Rafael Jaques
Rafael Jaques

A antiga máxima do ex-guru da propaganda Nizan Guanaes – “enquanto uns choram, outros vendem lenço” – aplica-se bem ao cenário de gangorra proporcionada pelo futebol, principalmente no Brasil, onde a estabilidade dos técnicos depende diretamente de resultados.

Inexiste trabalho paciente, de médio prazo, pelo menos. O tempo de média de permanência de um treinador no cargo não passa de 4 meses.

A situação é mais sensível em clubes de massa, como Remo e Paysandu, onde a pressão por vitórias beira a obsessão. Tudo fica ainda mais à flor da pele, quando os rivais se cruzam, em confrontos que arrastam multidões. O clássico inicial não define nada, mas pode derrubar técnico.

No ano passado, o Remo ensaiava um projeto ousado, prestigiando um técnico nativo, ligado à base do clube. João Neto, o Netão, vinha credenciado por uma intervenção miraculosa no semestre anterior, salvando o clube de rebaixamento quase certo à Série D.

A torcida, grata pela atuação do jovem técnico no Brasileirão, abraçou a causa, mas a lua-de-mel durou só até o primeiro clássico do Parazão. Desgastado pela eliminação na Copa do Brasil frente ao Serra (ES), dias antes, Netão não resistiu à derrota por 3 a 0 contra o rival bicolor.

Após perder o zagueiro Mimica, por grave lesão, logo aos 4 minutos de jogo, o Remo tomou um gol aos 12′ e teve o atacante David Batista expulso aos 20′, o que desestruturou por completo a equipe. Mesmo assim, não houve contemplação: o técnico acabou caindo.

Rafael Jaques atravessa um momento que lembra o drama de Netão. A única diferença é que, ao contrário de 2019, o Remo jogou primeiro o clássico, ficando para decidir nesta quarta-feira (12/02) a vaga à 2ª fase da Copa do Brasil, contra o Freipaulistano (SE), em Sergipe.

Até o Leão de Pedra do Baenão sabe que o futuro do técnico depende do que ocorrer na partida. Pressionado pelo revés no Re-Pa, Jaques tem a obrigação de classificar o time na Copa do Brasil. O fato de o Paysandu ter obtido a vaga eliminando o Brasiliense (DF), na semana passada, só piora as coisas. Afinal, torcedor sempre vive atento à grama do vizinho.

A tomar por base o que o Remo não conseguiu executar no clássico, a tarefa é dificílima. Nem tanto pelo adversário, mas pelas dúvidas e hesitações do próprio Jaques.

Sem um plano de jogo que defina o papel de cada setor, seja no esforço de marcação quanto na capacidade de atacar, qualquer adversário se torna temível. Rafael Jaques precisa ser mais claro nas escolhas.

Não pode mais, como fez no Re-Pa, lançar um jogador (volante Gelson) sem ritmo em um setor-chave da equipe, abrindo mão de opções no banco, como Djalma, Laílson e Lukinha.

Nem deve ignorar vulnerabilidades que o adversário concede, como a improvisação do zagueiro Perema na lateral-direita bicolor, sem usar de imediato um jogador (Gustavo Ermel) talhado para explorar os lados do campo. Quando se deu conta e lançou o atacante, o jogo já estava na metade.

Blog do Gerson Nogueira, 11/02/2020

20 COMENTÁRIOS

  1. Repito o que disse técnico inexperiente.
    Outra será que essa escalação do Remo no rexpa e mexidas erradas demonstra que o Rafael Jackes quer sair do comando técnico do Remo?
    Fica a pergunta no ar…

  2. Texto perfeito, nada a objetar, penso exatamente igual e lembrei do caso Netão, com a única diferença mesmo foi a ordem dos jogos Rexpa e copa do Brasil…

  3. Achei que a defesa falhou feio nos dois gols do Paysandu, o time está muito lento na saída de bola, os laterais não deram muito apoio ao ataque, muitos chutões, Gustavo Ermel poderia ter tocado aquele lance no 2 tempo, mas preferiu chutar, o Jacksom não meteu a cabeça na bola em um lance que o zagueiro passou da linha da bola, enfim, precisamos melhorar muito e rápido.

