André Cavalcante
André Cavalcante

Eleição e paz são palavras impossíveis de estarem presentes em uma mesma frase no Clube do Remo. Depois de duas tentativas fracassadas de impugnação da chapa encabeçada pelo atual presidente Manoel Ribeiro, tendo requerimentos indeferidos pela Junta Eleitoral e depois pelo presidente da Assembleia Geral, eis que surge o terceiro episódio.

O ex-presidente do Leão, André Cavalcante, anunciou que entrou com uma representação contra o presidente da Assembleia Geral, Robério D’Oliveira, solicitando o afastamento preventivo do dirigente. Segundo Cavalcante, o pedido se apóia em decisões contrárias ao Estatuto do Remo. Para André, uma atitude administrativa de Robério justifica o fato.

“Não é competência do presidente da AG julgar recurso contra o indeferimento da impugnação. A competência é de todos os associados em dia com o Remo e deve ocorrer antes de começar a votação que escolherá o novo presidente”, frisou, recomendando ainda que Robério precisa respeitar o estatuto azulino e os sócios.

A representação está direcionada ao Conselho Deliberativo do Remo. André fez críticas e divulgou sua ação nas redes sociais.

Robério D’Oliveira, decidiu por indeferir o pedido de impugnação de Manoel Ribeiro e não submetê-lo a AG, causando estranheza em correntes dentro do clube.

O associado que pediu a impugnação de Manoel Ribeiro se baseia em supostas condenações ao presidente imposta pelo TCU quando Manoel foi coordenador do DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) do Pará e Amapá. Na sua petição, Monteiro usou como base o artigo 83, inciso II, do Estatuto do Remo, que diz que não é permitido que seja aceito ao quadro de sócios quem não “gozar de bom conceito e tiver boa conduta”.

A decisão foi divulgada na manhã do último sábado (03/11), na sede social do Remo, pelo próprio Robério D’Oliveira, com a presença do presidente da Junta Eleitoral azulina, João Moscoso.

Robério foi direto e confirmou Manoel Ribeiro e Hilton Benigno no pleito, dizendo ainda que os argumentos utilizados pelo sócio Antônio Alexandre Câmara Monteiro, foram frágeis e que o associado não conseguiu reunir provas para que a chapa fosse impugnada.

“Entendi, por bem, manter a decisão da Junta Eleitoral. A chapa continua com seu pedido de registro deferido. Entendi que no caso do Manoel Ribeiro, onde se discutia em última análise a idoneidade ou não para ele continuar na presidência do clube. Não havia nenhuma prova que corresse o contrário”, comentou Robério.

Ironicamente, o presidente da Junta Eleitoral, o engenheiro João Moscoso, argumentou que as eleições do Remo, marcadas para o próximo sábado, 10/11, seriam pacíficas. Para Moscoso, o cronograma está sendo cumprido, sendo que ele crê que a votação aconteça em um clima de harmonia, sobretudo, de forma democrática.

“Estamos fazendo por onde. Esperamos uma eleição pacífica, dentro da cordialidade azulina. Nosso propósito é fazer um pleito normal, ao lado dos candidatos, para acontecer uma coisa bem democrática”, disse Moscoso, frisando que o associado deve portar documento oficial com foto no dia da votação.

O Liberal, 06/11/2018

14 COMENTÁRIOS

  1. Sua vesz já passou André, ainda bem que vc desistiu de se candidatar, pois não tens a menor capacidade… Melhor vc ficar na torcida por quem assumirá o Remo por mais dois anos e deixar de apurrinhar!

  2. Cara não dá pra entender esses remistas dirigerentes diretores ex-presidente conselheiro,nunca vi uma eleição no Clube do Remso que não tenha “tetra”….PQP, e agora aparece um babaca de um socio perturbando o ambiente querendo tirar o Manoel Ribeiro da disputa,não quer o cara é so votar contra imbecil…..vamos se preocupar com o nosso estadio que aquele outro ex-presidente esculhambou tudo e nao cobraram nada desse caral….vamos ajudar para que esse ano proximo,as coisas melhores para o nosso time…pow

