 a 1 sobre o Guarani (SP) no Campeonato Brasileiro de 1978, ano em que o time paulista seria o campeão.

Globo Esporte.com, 14/09/2020

13 COMENTÁRIOS

  1. Grande Bira, ídolo eternizado tenista. Que ele esteja sendo muito bem acolhido em sua passagem para o plano espiritual, sob a proteção de Nossa Senhora de Nazaré, nossa mãe do Céu.

  2. Que Deus o abençoe e receba. Conforte seus familiares. Salvo engano, saiu do Remo para o Internacional de Porto Alegre onde foi campeão brasileiro. Deu muitas alegrias para nossa Torcida Azulina. Acho que foi o único lugar ou dos poucos lugares em que Dario, o Dadá Maravilha, não foi artilheiro e nem ganhou o estadual porque jogava pelo payssandu e aqui naquele ano foi o Leão Azul, campeão, e Bira, artilheiro. Estava na final, acho que 1979, Remo 2×1 payssandu, de virada, gols de Luiz Augusto e Bira.

  3. Bira está eternizado em várias conquistas do Maior do Norte. O Clube do Remo teve o privilégio de contar com um dos maiores atacante que passou pelo futebol Paraense. O futebol Amapaense e Paraense Jamais esquecerão este fantástico goleador, que Deus receba este inesquecível craque que honrou o manto Azul.

  4. QUE ESTA GERAÇÃO AME A CAMISA QUE VESTE MAIS QUE O DINHEIRO. HONRA, HONESTIDADE E HOMBRIDADE É PARA QUEM TEM RAIZ,FICA O ALERTA,DESPERTAR JÁ. O TORCEDOR SEMPRE ENTRARÁ EM CAMPO,AO CONTRÁRIO DO QUE OUTROS DIZEM, PORQUE O AMOR NUNCA ACABA VAI ALÉM DA MORTE. DEUS ABENÇOE A FAMÍLIA. A FAMÍLIA AZULINA E DE TODOS QUE RECONHECEM O GOLEADOR QUE FOI. AOS QUE NÃO CONHECERAM QUE SEJA UMA INSPIRAÇÃO A MAIS NA VIDA. É ISTO.

  5. O Biro foi e sempre será eterno para todos os azulinos, que Deus dei o descanso eterno a alma do Bira, que nosso Senhor Jesus Cristo conforte os corações de todos os seus familiares.

  6. Bira foi um grande prazer estar no Baenão naqueles momentos de alegrias com os teus gols, nos trazendo vitórias e, ver um centro-avante nato, com faro de gol. Obrigado por teres jogado no Leão de Antônio Baena.

  7. Vá em paz, grande Bira e que Deus o encontre de braços abertos, este sim honrou a sacre santa camisa azuina e não esses atuais jogadores safados, que não merecem nem pisar no baenão.

Comentários