Manoel Ribeiro
Manoel Ribeiro

Na última sexta-feira (25/05), a atual gestão do Clube do Remo completou 7 meses desde a reformulação interna, ocasião em que o futebol passou a ser administrado por um colegiado de diretores. Ao longo do período, o carro-chefe azulino teve mudanças significativas, sobretudo na organização financeira.

Como reflexo imediato, a conquista do Parazão, título que os azulinos não faturavam desde 2015. Projetos ligados à expansão da marca remista, bem como na construção de novas parcerias, foram outros pontos positivos incorporados à instituição desde a iniciativa.

No entanto, apesar das vantagens, o Leão também somou alguns insucessos, exclusivamente ligados ao desempenho dentro de campo. Eliminação precoce na Copa Verde; plantel enxuto e inconstância na Série C.

Embora esteja mais voltado às atividades ligadas às sedes social e náutica, além dos esportes olímpicos, o presidente Manoel Ribeiro diz estar ciente de tudo o que tem rodeado os bastidores do futebol, sendo um dos mentores nas decisões.

O dirigente máximo do Leão fez uma avaliação da temporada do time, bem como de assuntos ligados às finanças, reformas do Baenão, conquistas de títulos, contratações e, claro, do acesso à Série B. Confira!

Desde que o senhor cedeu autonomia para os diretores tocarem o futebol, pouco se ouviu falar no seu nome. Afinal, qual a sua participação nas decisões do carro-chefe azulino?

Sou o presidente do Remo. Então, acho que tem outras coisas a serem feitas, como na garagem náutica, aqui na sede (social), tanto que já fizemos algumas melhorias. O futebol toma muito tempo, tanto que pedi para o Milton Campos assumir o futebol com todo o respaldo. Se quiser me consultar, estarei à disposição, como tento orientar com aquilo que aprendi nesses anos no clube, mas nunca fiz uma separação entre o futebol do Remo e o Remo, porque o Remo não aceita isso, o estatuto não permite. A colocação como “departamento autônomo” é apenas para efeito de retórica, que na verdade é o departamento de futebol do Remo, no qual sou o comandante principal e delego ao Milton e aos companheiros toda a liberdade.

Na sua avaliação, os dirigentes têm correspondido à altura do que o senhor planejou?

Não tenho dúvidas que sim. Por exemplo, uma das metas era ganhar o Campeonato Paraense e o grupo que está comandando o futebol ganhou. Evidentemente que estava presente também. A nossa meta é passar o Remo para a Série B. Acredito que dentro de alguns dias a gente vai botar o time que é necessário, porque não é fácil você contratar jogador quando a Série B esta aí. Ele não quer vir para a Série C, mas estamos procurando. Milton e Mileozinho (Miléo Júnior) estão atrás do que é melhor e tenho certeza que vão conseguir.

Por falar no Estadual, como o senhor avalia a queda de rendimento da equipe na Série C, uma vez que a base do time que faturou o título com sobras permaneceu? “Sapato alto” seria o motivo?

O que tenho conversado com o doutor Milton e com o Miléo, é o problema do preparo físico. Ou o Remo joga bem no primeiro tempo e mal no segundo, ou joga mal no primeiro e bem no segundo. Então, isso me parece que é uma questão de preparo físico. O pessoal tem que observar bem isso, conversar com o treinador e com o preparador para que isso seja olhado com muito mais carinho, para que a gente dê ao Clube do Remo o preparo para fazer a mesma coisa nos dois tempos.

Para a maioria da imprensa e de grande parte da torcida, a oscilação do time se deve à limitação técnica dos jogadores. O senhor acredita no potencial do grupo?

O time do Remo precisa melhorar. É isso que vejo na disposição dos diretores, justamente a vontade de trazer um time para uma situação direta, que jogue bem. Inclusive, o próprio treinador, Givanildo (Oliveira), tem uma posição de como jogar, mas tem que saber também se o jogador que ele tem dá para encaixar no sistema que ele quer. No momento em que as duas coisas estiverem unidas, sistema e adaptação dos jogadores, tenho certeza que o Remo vai ganhar muito. Confio no atual plantel do Clube do Remo, até porque deu o titulo do Campeonato Paraense e vai brigar para passar o time para a Série B.

