Jurídico monta defesa contra quarteto e celebra queda na dívida trabalhista

05/08/2017
Marquinhos

A temporada do Clube do Remo foi de “bolas na trave” tanto no futebol, como em sua gestão. No entanto, há uma conquista tão valiosa quando uma taça de campeonato no clube: o abatimento da dívida trabalhista de R$ 15 milhões para R$ 3,5 milhões em um período de menos de 2 anos.

A informação foi confirmada pelo diretor jurídico do Leão, Gilmar Nascimento, que detalhou os acordos, atualizou o caso do meia Eduardo Ramos e falou sobre os processos executados neste ano.

“O Clube do Remo foi notificado de ações do volante Marquinhos, do zagueiro Lucas Matheus, do auxiliar-técnico Márcio Roberto e do técnico Josué Teixeira. Todas as audiências estão marcadas e estamos na fase de preparação da defesa”, disse.

Além do quarteto, o Remo segue com parcelas para se manter inserido no Profut, além das que são direcionadas à Justiça Trabalhista e das rodadas de conciliação rotineiras para abater o valor dos débitos diretamente com os credores.

“Estamos, com muita dificuldade mas com pontualidade, pagando mensalmente os R$ 61 mil ao Profut e os R$ 71 mil ao TRT (Tribunal Regional do Trabalho). Nas rodadas de negociação, os valores são inconstantes, porque podemos fechar acordos de R$ 5 mil ou de R$ 30 mil. Depende de cada caso”, explicou.

Em relação a um suposto risco de quebra do acordo celebrado no Profut por conta das novas ações, Mendes tranquilizou os azulinos.

“Novos processos não cancelam o Profut ou as certidões negativas. O que provoca isso é o descumprimento do acordo feito com o Profut no momento em que iniciamos o processo de adesão”, esclareceu.

Entre os casos inclusos na parcela de R$ 71 mil, está o acordo que impede a execução da ação de mais de R$ 3 milhões movida pelo meia Eduardo Ramos. O Leão negociou os débitos com o atleta em 28 parcelas de R$ 17 mil.

“Começamos a pagar em maio e estamos cumprindo religiosamente. É um acordo extra-oficial que foi homologado em juízo na própria ação”, salientou.

Vale destacar que o Leão continua sob ameaça de receber mais processos de ex-jogadores, como os últimos dispensados: o volante Marcelo Labarthe, o lateral-direito Daniel Damião, os meias Fininho e Ronny e o atacante Nino Guerreiro.

Portal ORM, 04/08/2017