Remo 2x0 Independente (Márcio Fernandes)
Remo 2x0 Independente (Márcio Fernandes)

Ainda no gramado de jogo, o técnico Márcio Fernandes mostrou capacidade de frear a própria adrenalina e analisar a temporada remista. O técnico pouco avaliou o jogo, preferiu exaltar o todo e rendeu elogios a João Nasser Neto, o Netão, atualmente coordenador de futebol do clube, mas que começou o ano como técnico.

“Só posso agradecer às pessoas que iniciaram este trabalho, como o Netão. Quando você vence, as pessoas pensam que você fez mudanças elásticas e não foi nada disso. O que fizemos foi dar sequência ao trabalho do Netão, que era muito bom. O problema é que, no futebol, as pessoas querem que você vença e faça 3, 4 gols por jogo. Não é bem assim. De qualquer forma, meu abraço ao Netão, que tem participação nesse título. Se ele não tivesse conquistado os pontos no início, não teríamos chegado até aqui”, disse.

Além de exaltar os próprios jogadores pela “vontade, força e superação que mostraram em campo”, o técnico azulino foi diplomático com os colegas de profissão.

“Fomos nós. Hoje (domingo), sou técnico campeão, mas poderia ter sido o Charles (Guerreiro), que fez um grande trabalho com o Independente e até mesmo o Samuel (Cândido, técnico do Bragantino), que levou o nome do Pará pelo Brasil com muita qualidade”, lembrou.

Perguntado sobre o reflexo do título para a Série C, que começará no próximo sábado (27/04), contra o Boa Esporte (MG), no mesmo Mangueirão, em Belém, Márcio Fernandes manteve os pés no chão.

“A vitória traz a confiança. O título é importante para começar com o pé direito a preparação, mas não podemos esquecer que temos muita coisa a melhorar. É claro que receberemos jogadores e alguns terão de ser desligados, mas vamos analisar tudo com muita clareza para não cometermos injustiças”, concluiu.

O Liberal, 22/04/2019

6 COMENTÁRIOS

  1. Do Netão não mudou muita coisa não. E antes do Samuel Cândido no Bragantino, estava o Agnaldo.

Comments are closed.