Um dos pontos adquiridos com a autonomia no futebol foi quanto ao financeiro do clube. Hoje, como estão as finanças do Remo? Houve evolução?

Se o futebol não tiver dinheiro, você não faz um futebol que preste. Não pode ser só abnegação. O clube precisa se alimentar de outras formas. Pela experiência que tenho no Remo desde 1955, a gente vê que são necessárias algumas coisas. A gente está caminhando bem, fazendo parcerias importantes, até porque não se pode viver só do futebol também. Os diretores conseguiram levar mais transparência, o que pode ser confirmado por qualquer um. Evidentemente que para sobrar dinheiro no caixa, ainda é preciso algo, mas posso dizer que o Remo está caminhando bem.

Quanto a parcerias, o Clube fechou negócio na última terça-feira (22/05) com uma rede de farmácias. De que forma o Remo vai ser beneficiado a curto e longo prazo?

Todas as parcerias que estamos fechando, pensamos no estádio Evandro Almeida, o Baenão. Toda a recuperação do Evandro Almeida é cara, quer dizer, precisamos abri-lo. O acordo acabou sendo útil para que o Carrossel não fique abandonado e por nos dar os recursos para que a gente possa recuperar o estádio. O contrato foi de 10 anos, autorizado pelo Conselho Deliberativo, com R$ 30 mil mensais. A parceria, pela forma que se deu, pode gerar até a construção de um Centro de Treinamentos, que já estamos viabilizando com novos parceiros, com um dos espaços na Alça Viária. A partir do momento em que o Evandro Almeida estiver pronto, vamos direcionar os recursos para as áreas mais necessárias.

A torcida azulina anda meio ressabiada com o desempenho do time na Série C, se ausentando dos estádios na maioria da partidas do Remo em casa. Até que ponto isso influencia dentro e fora do Remo?

Sou presidente do Clube do Remo, mas também sou torcedor. Sei que eles têm os motivos, mas parte de cada um. O Remo hoje precisa, como sempre precisou, da sua torcida. Queria que todos os jogos fossem 20 mil, 25 mil torcedores, porque o apoio é fora de série, evidentemente que ajudaria o time a arcar com despesas e com novas contratações, mas o time vai melhorar e não tenho dúvida que vamos juntos para a Série B.

Diário do Pará, 26/06/2018

18 COMENTÁRIOS

  1. Vcs tem q honra essa camisa esse jogadores do remo não tem raça não tem nada que si aproveita quando vcs joga com raça tudo vai da certo quero perde mais quero perde lutando Givanildo vai pra tua casa ja deu

  2. Um dos membros da diretoria do Remo disse em entrevista a uma rádio de Belém, que a torcida tem que ter paciência, pois os frutos do atual trabalho só será colhido daqui a dez anos. Estão trabalhando para fazer o clube subir, mas senão conseguirem já está de bom tamanho permanecer na série C. Para mim foi a piada do dia. Achas mesmo senhor diretor que a torcida vai suportar ver o remo 10 anos na série? Achas mesmo diretor que a torcida vai pagar ingresso para ver um time sem qualidade em campo? Se queres convencer o torcedor, mostre-nos o projeto que vcs tem para dez anos. A arrecadação do Remo depende da torcida, sem time de qualidade o torcedor não vai pra campo. Logo, onde vcs vão encontrar recurso para erguer esse clube?

  3. Pensamento pequeno e enganador desde 2002 quem preside o Clube do Remo vem com esse discurso. .em 2005 na euforia da saída da série C disseram que tinham terreno, projeto e capital para construção de um CT, tudo mentira tudo enganação de lá pra cá o Clube do Remo e isso que já cansou, que envergonha pois clube de futebol que presta não perde para time de interio e muito para time nordestino e nortista.

  4. diretores incompetentes, presidente monta um clube pra ti e deixa o Remo que é da torcida e não teu, enquanto tu fores presidente desse clube continuaremos a passar vergonha.

