Manoel Ribeiro não arreda pé, apesar das humilhações

10/10/2017
Manoel Ribeiro

Para quem já foi festejado como “Marechal da Vitória”, por seus excessos bem sucedidos na era do futebol semi-profissional (anos 70), Manoel Ribeiro deveria sentir-se mais incomodado com as humilhações que está enfrentando no Remo, inclusive por ser um patriarca com mais de 80 anos.

Nesta terça-feira (10/10), no Conselho Deliberativo, o presidente azulino vai ter uma das suas noites mais amargas, no julgamento da contabilidade dos primeiros 4 meses da gestão, já com parecer contrário do Conselho Fiscal, por diversas irregularidades. A tendência é que comece um processo de destituição, cujo julgamento seria da Assembleia Geral.

As irregularidades detectadas pelo Conselho Fiscal estão na desorganização dos serviços contábeis, com falta ou erros em documentos. As práticas comuns nos anos 70 não cabem mais 4 décadas depois, por mudanças de legislação e pelo fim do “faz de conta” no Condel.

Manoel Ribeiro não se adaptou aos avanços institucionais e nem deu espaço a quem poderia ajudá-lo, o vice Ricardo Ribeiro, que se viu forçado a licenciar-se. Por tudo isso, Manoel Ribeiro começa a colher o que plantou. Sua iminente queda pode ser a chance que o Remo precisa para se levantar, se Ricardo confirmar o que se espera dele como lider e como gestor.

Com intermediação do Esporte Interativo, está surgindo um investidor para injetar cerca de R$ 800 mil na reforma do Baenão a título de “empréstimo”. Formalização programada para o próximo dia 20/10, na sede da CBF. Tudo articulado pelo deputado Hélio Leite. O contrato de parceria do Esporte Interativo com o Leão fica para depois. O canal ainda não abraçou o Remo – como já fez com o Fortaleza (CE), por exemplo – por não sentir confiança na ascensão do clube. Motivos óbvios!

Coluna de Carlos Ferreira, O Liberal, 10/10/2017

3 Comments

  1. Pilantras

    10 de outubro de 2017 at 12:15

    Essa múmia não quer ficar sem essa grana que rouba do leão… Sai fora múmia.

  2. Adauto Moura

    11 de outubro de 2017 at 11:08

    SOMENTE A MASSA AZULINA PODE E NECESSITA GRITAR EM UNÍSSONA : “FORA TODOS ELES!”

    PODEMOS RESUMIR ESSA REUNIÃO EM UMA ÚNICA PALAVRA SOBRE A “LAMA, PÂNTANO, LIMBO” EM QUE SE ENCONTRA O CLUBE. PALAVRA ESTA DE UMA TESE QUE PERMEIA ULTIMAMENTE (E POR QUE NÃO HISTORICAMENTE ?) OS ALICERÇES DA INSTITUIÇÃO CLUBE DO REMO, PREDOMINANTEMENTE O SETOR DE FUTEBOL “PROFISSIONAL”. TESE ASSIM COMPROVADA EM APARELHAMENTO, AMADORISMO CRÔNICO, CORPORATIVISMO, PATRIMONIALISMO, FISIOLOGISMO E CORRUPÇÃO. A PALAVRA : CONDEL = BORDEL!…OU AINDA, ANACRONISMO!

  3. Ediego

    12 de outubro de 2017 at 21:34

    Fora Manuel Ribeiro, #sanguessuga