  4. Safra de técnicos medrosos e retranqueiros e o Rafael Jackson parece ser mais um para combinar com essa geração de jogadores medíocres que desaprenderam a driblar e erram passes de cinco metros e quando conseguem marcar um gol recuam todo o time e se defendem com chutões para todo lado e simulações de contusão para passar o tempo,acho revoltante o futebol atual e os maiores culpados são os técnicos medrosos que deixam os mais habilidosos no banco e escalam por altura, largura e raça ,o sonho dos técnicos atuais é ter onze dungas no time,virou pelada profissional.

  5. A ELITIZAÇÃO DO FUTEBOL BRASILEIRO E SUAS CONSEQUÊNCIAS

    É INCONCEBÍVEL, INCRÍVEL E SURREAL QUE DESDE BEM ANTES DA CONQUISTA DA TAL SÉRIE C, EM 2006, O CLUBE DO REMO NÃO CONSIGA FORMAR, CRIAR UM TIME, GRUPO DE JOGADORES COMPETITIVOS, DE QUALIDADE E COM POTENCIAL DE SEQUÊNCIA PARA CONQUISTAREM TÍTULOS E/OU CLASSIFICAÇÕES A NÍVEL NACIONAL. O CLUBE DO REMO É O ÚNICO TIME VERDADEIRAMENTE DE MASSA E APAIXONANTE DO Brasil QUE CONSEGUE REALIZAR ESSE FENÔMENO. TIMES INEXPRESSIVOS DO CENÁRIO DO FUTEBOL BRASILEIRO DURANTE TODO ESSE PERÍODO EM QUE O CLUBE DO REMO ATRAVESSA, JÁ CONSEGUIRAM REALIZAR ALGUMAS FAÇANHAS, CHEGAM A CONSEGUIR AGRUPAR/FORMAR UM TIME/ELENCO E DISPUTAM COMPETIÇÕES NACIONAIS “SUBINDO E DESCENDO” ENTRE AS SERIES, ENQUANTO O CLUBE DO REMO, APENAS AMARGA INCOMPETÊNCIA, AMADORISMO, CORRUPÇÃO E RETROCESSO POR PARTE DE SUA CARTOLAGEM/DIRIGENTES….

  6. A incompetência e o amadorismo dominam o nosso Clube do Remo. A diretoria não contrata
    Jogadores mais qualificados alegando que o salário é alto, que o clube não tem condições de pagar e contrata jogadores sem condições de vestir a camisa remista. Será que essa diretoria vai ficar mais um ano cometendo os mesmos erros ? Treinador inexperiente e jogadores pés de rato.

  7. MAIS UMA VEZ EU DIGO, QUE O CLUBE DO REMO NÃO É LUGAR DE ESTÁGIO DE TREINADORES. TEM QUE TER UM TREINADOR A ALTURA, PARA, PELO MENOS TER UMA VISÃO MELHOR DE JOGO. NÃO ERA PRO REMO TER PERDIDO ESSE CLÁSSICO E AINDA PÕE ESSE GELSON, TOTALMENTE FORA DE FORMA.

  8. Concordo plenamente com vc Adauto Moura,o remo tem uma torcida invejável qualquer clube de série A e B queria ter uma torcida dessa,mas muitos times não tem,aí fica a pergunta como que eles conseguem chegar aos acessos,como conseguem títulos a nível nacional e até mesmo internacional,o remo vem a muitos anos girando em círculos e não sai do lugar e quem sofre com isso é a torcida,nossos diretores e diregentes não enchergam o clube como grande, trabalham pra conseguir coisas pequenas ,pra enganar o torcedor,fazem só coisas mínimas,o remo não é time pra série c é time pra tá na série A,e pra isso acontecer não depende da torcida gigantesca que tem, mas sim que os dirigente e diretores sejam honestos e gigantes também,porque o clube está nas mãos deles,a torcida faz sua parte,mas vai chegar uma hora e eu espero que chegue logo,que a torcida vai fazer greve,por tanta injustiça com o torcedor!!!!!