  3. Podemos dizer que este é um Problema para o nosso Presidente decidir. Eu não sei porém entendo que o Presidente deve decidir. Esta é uma decisão difícil, como Gestor máximo ele solicita a reunião da Assembléia e explica que tem o direito de concorrer avalizado pelos que tem poder decisão sobre tal matéria e que estão em exercendo tal Poder, porém surgiu uma dúvida que segundo nova interpretação no caso do Doutor André Cavalcante que a Assembléia Geral precisa também dizer que ele tem direito de concorrer a reeleição. Ele pede o Apoio de todos e pede para que aqueles que ainda estão em dúvida votem com ele. Se a Assembléia decidir nas duas eleições em favor do Marechal, nem a Justiça Comum poderá anular a chapa do Marechal. Na minha análise eu confirmo que neste momento de transição em que a próxima eleição será para período de três anos, o nosso Presidente pode sim aos 82 anos receber o aprovo da Assembléia duas vezes, para seu último período como Presidente do nosso Glorioso Clube do Remo. É lógico que é mais fácil sua chapa vencer com 35% dos votantes em uma única eleição do que vencer com 51% em uma primeira eleição e depois vencer em seguida com 35% em uma segunda eleição na mesma Assembéia. Esta é uma decisão para um sábio com 82 anos de idade em plena consciência, e para uma Poderosa Assembléia, a do maior Clube do Norte do Brasil.

  4. gostaria de entender, todos os dirigentes dizem ser remistas sempre. no entanto vivem brigando por uma direção, porque não juntam as forças para fazer um clube do Remo Melhor. essa briga só confunde o socio
    quem é melhor quem é o pior, só o Meu Remo é que perde como sempre. parece o campeonato começamos torcendo para sermos campeão , e terminamos torcendo para não cair. tá dificil.

  5. O nosso Remo só irá crescer quando surgir um gestor realmente competente e todos entenderem que essas brigas internas , vaidades e … só prejudicam , o Remo precisa acompanhar a evolução dos tempos , se modernizar. Se todo sócio em dias com seu pagamento tiver direito a lazer , assistir jogos e votar a diferença será notada significativamente. ACORDA LEÃO !!!!!!!!!! Vários clubes tem mais de 20.000 sócios pagando em dias , sabem o que isso significa ?

  6. Marechal com 82 anos devia ter consciência de que ele não tem mais condições fisicas e nem psicológica de dirigir um clube grande como o Remo. Até hoje ele não explicou como foi que ele teve aquela ideia de guardar toda a renda daquele jogo num local sem nenhuma segurança. Muito estranho isso.
    Esse ano ele quase rebaixa o remo numa demonstração de total incompetência admistrativa. O tempo dele já passou. Gente com visão ultrapassada na diretoria, já chega. Vamos modernizar essa administração.
    E outra coisa, o André tem razão, o estatuto do Clube do Remo diz que a assembléia geral é soberana e não que o presidente é soberano. Esse tipo de decisão monocrática era só na época da ditadura.

  7. O nosso Glorioso Leão permanece entre os 20 maiores Gigantes de Torcida do Brasil, ocupa atualmente a 15ª posição dos Clubes que tiveram mais torcedores nos Estádios de mando de jogo, no nosso caso o Mangueirão. Leco o presidente do São Paulo foi reeleito como Presidente do Clube aos em 1977 no ano que completaria 80 anos. Leco ficará no cargo de Presidente do São Paulo até 31 dezembro de 2020 quando terá aproximadamente 83 anos. Caso a Chapa de Manoel Ribeiro seja vencedora, ele será Presidente até inicio de 2020 com aproximadamente 84 anos de idade, ele vai vencer Leco como o Presidente mais longevo do Brasil por apenas 2 anos de idade, será uma vitória apertada mais ganhará do Leco. Quem sabe ainda aconteça o duelo entre Remo e São Paulo antes de 2020, os dois Gigantes que terão os Presidentes mais Longevos do Brasil. Dentro do Baenão num jogo Amistoso o leão vencerá o São Paulo por 4×2, se for no Mangueirão o Leão vencerá de 2×1.

  8. Perguntem sobre os 30 mil do sócio torcedor…. Esse André atrasou salários e empurrou o clube mais para baixo… Zeca, André,…. Tem que haver um menos pior que essas doenças que acabam com o clube.

Comentários