Márcio Fernandes
Márcio Fernandes

Há tempos, o Clube do Remo não vivenciava tamanho clima de tranquilidade após resultados dentro de campo, especialmente na Série C do Campeonato Brasileiro. A invencibilidade na competição, com 2 vitórias e 1 empate em 3 partidas realizadas até o momento, permite à equipe efetuar as suas funções nos treinamentos com leveza, sem cobranças exacerbadas, já que o os resultados estão a favor do time, que divide a liderança do Grupo B ao lado do Volta Redonda (RJ), com 7 pontos.

O mais interessante na campanha, é que os azulinos têm demonstrado competitividade nos compromissos, algo que os atletas do elenco atribuem ao técnico Márcio Fernandes. Seria ele, na visão dos jogadores, o principal responsável pela evolução significativa vista nos gramados.

Diante do Luverdense (MT), em determinados momentos, os jogadores mantiveram a posse de bola pelo seu setor defensivo, girando o jogo e desestabilizando o adversário, que corria contra o tempo. A prioridade pelo controle da bola, algo que é pedido incessantemente pelo treinador, inclusive, fez com que o time criasse brechas e partisse no contra-ataque.

No segundo tempo, com Alex Sandro, o Remo teve duas chances depois de envolver o adversário, mas ambas desperdiçadas. O mesmo já havia ocorrido contra o Juventude (RS), também fora de casa, e diante do Boa Esporte (MG), único duelo como mandante na Série C até aqui.

Além disso, o meio-campo, que era a principal dor de cabeça do torcedor, aos poucos, tem engrenado. A marcação e saída de bola dos volantes ajudaram na compactação com o restante dos setores da equipe, permitindo a liberação dos alas e de Carlos Alberto, com frequência ao ataque.

“É o que a gente busca. Sempre busquei levar isso para as minhas equipes: controlar os jogos, brigar pela bola e pelo toque de bola. Quando o time entende isso, fica mais fácil de buscarmos o resultado”, destacou Fernandes.

A bronca do time se limita, a priori, no setor ofensivo. Sem o cuidado no arremate final, o Remo deixou de construir placares mais volumosos ou até mesmo deixou a vitória escapar pela falta de capricho na finalização. No entanto, embora o ataque ainda precise melhorar, o gol marcado por Emerson Carioca fez com o comandante chegasse à sua 5ª vitória à frente do comando técnico azulino, em 11 partidas.

“Sem dúvida é um cara (Fernandes) que vai ajudar o Remo a conquistar os objetivos nessa temporada. Já trabalhei com ele e posso afirmar que é um cara que agrega no grupo e que vai nos ajudar a melhorar onde for, para ser cada vez melhor em campo”, disse o meia Zotti.

Diário do Pará, 15/05/2019

7 COMENTÁRIOS

  1. Estou gostando bastante da troca de passes do time do Remo, o técnico conseguiu conscientizar os atletas de que é a bola que tem que correr e não eles “os atletas”, minha esperança é que cada vez mais a equipe ganhe entrosamento, vamos rumo a série b Leão.

  2. A diretoria do remo tem que cumprir tudo que prometer aos jogadores,priorizar honrar sua palavra,temos um elenco muito bom,um meio campo de qualidade até que fim,mas se não tiver palavra da parte da diretoria,eles irão pra outro clube,então aí a importância de cumprir o que prometer aos jogadores,ao preparador físico que é muito bom.ja tivemos muitos jogadores que poderiam ter ficado no clube,que eram de qualidade,mas por não ter comprometimento com a palavra por parte da diretoria e dirigentes do clube,então eles deixaram o clube,então isso nunca mais pode acontecer no clube do remo,tudo que foi prometido façam pfv,porque com isso perde todo mundo!!!

    • Elenco está em dia, recebeu antes dia 10. Funcionários falta 1 mês, que vai ser pago dia 20.

  3. Com um elenco mais barato (como fez ano passado mas não deu certo), a diretoria fica em condições de cumprir seus compromissos com os profissionais e evitar processos futuros na justiça do trabalho. É um processo com os pés no chão, muito melhor do que contratar jogadores caros e “de peso” com.o pediam alguns. Não é possível que um jogador profissional não saiba dar passe, ele sabe, mas às vezes nem isso consegue. Agora bem treinado e com o tempo necessário, as coisas vão acontecendo. A torcida tem que ter paciência e entender que não são jogadores caros que farão a diferença, são jogadores comprometidos, responsáveis, profissionais, e claro, bem preparados física, técnica e mentalmente e acima de tudo haja no time a união e objetivo de vencer. Por isso eu sou contra a contração de alguns jogadores que não demonstram essas características, como exemplo o Brama e o pimentinha, muito melhor um jogador como o Packer que desde o início se dedicou e se entregou, apesar de sua limitação física, e mesmo o Gustavo que eu crítico pela parte ofensiva, não posso me queixar de que ele não tenha vontade. Portanto, espero que esse ano seja de sucesso, mas, ainda que não aconteça, esse é o caminho correto.

    • Com certeza, ele virou passado pra mim desde que saiu daqui, mas muitos torcedores, se o Remo estivesse mal, o pediria…e só o citei como exemplo de jogador que não acho comprometido, e valorizo os que estão aqui e não duvido que saí mais barato ter o Packer e o Zotti, do que ele sozinho…portanto, o caminho é esse.

Comments are closed.