Carlos Alberto e Hélio Borges e Marlon
Carlos Alberto e Hélio Borges e Marlon

O time do Remo que apresentou um bom desempenho no início da Série C, mas passou a despencar aos poucos. Trocas de técnicos e jogadores foram feitas para tentar pôr um fim na ausência de vitórias com que a equipe azulina sofria.

A mudança chegou por quem sempre esteve por lá, aguardando somente uma oportunidade para mostrar o talento.

Talento esse, que desde a chegada de Mazola Júnior, passou a ter mais espaço no time e ter seus rostos conhecidos.

Foi com a chegada do técnico Paulo Bonamigo, que essas peças foram melhor aproveitas e as 2 últimas vitorias do time azulino saíram graças a esses jogadores. A última, foi a quebra da invencibilidade do rival bicolor no Re-Pa.

Hélio Borges, autor do primeiro dos 3 gols, que sacramentou a vitória do Leão contou o que mudou em relação a entrada de jogadores da base com a chegada do novo técnico.

“A base já vinha sendo utilizada com Mazola e, com o Bonamigo, se consolidou ainda mais nossa entrada. Acredito que vai aparecer mais garotos também se destacando. Ali no dia a dia, Bonamigo vem sempre nos orientando, passando confiança, dando as orientações para que no jogo possamos executar tudo isso da melhor maneira possível”, contou.

O Remo não conseguia vencer o Paysandu desde a conquista do Parazão, em abril de 2018. Foi no primeiro clássico da competição nacional, com o gol de um garoto da base, que o time de Bonamigo conseguiu acabar com o jejum de 10 jogos sem saber o que era ganhar dos bicolores.

Sobre esse grande momento, onde o time começa novamente a se reestruturar na competição, com o aproveitamento dos garotos da base, o atacante agradeceu a postura do treinador.

“A gente vem crescendo a cada partida, temos muito a agradecer também ao Bonamigo, por estar nos dando a oportunidade para estar mostrando nosso valor dentro de campo. Acredito que é um momento muito bom para a gente estar se destacando, aproveitando a oportunidade. Agora é dar continuidade na temporada e buscar os 3 pontos sempre”, destacou.

Por muita das vezes, esses jovens não são aproveitados pela insuficiência de jogos, de experiências e até treinos, principalmente de treinos físicos. Quando chegam no profissional, eles precisam passar por um longo estágio no elenco profissional para ajustes de passes e ritmo de jogo, para entrar no processo de “minutagem”.

“Minha parte física estou evoluindo jogo após jogo e acredito que daqui mais para frente, se Deus quiser, vou conseguir atuar nos 90 minutos”, disse Hélio, que ainda frisou estar preparado para assumir qualquer função, seja ela no meio, na ponta ou sendo ala.

“Gosto de jogar na beira do campo, lá na frente, mas estou preparado para assumir qualquer posição”, apontou.

“Acredito que a gente está bem equilibrado do lado direito e do lado esquerdo, com o apoio dos laterais. Acredito que isso vai se consolidar cada vez mais nos próximos jogos”, concluiu.

O Leão volta a campo no sábado (10/10), às 19h, para enfrentar a Jacuipense (BA), no Mangueirão. O jogo é válido pela 10ª rodada da Série C. Esta partida terá transmissão ao vivo e exclusiva pela DAZN. Clique aqui para fazer sua assinatura agora e ganhe 30 dias grátis.

Roma News, 06/10/2020

6 COMENTÁRIOS

  1. Muito bacana ver o menino Hélio Borges ganhando seu espaço no time e a cada jogo com mais confiança merecendo estar os titulares, sendo uma peça importante no esquema tático do coach Bonamigo.

  2. Mentira, mazola só passou a abrir espaço para os jogadores da base depois que a torcida começou a fazer pressão para que ele levasse a rapaziada para jogar, e mesmo assim preferia botar o zé tonelada e deixava a base no banco de reservas.
    mazola foi um dos piores técnicos que já passaram no Baenão. Estávamos com o tri campeonato na mão, mais ele fez o milagre de mandar nosso título para o chiqueirão da curuzú.

    • Você acha que jogador vai dar entrevista queimando treinador ? Esse garoto tem grandes chances de cair em um clube lá na frente com Mazola treinador. Nenhuma entrevista jogador vai falar mal do treinador ou do time.

  3. No time do Bonamigo de 2000 tinham vários bons valores locais, como: Jaime, Alexandre Pinho e Balão.

Comments are closed.