Baenão
Baenão

Após 2 semanas do início das obras no Baenão, o cenário mudou pouco, mas o diretor comercial do clube, Rafael Dahás, disse que esta semana será de mudanças mais visíveis por conta da chegada dos maquinários.

“Já vendemos em torno de 1.700 camisas ‘Leão de Pedra’, sendo 700 em pré-venda e 1.000 após a pré-venda, com todo valor revertido para a empresa responsável pelas obras. Serão feitas salas, vestiários e tudo aquilo que for solicitado para regularizar o nosso estádio. Hoje o cenário visual ainda é de recuperação, mas conversando com os engenheiros responsáveis pela obra, nas próximas semanas teremos uma nova visão daquela área, em virtude da chegada dos equipamentos, mictórios e louças que estarão chegando”, disse.

Com a venda das camisas, o Remo já arrecadou R$ 204 mil. Dos R$ 169,90 cobrados em cada unidade, R$ 120 são repassados de forma direta para as obras do estádio. O restante são custos com a logística.

Além das obras de salas e vestiários, há uma obra de escarificação nas estruturas das arquibancadas.

“Em paralelo às obras dos vestiários e salas, está sendo realizado um trabalho de escarificação nas arquibancadas, que já foi completada e está na fase de colocar a argamassa necessária. Temos que dar o suporte necessário para que o nosso torcedor tenha segurança na Almirante Barroso”, comentou.

Sobre a situação das arquibancadas metálicas na área da Travessa das Mercês, o diretor disse que está tudo encaminhado e que em breve será oficializado.

O Liberal, 06/11/2018

1 COMENTÁRIO

  1. Cada dia que passa eu tenho mais orgulho da nossa torcida. Se não fosse o projeto o retorno do rei ao Baenão, o nosso estádio ainda estaria jogado as traças. Porque se dependesse do presidente do Clube do Remo… Só a misericórdia…
    Viva a torcida do Leão!
    Viva o projeto o retorno do rei ao Baenão.

Comentários