Mazola Júnior orienta os jogadores antes de iniciar o treino
Mazola Júnior orienta os jogadores antes de iniciar o treino

Nos últimos 3 meses, os clubes já levantaram e derrubaram as mais diversas hipóteses para o futuro do Parazão 2020, suspenso desde março por causa da pandemia.

Na semana de decisão, que deve ser tomada na próxima quinta-feira (02/06), a única certeza é que o campeonato será concluído em campo, mas ainda são discutidas diversas possibilidades.

Pode ser que o regulamento seja cumprido “doa a quem doer”, pode ser que haja unanimidade para suprimir as 2 rodadas que faltam na fase classificatória e seguir direto para as semifinais, pode ser que haja ou que não haja rebaixamento…

Levando em conta as tantas alternâncias, o Parazão nos bastidores tornou-se mais imprevisível do que no gramado. Poderemos ter surpresa, dentro ou fora de campo.

Em um primeiro momento, imperou o casuísmo. Cada clube defendeu o que lhe convinha e a FPF precisou ser firme em defesa dos interesses dos patrocinadores. Aos poucos, os clubes foram enquadrados e agora já discutem racionalmente, embora ainda alimentem grandes incertezas na imprensa e no público.

De um jeito ou de outro, o Parazão vai recomeçar já em agosto, como a CBF quer. Sim! A CBF diz respeitar a autonomia das Federações, mas atua pela retomada do futebol com os Estaduais, que vão decidir acessos às competições nacionais, conforme os princípios da meritocracia. Também por isso, a CBF mantém de pé a nossa Copa Verde.

Mangueirão

Alto investimento do Governo do Estado para revitalizar o Mangueirão: R$ 155 milhões. Os clubes precisam fazer por merecer. Até julho de 2022, quando o novo Mangueirão deverá ser entregue, só haverá merecimento com um ou dois clubes na Série B, pelo menos. O estádio ficará fechado por um ano e meio.

Indicações de Mazola

Jogadores contratados pelo Remo já trabalharam com Mazola Júnior. O lateral-direito Everton Silva, no Sampaio (MA); o lateral-esquerdo Marlon, no Criciúma (SC); o volante Júlio Rusch, no Londrina (PR); e o atacante Zé Carlos, no CRB (AL).

A exceção seria o atacante Tcharlles, da Inter de Limeira (SP), que está ficando difícil, por assédio de clubes da Serie B.

Coluna de Carlos Ferreira, O Liberal, 30/06/2020

2 COMENTÁRIOS

Comentários