Luciano Mancha
Luciano Mancha

O novo executivo de futebol do Remo, Luciano Mancha, foi apresentado na manhã desta quarta-feira (14/11), no Baenão, com prioridades definidas. Entre elas, estão a valorização da base, as contratações para a temporada 2019 e a esperança de mostrar que o Remo vai mudar para melhor.

Em relação ao futebol, Mancha adiantou que já existem conversas com a diretoria e com o técnico Netão sobre a temporada 2019. Com mais de 30 anos de experiência, o novo executivo disse que o Remo será “enxuto”.

“É a mesma metodologia de contratação que usei no Sampaio Corrêa (MA), no Icasa (CE), no Campinense (PB). Vai ser o mesmo perfil com atletas jovens. Acho que, neste ano, o Remo contratou muitos jogadores com idade avançada. Como tem muitas competições, atletas com 34, 35 anos não aguentam viagens, jogos, treinamentos. Vamos trazer atletas de 21, 23 até 28 anos para compor o elenco. Vai ter um limite de contratação”, garantiu.

A quantidade de atletas contratados para o elenco azulino em 2019 também foi abordada pelo dirigente.

“Pode pegar o histórico das equipes onde trabalhei. Começo com 28 atletas, mas a gente tem o compromisso que, se chegar algum atleta novo, outro do grupo terá de sair. Até para não prejudicar o treinador, porque daqui a pouco vamos ter 35 atletas e alguns ficarão insatisfeitos e podemos perder o controle”, afirmou.

Anúncios de reforços já podem começar a ocorrer, como disse Mancha.

“Temos no Remo um Departamento de Análise de Desempenho e me passaram algumas situações de atletas. Também trouxe alguns nomes. Ontem (terça-feira), fiz alguns contratos e estão bem encaminhados. Durante a semana devemos ter o anúncio de alguns atletas para a torcida do Remo. Primeiro vamos buscar no Norte e Nordeste, que já conhecem nosso clima”, disse.

Outra questão é o salário dos atletas. Segundo Luciano, nada de jogadores ganhando salário alto.

“O atleta quando vem para o Remo precisa saber do projeto. Antigamente, o Remo pagava salário alto, mas hoje isso não vai acontecer. Agora, vai pagar um salário decente e compatível com o atleta. O projeto é Estadual, Copa Verde, Copa do Brasil e depois vem o principal de todos, que é o acesso no Campeonato Brasileiro (da Série C para B). Inclusive, até conversei com alguns atletas e disse que não vamos pagar um salário alto, mas que ao chegar ao final do mês, no dia 30 ou 5 do mês seguinte, o salário estará na conta. Todos estão comprando a ideia. Virão alguns atletas desconhecidos, mas com sangue nos olhos e vontade de vencer na vida”, frisou.

A valorização da base azulina também foi abordada por Luciano, que garantiu oportunidade aos atletas.

“Neto me passou a relação dos atletas da base. Ele trabalhou muito tempo lá. A base dá uma sustentação financeira para o Remo e não podemos fugir disso. A cobrança não é só no Remo, mas em tudo quanto é lugar do Brasil. Quem tiver contrato com o Remo, não vai ficar só fazendo treinamento. Ele tem que ser colocado à prova. Sei que falta um pouco de rodagem aos atletas, mas o Neto, como tem experiência, vai colocando aos poucos. Se o atleta tiver qualidade, ele lança o jogador. Não tenho medo de usar a base. Se ele quiser vencer na vida é desse jeito. É com a pressão”, comentou.

Sobre o “laboratório” realizado no Baenão em outubro e os jogadores escolhidos, o executivo disse que eles serão reavaliados.

“Conversei com o presidente e com o Neto sobre essa situação. O Clube do Remo é tão grande que não podemos nos sujeitar a essa situação. Desculpe-me, mas se for para dar oportunidade, vai ser dada para atletas da base, mas como o Neto disse que tem esses 3 atletas e confio no trabalho dele, eles virão e vamos fazer a avaliação. Se servir para o elenco do Remo, ok, mas não vou dizer que são esses atletas os escolhidos”, acrescentou.

O Liberal, 15/11/2018

2 COMENTÁRIOS

  1. Creio que esse trabalho rendera bons frutos para o futuro do Remo. Presidente bote quente. Tô com você!!

Comments are closed.