Procura-se um novo camisa 10 para o Leão

13/11/2017
Remo 1x2 Sampaio Corrêa-MA (Eduardo Ramos)

Se a formação do grupo remista para a próxima temporada, de uma forma geral, gera curiosidade entre os torcedores, após a saída confirmada de Eduardo Ramos pelo Departamento de Futebol, a expectativa sobre quem irá assumir a camisa 10 do Clube do Remo é ainda maior.

Apesar de ter sido emprestado em duas oportunidades ao longo de seus 4 anos no Leão, e tendo de conviver com altos e baixos, Eduardo Ramos manteve certo nível como dono de uma camisa tão mística. Com a promessa de montar um time vencedor, contudo, a direção do futebol azulino terá de acertar a mão com o futuro “maestro”, já que, nos últimos anos, os possíveis postulantes não honraram o manto.

Em 2014, quando o Leão ainda tentava sair do lamaçal que era a Série D do Brasileirão, e feito o primeiro empréstimo de Eduardo Ramos para o Joinville (SC), o meia Danilo Rios ficou com a responsabilidade de organizar a equipe em campo. Só que o jogador não se firmou e, como resultado, o Remo foi eliminado precocemente da competição.

Entre 2015 e 2016, o agora “ex-mito” esteve presente nas competições e, apesar das oscilações, conquistou o acesso com o Remo em 2015 à Série C. Na temporada 2017, porém, após novo empréstimo, dessa vez para o Santo André (SP), o Clube do Remo não contou com bons atletas.

Quem poderia vingar era Flamel, mas o meia sofreu com lesões, além da falta de continuidade nos jogos por escolha dos comandantes técnicos no ano. No segundo semestre, brigando pela titularidade com Eduardo, Danilinho era a primeira opção de substituição. Só que o talento do jogador foi igual sua passagem no Baenão: apagado. Outras opções também não passaram nem perto de convencer, como Kaio Wilker, Fininho, Ronny e Mikael.

Procurando atender as exigências do torcedor, que não serão poucas, o Remo afirmar fazer o impossível para levar alegria ao Fenômeno Azul.

“Podem ter certeza que vamos fazer um trabalho digno e correto para galgar vitórias e títulos. Nosso objetivo é ser vencedor com o Remo e o nosso trabalho, nossas escolhas e o cuidado, serão feitos para chegarmos a isso”, disse diretor-executivo de futebol, Zé Renato.

Um dos jogadores locais mais badalados do futebol paraense nos últimos anos, o meia Flamel pode assumir a camisa 10 do Clube do Remo em 2018, já que, até o momento, não há informação sobre contratações. Entretanto, mesmo tendo prolongado o seu vínculo com o Leão até dezembro deste ano, o atleta ainda não chegou a um denominador comum com a direção de futebol remista sobre o seu futuro na agremiação para a próxima temporada.

Sendo assim, a própria permanência de Flamel é uma incógnita, mas o jogador se mostra à disposição do clube e preparado para ajudar o Remo da melhor forma possível.

“Ainda estamos conversando. Meu interesse é ficar e acredito que seja (interesse) do clube também, mas é preciso definir ainda algumas coisas”, disse. “Tenho muito a contribuir com o Remo, tenho uma missão de buscar títulos e esquecer esse ano. Seja com a 10 ou com qualquer numeração, estou muito preparado para ajudar a equipe”, destacou o jogador.

Diário do Pará, 13/11/2017

2 Comments

  1. Marco Cardoso

    13 de novembro de 2017 at 21:22

    Na boa, Flamel também foi um fiasco esse ano. Quando não estava machucado, jogou mal. Aliás, alguns prata da casa, que parte da imprensa bradava por uma chance, também decepcionaram, como Jaquinha, Tsunami e Léo Rosa. Jogadores de times pequenos.

  2. Dinâmica representações

    14 de novembro de 2017 at 11:51

    futebol e muito relativo e dinamico o que da certo aqui e outro lugar fica o talvez..isso e fato.

Deixe uma resposta