Plenária na sede social
Plenária na sede social

Torcedores compareceram na noite desta quarta-feira (13/03) à sede social do Clube do Remo para participar do bate-papo com o presidente Fábio Bentes e o diretor de futebol Dirson Medeiros. O encontro ocorreu um dia após o grupo de torcedores invadir o gramado do Baenão cobrando melhorias no time do Remo.

O bate-papo foi tranquilo e nenhuma manifestação de torcida foi registrada. Pelo contrário, todos os presentes aproveitaram o momento para sanar dúvidas e questionamentos em relação ao Remo.

O torcedor Ismael foi um dos presentes que questionou a diretoria azulina, perguntando sobre a reabertura do Baenão. O presidente Fábio Bentes respondeu que é uma das expectativas da torcida em 2019.

“A previsão é a de que até junho ou julho ocorra essa reabertura. Depende de algumas etapas. Fechamos parceria com uma cervejaria, a Cerpa, que será anunciada amanhã (quinta-feira) na festa de lançamento do uniforme. A renda da venda das cervejas do evento vão para o Baenão. No primeiro momento, os jogos serão de dia. A iluminação será verificada à parte”, informou Bentes.

O presidente ainda respondeu ao questionamento informando que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) fechou com o sistema streaming DAZN, voltado para o esporte.

“Eles vão transmitir 3 jogos por rodada da Série C e ainda tem o direito de colocar em canal fechado ou aberto. Agora não vamos mais ter jogos (transmitidos) em todas as rodadas e podemos ter jogo de dia, para ajudar a gente, nesse sentido”, comentou.

O Liberal, 14/03/2019

7 COMENTÁRIOS

  1. Parece que o Fábio Bentes ficou satisfeito pelo fato de os jogos do Remo não serem transmitidos em todas as rodadas da série C, pelo fato de poder jogar de dia, sem interferência do canal transmissor, no sentido de requerer jogos em outro horário. Que situação! Enquanto isso, o patrocinador que almeja divulgação mais abrangente de sua marca, fica um pouco retraído. Por outro lado, o tal Coronel Nunes, atual presidente da CBF, não faz nada para ajudar os clubes do Pará.

    • Concordo com Shter, muito pouco para se sentir satisfeito considerando a marca Clube do Remo, além do mais que esse mucurento coronel Nunes faz de tudo só prejudicar o Remo e favorecer a mucura nojenta.

    • Eu entendi que ele prefere de dia para realizar jogos no Baenão (caso ele seja reaberto), porque, pelo o que entendi,se ele ficar refém da Tv que às vezes determina jogos à noite, ele teria que migrar para o Mangueirão, ou pra qualquer estádio que tivesse iluminação, pois, pelo o que está escrito, o Baenão reabriria sem iluminação.

    • Pior! Prospecção limitadíssima.
      Em relação ao coronel Nunes, esse é o câncer do futebol paraense.
      No passado recente brigávamos com o Ceará, e agora estamos atrás do Maranhão e do mesmo nível do Acre.

  2. Foi uma iniciativa bem legal! Caso morasse em Belém, certamente daria um jeito de participar, mas já que não posso, espero que o presidente Fabio Bentes tenha acesso aos comentários deste site.
    Presidente, todos os anos estamos repetindo o mesmo erro, ou seja, no início de cada ano trocamos o diretor de futebol e contratamos diversos jogadores de fora do estado baratos, mas de qualidade questionável.
    Num roteiro de mesma sequencia, iniciamos o ano com uma péssima campanha, demitem o treinador, e o novo treinador indica mais alguns, também de qualidade questionável. Com isso, terminamos o ano todo endividado e brigando para não cair para a série C, deixando a situação do clube cada vez pior.
    Deveríamos focar em montar um time base regional e contratar de três a quatro jogadores para fazerem a diferença. Como dica o Bernardo ex Vasco, Alemão ex Santos, Renan Oliveira ex Atlético MG, Denilson ex São Paulo e Alexsandro irmão do Richarlison, dentre outros… Esses sim sabemos que fariam a diferença. São caros, mas melhor contratar quatro caros que resolvam do que 15 baratos que piores que os jogadores regionais.
    Devemos lembrar que os últimos dois times do Remo que realmente deixaram saudades tinham base regional e contratações pontuais de fora do estado, no caso o time de 2000 e de 2003.
    Outra coisa que não entendo é a insistência nos centro avantes de fora, deixando a garotada do sub 20 sem jogar. Sinceramente, não faz sentido insistir em Emerson Carioca, Mario Sergio e David, tudo horrível e não dar oportunidade para o Amaury ou mesmo o Wallace.
    Os meninos estão preparados? Possivelmente não, mas melhor dar oportunidade para os garotos que podem evoluir e o Remo ainda ganhar uma grana com uma possível negociação, do que nesses três centro avantes “velhos” e gordos que já sabemos que não dará em nada.
    Sinceramente, vejo a será C como uma oportunidade de colocar as contas em dia e formar um plantel regional competitivo. Trata-se de uma competição de nível técnico baixíssimo, e um time regional bem formado tem total condição de pelo menos se manter, quem sabe brigar pelo acesso.
    Deveríamos pensar em subir já depois de estruturados, pois uma vez na série B, não tem jeito, teremos que abrir o cofre e trazer jogadores do nível da competição. A cota de televisão aumenta na série B, mas a necessidade de investimento para pelo menos manter um clube na série B é bem alto.

    • Perfeito comentarios do Octavio Silva, realmente em tempos atrás o Remo já foi por anos o mais bem ranqueado clube da série B, tendo times formados por jogadores da base, locais e região. Corroboro que no momento era melhor, desde o início do parazão, terem colocado os moleques da base em vez de prestigiar esses estrangeiros ruins. Os meninos da base como Kevem, Davi, Fábio, Lailson, David Lima, Amauri, Wallace e Hélio já deveriam estar jogando no time principal e muitos deles como titular. Por exemplo, um bom ataque atual para o time do Remo seria Gustavo, Hélio e Wallace. Outra, Amauri e David Lima jogam muito mais que esses meias estrangeiros. Mas os empresários dos jogadores de fora mandam no Remo e exigem que as ruindades caras joguem, enquanto as crias do clube são preteridas. Uma palhaçada, triste a situação do Remo!

Comentários