  9. Acho que a torcida tinha que se reunir,os líderes de torcida falar com seus integrantes e organizar e mobilizar uma ação,arrancando todos os dirigentes antigos do poder esses caras que só querem ganhar dinheiro do clube nos somos massa temos poder pra isso,tem muito torcedor do clube do remo aí formado que entende de futebol,talvez no meio deles deve ter até mucurentos e agente não sabe,só ganhando nosso dinheiro!!!

  10. O Estado de Sergipe tem um Time na B do Brasileirão que é o Confiança, entretanto o Campeão Sergipano de 2019 é o Freipaulistano. O Duelo entre FreiXRemo pela Copa do Brasil será uma prova de fogo para ambos os Times. O Leão tem um elenco que pode passar de fase e o Frei também, vamos analisar o Duelo para poder dizer como o leão se sairá hoje. O Leão deverá reter a bola e atacar em velocidade o Frei deverá tentar a mesma coisa. Um duelo muito aberto sem reter a bola será mais arriscado para o Leão do que para o Frei.

  11. Não sei se, o que irei comentar, os amigos concordarão, mas o ROGÉRINHO GAMELEIRA ou o LECHEVA seria uma boa opção para treinar o LEÃO, são muitos competentes.

  12. time horrível com um bando de volantes cabeças de bagre , que não sabem armar uma jogada , a alias eu queria saber porque o Dadá saiu do remo, e qual o parentesco ou a formação desses preparadores físicos do Remo ? Há anos que esse time começa na frente com pré temporada e morre em campo no primeiro tempo ….Lamentavel

  13. Eu sou muito apaixonado pelo nosso querido Clube do Remo, com certeza por esta paixão eu não gosto de saber de criticas da imprensa contra o Maior do Norte, entretanto eu tenho que reconhecer que as criticas devem ser consideradas para evolução do leão em campo, eu nunca vou deixar de ir ao campo, quando puder, para ver o nosso Clube de Coração que sempre luta pela vitória. Eu já comentei que o campeonato Paraense esta em aberto, eu sei que os duelos são acirrados porém eu acredito que o Leão vai ser finalista e será Tri campeão, também eu acredito que o Leão avançará para a segunda fase da Copa Brasil.

  14. CARO Eduardo Martins, A CRISE CRÔNICA HISTÓRICA QUE ATRAVESSA O CLUBE DO REMO É MULTIFATORIAL. MAS, O FATOR MAIS IMPORTANTE SE NÃO O DETERMINANTE, É A TORCIDA, A BILHETERIA. A MASSA AZULINA É QUE “SUSTENTA” O CLUBE, O DEPTº. DE FUTEBOL, E ESSA RECEITA/CAIXA GERADA E GARANTIDA HISTORICAMENTE PODERIA NECESSARIAMENTE SER REVESTIDO EM FORMAÇÕES/CONTRATAÇÕES DE JOGADORES COM QUALIDADE TÉCNICA. QUE SIGNIFICAM TIMES/GRUPO COMPETITIVO DE QUALIDADE E VITORIOSO. SOBRETUDO, ESTRUTURAR POLÍTICA DE FORMAÇÃO E VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL DAS CATEGORIAS DE BASE, ANTERIORES, O CT (CENTRO DE TREINAMENTO) DO CLUBE. COM ESSA PARTE ESTRUTURAL FÍSICA E TECNOLÓGICA COM QUADRO DE PROFISSIONAIS AMPLO E QUALIFICADO.

  15. Agora o Leão duelará dentro do Mangueirão contra o Águia. O Leão tem 9 pontos e é o Terceiro do grupo A em saldo de gols, e o Águia de Marabá com 4 pts é o segundo em pontos no grupo B. A derrota do águia mudará a posição na Tabela, provavelmente o Águia cai para terceiro em pontos no grupo B e o Leão assumirá o primeiro no Grupo A. O Duelo será acirrado porque o campeonato está em aberto, eu acredito na vitória o Leão com o Vinicius fazendo grandes defesas. Observem que o empate favorece o Águia Já para o Leão somente a vitória importa caso contrario os que estão na Frente do leão terão que ser derrotados de goleada para que o Maior do Norte volte a cabeça do Grupo A.

Comentários