  5. Como pode o Pedregoso Givanildo fazer apenas dois treinos por semana e essa Diretorna banana aceitar esse homi, que tanto cobra salários em dia, NÃO TRABALHA dois períodos de TREINOS! O que é que está havendo que a torcida não pode cobrar um padrão de jogo que o time não apresentou até agora, organização tática 443 Fausto e por que não mudar para o 442? Ah, o teimoso do ultrapassado Giva não quer. Abram os olhos, torcida e diretoria pois esse filme está parecido com o do ano passado quando Josué Teixeira mandava no Remo apoiado pelo Manoel Ribeiro e ia rebaixar o Remo. Mandem esse Givanildo embora senão cairemos para a série D. Tecnicos atualizados como Francisco Diá e Rei Arthur vão tirar o Remo desafio gonia.

  6. Como pode o Pedregoso Givanildo fazer apenas dois treinos por semana e essa Diretorna banana aceitar esse técnico, que tanto cobra salários em dia, NÃO TRABALHA dois períodos de TREINOS! O que é que está havendo que a torcida não pode cobrar um padrão de jogo que o time não apresentou até agora, organização tática 443 Fausto e por que não mudar para o 442? Ah, o teimoso do ultrapassado Giva não quer, sucessão de erros na escalaçāo. Abram os olhos, torcida e diretoria pois esse filme está parecido com o do ano passado quando Josué Teixeira mandava no Remo apoiado pelo Manoel Ribeiro e ia rebaixar o Remo. Mandem esse Givanildo embora senão cairemos para a série D. Tecnicos atualizados como Francisco Diá e Rei Arthur vão tirar o Remo desafio gonia.

  7. E uma vergonha s o Givanildo continuar no remo e na certeza q vai entrar com esse q s diz jogador chamado isac e derrota na certa e o passe pra serie D

  8. GIVANILDO VELHO TEIMOSOABUSA COLOCANDO O ISAC NAO VE QUE NAO TA DANDO CERTO JA ERA P TER IDO EMBORA

  9. GIVANILDO VELHO TEIMOSO TA EMSISTINDO C ISAC NAO VE QUE NAO TA DANDO CERTO J ERA P TER IDO EMBORA CADE A DIRETORIA TA CEGA E

  10. Parabéns ao Presidente, a prioridade é a reinauguração do Evandro Almeida, ele está absolutamente correto. A diferença esta aí, o Leão precisa de sua casa para fazer amistosos visando entrosamento, precisa de casa própria para treinar com bola. O Leão pode bater na trave e não subir, pode até subir este ano, sem treinos e jogos oficiais no Evandro Almeida, será uma grande façanha. O Leão já tem bons jogadores falta entrosamento.

  11. Meu amigo eu acho que vc tá vendo outro jogo,Pra dizer que o Remo já tem bons jogadores aí é sacanagen

  12. manda esse Isac ir embora pelo amor de Deus se não é serie D na serta vai acabar o campeonato e esse cara não vai fazer mais nem um gol, esse centro avante entristece qualquer torcedor.

  13. Esse Abjeto Senhor representa todo o retrocesso do Remo. Um Vil calhorda histórico que locupletou-se do Remo a vida toda, envolto em sinistros e maquinações que sempre priorizaram seu bolso e destruíram o Remo. Hoje, somente aguardamos que Deus encaminhe a ida deste facínora aos céus (ou não…) para quem sabe, eu disse quem sabe, o Remo seja menos Parasitado.

  14. Max está havendo mudança de esquema o Professor quer um bpm Time Ofensiva e defensivamente ao mesmo tempo,isto só vai acontecer depois de muito treinamento e várias partidas com vitória. Tudo indica que a arrancada rumo ao G4 vai acontecer contra o Salgueiro no Mangueirão. Nós da Torcida não podemos ficar acomodados devemos comparecer em massa, e os Jogadores depois da arrancada devem treinar duro pela manhã e pela tarde, todos os dias não podem se acomodar com uma ou duas vitórias seguidas a série C vai pegar fogo.

Comments are closed.